Robinhood entra com pedido de IPO na Nasdaq; com mais de US$ 81 bi em ativos, corretora dos EUA quase quebrou em janeiro

Robinhood entra com pedido de IPO na Nasdaq; com mais de US$ 81 bi em ativos, corretora dos EUA quase quebrou em janeiro
Vlad Tenev, co-founder da Robinhood

A corretora online americana Robinhood entrou com pedido de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Fundada em 2013, na Califórnia (EUA), a empresa será negociada sob o código “HOOD” na bolsa de Nova York (Nasdaq), nos Estados Unidos. No primeiro trimestre deste ano, contudo, a corretora teve perdas de US$ 1,4 bilhão em meio à necessidade de criar um fundo de emergência diante do caso GameStop, em janeiro.

De acordo com o prospecto, a companhia tem US$ 81 bilhões em ativos sob custódia – eram US$ 19,2 bilhões em março de 2020. A base de usuários ativos por mês cresceu mais de 150%, para quase 18 milhões, sendo mais de 50% deles investidores iniciantes. O lucro líquido em 2020 foi de US$ 7,45 milhões e receita líquida, de US$ 959 milhões.

Dogecoins

No primeiro trimestre, a receita com Dogecoin respondeu por 34% das transações em criptoativos, ante 4% no quarto trimestre de 2020. A moeda também respondeu por 6% da receita total da companhia no período.

No prospecto, a Robinhood reforça, contudo, que o seu negócio pode ser afetado “se o mercado de Dogecoin se deteriorar ou se o preço da moeda cair, além do impacto de fatores como percepções negativas de Dogecoin ou do aumento da disponibilidade de Dogecoin em outras plataformas de negociação de criptomoeda”.

Os recursos da venda de papéis serão usados para pagar dívidas e para propósitos corporativos gerais e a empresa planeja ter três classes de ações com direitos de voto diferentes.

Os fundadores da Robinhood, Baiju Bhatt e Vladimir Tenev, deverão manter o controle da empresa. “Nossa missão é democratizar as finanças para todos”, afirma a companhia em seu prospecto. A operação é liderada pelos bancos Goldman Sachs e JPMorgan.

“Quase da noite para o dia, Robinhood deu a milhões de investidores de primeira viagem acesso fácil aos mercados de ações, tornando as negociações simples e gratuitas. Desde que foi lançado em 2013, a Robinhood se tornou uma das fintech mais populares e influentes do mundo, crescendo para mais de 13 milhões de usuários. Com uma avaliação de mais de US $ 11 bilhões, a empresa obtém grande parte de sua receita de margens estreitas sobre grandes volumes de negociações individuais”, diz relatório da CB Insights. Segundo seus especialistas, “este é um modelo de negócios tão lucrativo quanto potencialmente precário”.

%d blogueiros gostam disto: