Juntas, Geru e Rebel terão metade de todo crédito que está nas fintechs no país hoje

Juntas, Geru e Rebel terão metade de todo crédito que está nas fintechs no país hoje


As fintechs de crédito Geru e Rebel decidiram se unir – e devem com isso deter a partir de agora a maior carteira do país no segmento. Segundo seus fundadores, Sandro Reiss e Rafael Pereira, juntas elas têm hoje metade dos 3% do mercado de crédito que está em mãos das fintechs. Em entrevista publicada hoje mais cedo no Brazil Journal, os empreendedores disseram que as carteiras somam R$ 800 milhões. Em cinco anos, originaram um total de R$ 1,5 bilhão em operações; a meta para esse ano é fazer mais R$ 1 bilhão.

A Geru é uma das primeiras fintechs de crédito a surgir no país, em 2013, quando começou como um market place; logo se especializou em oferecer uma experiência digital e mais amigável a clientes com mais maturidade financeira. Já a Rebel construiu uma tecnologia que usa a análise de dados para conceder crédito a quem não consegue ser aprovado em outras instituições. O fundador da Rebel em 2016, o canadense Daniel Shtyen, está hoje à frente da SuperSim, que também concede créditos subprime e vem se consolidando como fornecedora de ‘lending as a service’ (crédito como serviço) para outras fintechs, conforme antecipou ao portal Fintechs Brasil em dezembro.

Reiss promete maiores índices de aprovação e juros menores. “Essa é uma das razões pelas quais estamos fazendo essa fusão”, diz o empreendedor, em nota enviada ao portal . “Unindo as empresas, teremos acesso a capital mais barato, maior eficiência de custo e capacidade financeira para ocupar mais espaço no mercado. Queremos repassar esses benefícios para o cliente e tornar o acesso ao crédito algo tão universal quanto o acesso à internet.”   

EnglishPortuguêsEspañol