Dívida das empresas brasileiras cresce, diz Economatica

Dívida das empresas brasileiras cresce, diz Economatica

A dívida bruta consolidada das empresas teve um leve crescimento no terceiro trimestre de 2016 com relação ao segundo trimestre, segundo a Economatica.

A dívida líquida consolidada das 262 empresas no terceiro trimestre de  2016 é de R$ 936 bilhões contra R$ 954 bilhões no segundo trimestre de 2016. A dívida líquida apresenta queda pelo quarto trimestre consecutivo.

O caixa das empresas da amostra no terceiro trimestre de 2016 é de R$ 305 bilhões contra R$ 277 bilhões no segundo trimestre de 2016.

Correlação da dívida com o dólar

O gráfico abaixo mostra a elevada correlação que a dívida das empresas brasileiras tem com a variação do dólar Ptax Venda.  A dívida em moeda estrangeira das empresas brasileiras de capital aberto com dados disponíveis em setembro de 2016 é próxima de 45% do estoque total da dívida, o que influencia a variação do estoque total.

Dívida Bruta – maiores por empresa

A Petrobras é a empresa com maior dívida total bruta no terceiro trimestre de 2016 com R$ 398,1 bilhões; queda de -21,4% com relação ao mesmo período de 2015, quando registrou R$ 506,5 bilhões. Abaixo a lista das 20 empresas com maior estoque de dívida bruta do mercado.

Dívida Líquida – maiores por empresa

A Petrobras é a empresa com maior estoque de dívida total líquida no terceiro trimestre de 2016 com R$ 325,5 bilhões; queda de -19,08% com relação ao mesmo período de 2015, quando a dívida líquida era de R$ 402,3 bilhões. Abaixo a lista das 20 empresas com maior estoque de dívida líquida do mercado.

Caixa – maiores por empresa   

A Petrobras é a empresa com maior nível de caixa entre as empresas de capital aberto brasileiras no terceiro trimestre de 2016 com R$ 72,6 bilhões; queda de -30,36% com relação ao mesmo período de 2015, quando o caixa era de R$ 104,2 bilhões. Abaixo a lista das 20 empresas com maior estoque de caixa do mercado.

Perfil da dívida e caixa das empresas de capital aberto brasileiras de 2010 até setembro 2016   

Metodologia

Na análise foram consideradas somente empresas com dados disponíveis em todas as datas da amostra, empresas que entraram ou saíram do mercado nesse intervalo não fazem parte da amostra.

Para o cálculo dos indicadores de dívida e caixa foram utilizados os demonstrativos financeiros apresentados pelas empresas à CVM.

Valores nominais sem ajuste por nenhum índice de inflação.

Amostra de 262 empresas que atendem aos critérios acima.

Queremos saber sua opinião:

%d blogueiros gostam disto: