Trademaster atualiza conceito do cartão private label para o pequeno varejo

Trademaster atualiza conceito do cartão private label para o pequeno varejo

A fintech Trademaster, que nasceu em 2014 para ajudar a resolver um problema da indústria – financiar o pequeno varejo que compra seus produtos e não tem acesso a crédito bancário – está reinventando o “private label”.

O CEO da fintech, Francisco Pereira, explica assim seu negócio: “Todos os varejistas tem um cartão de crédito próprio, sem bandeira, como os antigos private label de lojas, com os quais compram as mercadorias das indústrias”, diz. Com uma diferença: se o private label serviu para financiar as compras do consumidor nas lojas, o cartão da Trademaster serve para financiar as compras do varejo na indústria. “A partir de 2021, vamos oferecer seguros customizados para o varejo e crédito consignado”.

“As indústrias, que são nossos clientes, tem a ‘maquininha’ que passa o cartão”, diz. A Trademaster paga à vista para a indústria – com um desconto, já que o preço cheio das notas fiscais embute o financiamento aos compradores – e financia o varejo.

Pereira veio da Bunge – ele e seus dois sócios fizeram carreira na indústria, onde viram de perto a dificuldade de vender para o pequeno varejo. Cerca de 400 mil desses varejos hoje já têm crédito pré aprovado na Trademaster – assim, podem escolher o volume que querem comprar e o que prazo que querem pagar, diz Pereira. Hoje, o Banco Sofisa, que investiu no início do negócio, ainda tem 40%.

Entre as indústrias, a maioria das 30 que a Trademaster atende são de consumo massivo, construção civil, moda e farmácia – entre elas, Gerdau e Unilever. “Com a Trademaster, a indústria vende mais e não aperta o fluxo de caixa dos varejistas. Os pequenos, principalmente, não têm fôlego para estocar nem crédito fácil nos bancos para bancar as sazonalidades da produção”, explica.

O CEO diz ainda que a fintech oferece outros serviços: “Transformamos a alavanca de crédito em melhor performance de vendas do varejo, com apresentação do mix de produto ideal, com melhores condições de crédito e prazo”, diz. O prazo para o varejo é igual ao dos cartões de crédito, pode chegar a 40 dias – normalmente, a indústria financia o comércio em prazos de 7 a 10 dias.

“Já financiamos cerca de R$ 5 bilhões nos últimos 12 meses”, diz Pereira. Para o CEO, uma das maiores vantagens competitivas da Trademaster é ter conseguido criar uma experiência sem fricção, para não criar nenhum tipo de barreira: “Fazemos tudo sem embutir processos novos na cadeia, nenhuma mudança no que indústria e varejo fazem”.

%d blogueiros gostam disto: