PIX estreia na segunda-feira; testes movimentaram R$ 325 milhões em quase um milhão de transações

PIX estreia na segunda-feira; testes movimentaram R$ 325 milhões em quase um milhão de transações

O PIX, novo sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central, começa pra valer na próxima segunda-feira, dia 16, às 9h, para todas as pessoas e empresas que tenham uma conta corrente, conta poupança ou uma conta de pagamento pré-paga em uma das 762 instituições participantes do sistema de pagamentos instantâneos. Com o PIX será possível fazer transações financeiras por 24 horas, em todos os dias do ano, inclusive finais de semana e feriados, em até 10 segundos.

A Febraban avalia que o funcionamento do sistema no período de testes mostrou-se eficiente, com volumes significativos de transações. Desde o dia 3, início da fase de testes (soft opening), até o dia 12 foram feitas 826 mil transações, totalizando cerca de R$ 325 milhões. Neste período foram cadastradas 69,5 milhões de chaves PIX sendo 66,6 milhões de pessoas físicas. Até o momento, o tipo de chave mais cadastrada é a do CPF, com 25,4 milhões, segundo dados do Banco Central.

O PIX vai funcionará como plataforma única, da qual participarão, além de bancos, fintechs e demais prestadores de serviços financeiros.

“Quando falamos de PIX, pensamos primeiro em pessoas, mas a movimentação de pagamentos e transferências por parte de pessoas físicas em 2019 estava na casa de uns R$ 3 trilhões, enquanto o mundo de pagamentos de empresas é quase o triplo disso, R$ 11 trilhões. Ou seja, o PIX vai beneficiar muito mais as empresas, na medida em que barateia custos”, diz Boanerges Ramos Freire, presidente da consultoria Boanerges & Cia.

O PIX deve eliminar parte dos custos de transações, barateando os processos de pagamento para as empresas, e poderá também ser usado para pagar fornecedores, salários de funcionários e até tributos federais, acrescenta Paulo David, fundador e CEO da Grafeno, uma fintech que oferece contas digitais e infraestrutura de registros eletrônicos para empresas e credores.

“O PIX permite que novas empresas surjam com modelos de negócio disruptivos, que é algo que historicamente vem acontecendo a mercê das inovações do BC. O PIX oferece novas oportunidades para que haja maior inclusão financeira, melhora nas taxas e serviços compatíveis com a vida financeira de pessoas e empresas”, afirma Francesco Miolo, CFO da Bit Capital, fintech que oferece uma plataforma de open finance baseada em blockchain e que ajuda outras empresas na implementação do PIX.

EnglishPortuguês
%d blogueiros gostam disto: