Para Stuhlberger, fintechs “fazem a diferença”

Para Stuhlberger, fintechs “fazem a diferença”
Reading Time: 2 minutes

Estou convencido de que os “disruptors” brasileiros, principalmente nas áreas de saúde, tecnologia e finanças – as fintechs – vão continuar acontecendo. Fintechs fazem a diferença.

Vindo de quem veio, essa é mais do que uma frase, é uma sentença: Luis Stuhlberger, da Verde Asset, um dos gestores de maior sucesso da história do país. Ele acaba de dizer isso, ao vivo, em um evento da Eleven Financial.

O executivo disse mais: para ele, toda essa “disrupção” tem sido muito “violenta” – não só no e-commerce, que na pandemia se sobressaiu rapidamente a tudo que era comércio físico; mas mesmo antes disso, também no setor financeiro.

Stuhlberger participou hoje da sessão de encerramento de uma live que teve mais de 12 horas de duração, com mais de 30 painelistas, em comemoração aos cinco anos de vida da Eleven.

No painel final do qual Stuhlberger participou, estavam também Artur Wichmann, sócio da Citrino Gestão e Rogério Xavier, sócio-fundador da SPX Capital. A mediação do debate foi de Adeodato Volpi Netto, sócio fundador e estrategista-chefe da Eleven.

Estátua na Faria Lima

O icônico gestor do fundo Verde chegou a dizer que se sente às vezes como um dinossauro: suas opiniões e previsões muitas vezes são contrárias às da sua equipe. Dinossauros à parte, Stuhlberger bem que merecia uma estátua na Faria Lima – outro ícone do sistema financeiro paulista, ou seja, brasileiro – como sugeriu Xavier!

A seguir, mais alguns dos ensinamentos da noite, by Stuhlberger:

  • margens de lucro muito gordas para empresas como Ambev e bancos hoje não são mais viáveis
  • tem muitas oportunidades na Bolsa, mais do que em juros hoje – mas sempre há o risco fiscal
  • a pandemia da Covid-19 surpreendeu positivamente, ainda bem; o vírus está no seu limite, e a vacina está próxima
  • R$ 20 bi, R$ 50 bi hoje é tratado como gorjeta, para um país que está com déficit de mais de R$ 1 trilhão; mas não é!

Quase toda a conversa foi num tom macro: falou-se muito de coronavirus, déficit fiscal, mercados financeiros de um modo geral. Mas, dessas cabeças, só pode sair coisa boa! Então, vale a pena ver de novo (ou ver pela primeira vez!)

EnglishPortuguês
error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: