Fintechs = empoderamento do consumidor

Relatório divulgado hoje pela Cedro Technologies sobre o setor de fintechs no Brasil -e seu futuro no mundo – é uma compilação de dados de diversas fontes. Traz algumas conclusões interessantes, mas uma chama a atenção: a ascensão das fintechs é resultado de uma tendência conhecida no exterior como “people first”.

People first significa “pessoa em primeiro lugar”. Ou seja, o consumidor manda. Ou, para usar outra expressão bastante popular nos últimos tempos: é o empoderamento do consumidor.Vejam o que diz o texto que introduz os números do relatório:

“As inovações apenas se popularizam caso encontrem um ecossistema favorável. Nos últimos cinco anos, percebemos um aumento exponencial de usuários na internet – e o número de pessoas que possuem acesso móvel não para de crescer em todo o mundo. Este ecossistema favorece a existência de serviços corporativos no lugar onde o usuário se encontra, seja em um site, smartphone, caixa eletrônico, rede social ou chat. Este comportamento pode ser chamado de People First, onde serviços são focados sobretudo nas pessoas – e não mais em processos. Em poucos segundos, realizamos pagamentos, contratamos empréstimos, seguros, investimentos. Nossas finanças pessoais são mais fáceis de serem controladas e certos custos foram reduzidos a centésimos do que se pagava anos atrás. Nesse cenário, Fintechs, empresas de serviços financeiros baseadas em tecnologia, e a oferta de dispositivos móveis se popularizam. Só no Brasil, já há mais de 500 aplicativos financeiros disponíveis, publicados por bancos, startups, corretoras, seguradoras, entre outras instituições.”

“As fintechs fizeram com que os serviços financeiros deixassem de ser exclusividade de bancos, que passaram a compartilhar espaço com empresas modernas e baseadas na internet. O cenário parece desafiador para essas instituições, pois seus concorrentes são mais dinâmicos, baratos e contam com a simpatia do público”, diz Bruno Zago, diretor comercial da Cedro.

A seguir, alguns números….

Segundo a consultoria Accenture, desde 2010 as startups financeiras ao redor do mundo receberam investimentos que, somados, chegam a US$ 27,5 bilhões

No Brasil, há mais de 200 fintechs no país, distribuídas em categorias como pagamentos, segurança, câmbio e investimentos, entre outras.

70% das startups financeiras já estão em operação

20% contam com +20 funcionários

Em 2016, metade dessas empresas devem fechar o ano com faturamento acima de R$ 1 milhão

Em 2915, 2/3 das fintechs receberam aportes de capital

Tem mais AQUI: http://blog.cedrotech.com/wp-content/uploads/2016/10/Relat%C3%B3rio-Fintechs-Cedro-e-StartSe.pdf

Queremos saber sua opinião:

EnglishPortugueseSpanish