Agibank tem alta de 59% no lucro no primeiro trimestre, e de 11,5% nas receitas

Agibank tem alta de 59% no lucro no primeiro trimestre, e de 11,5% nas receitas

O banco digital Agibank encerrou o primeiro trimestre de 2021 com alta de 58,9% no lucro líquido e aumento em 11,5% nas receitas totais, na comparação com o mesmo período do ano anterior, alcançando R$ 22,5 milhões e R$ 395,7 milhões, respectivamente. A atuação multicanal foi mais uma vez destaque na estratégia da instituição para ampliar sua presença nacional e alcançar novos clientes, que hoje somam mais de 2,9 milhões de correntistas.

“Os primeiros meses de 2021 foram de muito trabalho e de avanços importantes na operação e na construção da nossa plataforma de serviços financeiros e não financeiros, que lançaremos no segundo semestre”, diz Marciano Testa, fundador e CEO do Agibank. “Estamos unindo esforços com nossos parceiros e colaboradores para nos transformamos em um ecossistema completo, a partir da nossa base de clientes, unindo produtos e serviços de banking e não banking para ofertar a milhares de brasileiros uma experiência única, especialmente para aqueles não incluídos digitalmente e sem espaço nas grandes instituições”, explica.

A carteira de crédito bruta chegou a R$ 2,6 bilhões, um avanço de 47,6% em relação a março de 2020, sendo que a originação de crédito atingiu R$ 1,1 bilhão no trimestre, um crescimento de 48,4% por dia útil em relação ao mesmo período do ano anterior. Para isso, o Agibank apostou na implementação de novos modelos de crédito, na segmentação de clientes por nível de riscos e num mix de carteira mais diversificado. O resultado desse movimento foi a diminuição em mais de 20% da taxa de juros média. A inadimplência acima de 90 dias passou de 26,6% da carteira de crédito bruta no primeiro trimestre de 2020 para 8,7% em março deste ano.

Crédito, cartão e seguros

As linhas de crédito consignado e cartão consignado avançaram 196,8% e 90,9% respectivamente, e já registram uma participação no portfólio de 49,3%, versus 27,9% em março de 2020. Além disso, no intuito de estreitar o relacionamento com o cliente, o Agibank ampliou em 87,9% a carteira de crédito pessoal para clientes correntistas, o que já representa 34,6% do total da carteira e é mais do que o dobro da fatia para não-correntistas. “Seguimos investindo em tecnologia e no aperfeiçoamento dos modelos de concessão e outras etapas do ciclo de crédito para ofertar a melhor taxa para cada cliente, impulsionando os volumes de transações digitais e a venda de produtos”, afirma Testa.

Na frente de seguros – mercado do qual o banco faz parte desde 2020 por meio da parceria com a italiana Generali -, o Agibank alcançou a marca de 360 mil vidas seguradas em março deste ano, uma alta de 60,1% em relação ao ano anterior e 15,6% em relação ao último mês de dezembro. Destaque para o índice de cross-selling em novos contratos, de 88,5%. Entre janeiro e março de 2021, foram arrecadados R$ 15,5 milhões em prêmios de seguro, um crescimento de 52,9% em relação ao mesmo período do ano anterior e de 6,0% em comparação com o quarto trimestre de 2020.

O banco, que registrou 74 pontos de NPS (Net Promoter Score) em março, também investiu na abertura de novos hubs de atendimento, com mais de 141 pontos físicos inaugurados entre janeiro e março, chegando a 751 em todo o Brasil. A meta é chegar a 1.200 até 2023. O Agibank inaugurou oficialmente sua nova sede na cidade de Campinas (SP), e o seu lab no Instituto Caldeira, no Rio Grande do Sul.

Lançamentos e reforços no time

Na esteira de novidades programadas para este ano, o Agibank lançou recentemente uma nova plataforma de investimentos, ainda em fase de testes, com produtos de renda fixa, variável, fundos de investimento e títulos públicos. O objetivo é ampliar a oferta de valor ao cliente, endereçando os depósitos do lado passivo do Agibank e melhorando a capacidade de alavancagem, como provedor de serviços para o novo ecossistema em construção.

Neste movimento, o banco também anunciou a chegada de novos membros na alta liderança. Marcelo Oliveira, ex-Cielo, assumiu como sócio e diretor executivo com a missão de liderar o desenvolvimento do marketplace, enquanto Lucas Aguiar, ex-XP, passou a comandar a recém-criada Diretoria de Gente e Governança, também como diretor e sócio no banco digital.

EnglishPortuguês
%d blogueiros gostam disto: