Plataforma digital de investimentos alternativos anuncia aporte “private placement” liderado pela XP

Plataforma digital de investimentos alternativos anuncia aporte “private placement” liderado pela XP
Guilherme Ferreira, sócio da Jive

A Jive Investments, maior gestora independente de investimentos alternativos, com plataforma integrada de recuperação de créditos, gestão de imóveis e de outros ativos distressed, anuncia um novo aporte, visando crescimento e entrada no varejo. A rodada de capitalização é minoritária e está focada em expandir o capital da gestora para crescimento. Os principais investidores dos fundos Jive foram convidados a participar do investimento, em operação a ser estruturada pelo Credit Suisse. A rodada é ancorada pela XP Inc.

A operação irá acelerar ainda mais a expansão da gestora, que registra crescimento de 1.200% desde 2015, além de contribuir para que a casa possa fazer originação e a distribuição de ativos diretamente ou por meio de agentes autônomos de investimentos. A Jive tem, hoje, aproximadamente R$ 8 bilhões em ativos sob gestão e R$ 21 bilhões em valor de face, além de mais de 1.300 investidores no Brasil e no exterior.

Inicialmente, a gestora avaliou fazer oferta pública de ações (IPO), como forma de se financiar e ter capacidade para acompanhar o crescimento dos seus fundos. Uma das casas com quem a gestora conversou, ainda no ano passado, foi a própria XP. As negociações, então, tomaram um novo rumo, surgindo a possibilidade de uma transação privada. O acesso ao mercado de capitais no futuro não está descartado.

Um dos planos da Jive é a entrada no varejo, considerada uma evolução natural pelos sócios da empresa. “Nascemos fazendo investimentos de alta complexidade e com risco maior, limitados ao investidor profissional. Agora, queremos partir para produtos que tenham perfil de menor de risco e complexidade, mas dentro da nossa expertise, que possam ser distribuídos para um público mais amplo”, revela Guilherme Ferreira, sócio da asset.

Novos fundos também estão no radar e devem ser lançados ainda em 2021. O foco inicial serão créditos high yield, produtos imobiliários e ativos judiciais. A gestora está se preparando para uma nova fase, onde terá uma plataforma de investimentos em ativos alternativos e ilíquidos mais completa e integrada, com produtos diferenciados para o investidor. Outra linha de negócio que será expandida é a de prestação de serviços de gestão, cobrança e recuperação de ativos para terceiros, incluindo bancos, fundos de pensão e grandes empresas.  “Nem sempre o dono do ativo está pronto para vender, mas ele pode se beneficiar da plataforma da Jive para recuperar o maior valor possível. Assim, retemos talento, aumentamos nossa base de dados e estaremos bem posicionados se um dia esses ativos vierem a mercado”.

A Jive planeja ainda investir mais em tecnologia, expandir seus canais de originação e distribuição e fortalecer a equipe com contratações específicas. “Há planos também para aquisição de outras gestoras e de plataformas que são complementares aos nossos negócios”, conta Ferreira.

%d blogueiros gostam disto: