O que os lojistas precisam saber sobre registro de recebíveis – Fabio Gerber Khatcherian

O que os lojistas precisam saber sobre registro de recebíveis –  Fabio Gerber Khatcherian

Fabio Gerber Khatcherian*


O Registro de Recebíveis ou “Balcão de Recebíveis” é esperado pelos lojistas desde a Resolução nº 4.734 publicada pelo Banco Central em 2019 e promete entrar em vigor em 7 de junho.

A normativa estabelece que toda compra, seja ela no débito ou no crédito, por meio das maquininhas ou de forma online, as adquirentes e as subadquirentes deverão registrar essa transação nas registradoras, que são entidades autorizadas a operar pelo Banco Central e atuam de forma independente dos demais participantes do Sistema Financeiro Nacional (SFN). A novidade é bem vista pelo mercado já que as compras com cartões de crédito somaram R$ 2 trilhões em 2020 e para este ano, a previsão é que o setor movimente R$ 2,38 trilhões, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões (Abecs).

A medida promete trazer liberdade aos lojistas de todos os tamanhos, que poderão ter soluções mais flexíveis de acordo com as suas agendas de recebimentos, e claro, possibilidades de impulsionar seus negócios. Entre os benefícios, estão:

Liberdade: os empreendedores podem antecipar os valores de suas vendas realizadas no cartão de crédito ou débito com qualquer credenciadora, banco OU FIDIC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios) por exemplo, independentemente de qual adquirente foi utilizada no momento da transação.

Juros mais baixos: os lojistas poderão pleitear antecipação de seus créditos com juros menores, trazendo para o mercado incremento na competição, transparência e segurança nas operações.

Acesso ao crédito: as empresas poderão também utilizar seus recebíveis como garantia para conseguir empréstimo, mantendo capital de giro ou equilibrando o fluxo de caixa. Isso trará mais poder de negociação, já que poderão transacionar esses ativos com outros bancos, abrir seus recebíveis para outras empresas e negociá-los da maneira que achar mais vantajoso.

Liquidez: a antecipação pode transformar as contas a receber em capital de giro imediato com o recebimento em média de 3 dias.

Apesar de tantos benefícios o lojista precisa se planejar ao utilizar sua agenda de recebíveis, pois a antecipação consome parte dos lucros com taxas aplicadas a cada pedido. Para não prejudicar a saúde financeira do negócio, é necessário realizar uma análise profunda e garantir também que a gestão não esteja mascarando algum problema financeiro da empresa com o uso contínuo desse tipo de crédito.


*Head Comercial da Braspag, empresa do grupo Cielo, líder em soluções de pagamentos para e-commerce na América Latina.

EnglishPortuguês