Ariane Pelicioli, Boletão

Ariane Pelicioli, Boletão

Ariane tem 29 anos, é psicóloga e gaúcha – mas atualmente mora em  Jundiaí, SP com seus três “filhos de quatro patas”. Empreendedora serial há mais de 11 anos nas áreas de cleantech, fintechs, operações, mercado B2B e B2C, é vencedora de competições de startups no Brasil e América Latina. É também co-fundadora da fintech iUPay, startup focada em B2B que desenvolveu o Boletix, um agregador de todas as cobranças bancárias para melhorar a experiência no pagamento de contas para clientes de bancos digitais e fintechs.

Por que decidiu empreender?

Comecei a empreender com 17 anos e há mais de 11 anos estou nessa jornada. Desde pequena vi meus pais empreendendo e já tinha o desejo de empreender, tanto que fazia desenhos em papel e tentava vendê-los para ter minha própria renda. Quando conheci meu marido, em 2009, começamos a trabalhar juntos e empreender em casal desde então. Tivemos uma empresa de material gráfico e uma loja de aluguel de trajes para casamentos e festas. Em 2010, começamos no ecossistema de startups com o Piipee, um produto que substitui a descarga e proporciona economia de água em sanitários. Em 2016, através de uma dor própria, por ser empreendedora, não ter renda fixa e encontrar dificuldades com fluxo de caixa e pagamento das contas mensais, tivemos a ideia do Boletão, uma fintech de meio de pagamento e crédito. Nessa época, comecei a empreender no ecossistema de fintechs. Convidei minhas duas sócias para empreenderem comigo no Boletão, a Aline e a Fernanda. O mercado financeiro é predominantemente masculino e temos esse grande diferencial de sermos uma fintech formada somente por sócias mulheres, o que sempre nos destacou no mercado.  Nesse ano de 2020, me tornei co fundadora da fintech iUPay, focada em B2B, que tem como clientes bancos digitais e fintechs, e desenvolveu o Boletix, um hub de cobranças bancárias, onde usuários de bancos digitais e fintechs tem acesso a todas as cobranças bancárias mensais, para ter uma melhor experiência no pagamento de contas.

Quais barreiras enfrentou ?

Empreender sempre foi o que me motivou e uma das maiores paixões da minha vida. Empreendendo alcancei inúmeras conquistas pessoais e profissionais, conheci pessoas e lugares, cresci em conhecimento, experiência e como pessoa. Ao longo dessa jornada encontramos inúmeros desafios, desde divulgar e vencer a barreira da inovação até gerenciar os negócios e ter a habilidade de fazer inúmeras coisas ao mesmo tempo. Para empreender, devemos ter a capacidade de cuidar de várias áreas da empresa e gerenciar diversas demandas diferentes. Também encontrei diversas dificuldades por ser mulher e por empreender em casal (no caso da Piipee, que fundei com meu marido). Desde ter que provar o meu potencial e mostrar que era capaz de fazer aquilo que estava me propondo a fazer, até mostrar o meu real papel dentro da startup e a importância da minha participação.

Onde quer estar em dez anos?

A motivação e o propósito pelo que fazemos o que fazemos é o que nos move e o que nos faz recomeçar sempre que necessário, e nos dá forças para empreender a cada dia. Sempre me baseio no propósito, e sempre enfatizo o propósito de cada negócio e de cada ação que irei fazer. E a visão de futuro também é algo muito importante para caminharmos na direção para onde queremos chegar. Quando empreendemos buscamos melhorar algo no nosso mundo atual, trabalhamos e lutamos para isso! Para desenvolver algo importante para o planeta, para as pessoas, para nosso cotidiano… Para o futuro, quero ver que toda essa construção realmente fez a diferença na vida das pessoas e alcançou aquilo a que se propôs lá no início.

%d blogueiros gostam disto: