Novo estudo do BIS sobre fintechs na AL aponta gargalo na regulamentação

Novo estudo do BIS sobre fintechs na AL aponta gargalo na regulamentação


Estudo The dawn of fintech in Latin America: landscape, prospects and challenges, divulgado hoje pelo BIS, o “banco central dos bancos centrais”, mostra que na América Latina as fintechs sofrem com falta de regulamentação apropriada – a exceção é o México. O estudo, assinado por Carlos Cantú e Bárbara Ulloa, foi baseado em pesquisas realizadas na Argentina, Brasil, Canada, Chile, Colômbia, Costa Rica, Mexico, Peru e Uruguai.

O estudo avaliou o ecossistema das fintechs na região e como isso está transformando a oferta de serviços financeiros. “As fintechs ganharam tração rapidamente na América Latina, principalmente nas áreas de pagamentos e finanças alternativas. Mas a regulamentação das fintechs na região adota uma abordagem baseada em atividades, em vez de uma abordagem baseada em entidades – exceto no México”, diz o paper. Este é um dos desafios que as fintechs enfrentam para serem de fato determinantes para mudar o jogo na região.

“As fintechs podem ser fortes catalisadoras para melhorar as finanças e
condições sociais na América Latina, incorporando os desbancarizados e fornecendo fontes alternativas de financiamento às empresas”.