Fintech Poupare chega para democratizar o acesso à previdência privada no país

Fintech Poupare chega para democratizar o acesso à previdência privada no país

A Poupare, primeira fintech de previdência privada, nasceu para democratizar o acesso ao produto por parte dos brasileiros de baixa renda. A startup é a mais nova bandeira do carioca Daniel Fuks, que foi aluno do ministro Paulo Guedes e sócio de Armínio Fraga na Gávea Investimentos, cuja confiança conquistou apresentando um modelo de fundo de previdência em 2008. Hoje, além da Poupare, Fuks é membro do Conselho do Instituto Milenium e toca sua consultoria, a Skuf Investimentos.

A paixão de Fuks é seu trabalho de educação financeira pro bono, que começou em 2008. A Poupare é um projeto que visa o impacto social, um aplicativo que nasceu do casamento dessa paixão com a tecnologia. “Em um mundo onde a tecnologia permite atender todos igualmente, os bancos continuam oferecendo os melhores produtos apenas para os que têm mais dinheiro e cobrando taxas de carregamento e administração mais altas para os que tem menos recursos”, diz. Fuks quer ensinar as pessoas que estão mais vulneráveis financeiramente a substituirem o endividamento por poupança, para conseguir maior controle sobre suas vidas. “Com reservas, ninguém é explorado”.

Nessa entrevista que concedeu ao portal Fintechs Brasil, ele revela que a Poupare tem apenas um fundo de renda fixa, da Icatu, que topou aceitar aplicações a partir de R$ 100 cobrando a mesma taxa que cobra dos clientes que aplicam a partir de R$ 300 mil: 0,80%. “Depois que lancei a Poupare, outras gestoras seguiram o exemplo de reduzir taxas e/ou limites de aplicação nos seus fundos de previdência. Só por isso, já está valendo”, diz.

Assista ao vídeo para saber tudo mais sobre a Poupare – e prepare-se para uma surpresa muito simpática no final!

EnglishPortuguese