A fintechzação das empresas é real e as vantagens também – Letícia Moschioni

A fintechzação das empresas é real e as vantagens também – Letícia Moschioni
Letícia Moschioni, da Mobile2you
Reading Time: 3 minutes

Letícia Moschioni*

Após desenvolver mais de 50 bancos digitais nos últimos três anos, pude perceber uma nova tendência: a maioria das grandes empresas tendem a contar com um braço fintech em suas organizações, como parte da estratégia de oferta de serviços financeiros para seus colaboradores, parceiros, fornecedores e clientes. Olhando para o futuro próximo, é uma realidade que qualquer empresa, de pequeno a grande porte, poderá se tornar fintech, principalmente ao considerarmos um cenário no qual novas tecnologias financeiras, como Open Banking e Pix, devem tornar a indústria de pagamentos ainda mais competitiva e inovadora. Nosso país tende a desenvolver um papel importante nessa transformação digital dentro das empresas; recentemente, o relatório “2021 Global Fintech Rankings”, da Findexable/Mambu, mostra que o Brasil se tornou um dos grandes ecossistemas de fintechs e, atualmente, ocupa a primeira posição na América Latina. 

Ao analisar o investimento que uma empresa faz ao abrir o próprio banco digital percebemos que o valor alocado nesta expansão retorna rapidamente, em parte, pela rentabilidade derivada de movimentações financeiras regulares e da oferta de serviços financeiros agregados. Essa estratégia de investimento de banco digital próprio pode ser mais vantajosa do que utilizar os bancos tradicionais para realizar as operações financeiras da empresa, seja para pagar ou antecipar salários de colaboradores, oferecer um cartão de crédito, crédito consignado, ou gerar receitas diárias com as operações financeiras.

Além de ser uma grande vantagem competitiva, uma vez que o banco digital cria tração, se torna também uma fonte recorrente de receita. É uma oportunidade de oferecer um produto diferenciado, ao passo que a empresa acompanha as movimentações, lucra com as tarifas de operações financeiras e com o volume de transações. Durante esse processo, além do fortalecimento da marca, ao criar a unidade de negócio de fintech em sua organização, essa unidade terá um valuation com um múltiplo diferente da operação original. 

A oportunidade de conhecer o perfil dos usuários e identificar seus hábitos de consumo para oferecer o ecossistema com maior aderência, figura entre as principais vantagens em ter o próprio banco digital. Uma vez que as movimentações financeiras estão concentradas na plataforma da empresa, com a base de dados captados é possível reconhecer padrões e, a partir disso, oferecer produtos e serviços personalizados para cada consumidor. A construção de um big data consistente, que prevê as necessidades de cada usuário, possibilita às companhias oferecer recursos que estimulam a movimentação, gerando receita continuamente.

Desenvolver um aplicativo com design e funcionalidades aderentes a um tipo de negócio específico é outro grande diferencial para a experiência do seu nicho de atuação. Desta forma, há flexibilidade para criar contas personalizadas com funcionalidades únicas, que atendam não apenas as necessidades da empresa, mas também dos clientes. Ao invés de adaptar o negócio ao banco tradicional, a empresa pode construir do zero um sistema bancário capaz de otimizar o processo financeiro e criar uma gestão automatizada com todas as soluções em um único lugar.

Entre as vantagens financeiras, está a possibilidade de reduzir custos operacionais. Para empresas que fazem pagamento de salários para muitos colaboradores, por exemplo, a atividade passa a ser mais barata e rápida quando efetuadas no banco digital próprio. As transações podem ser feitas em lote para todas as contas da base de uma só vez. Sem contar com a economia das taxas que seriam pagas, caso as transferências fossem feitas a bancos diferentes – algo que o Pix já ajudou.

E a partir do momento que os colaboradores estão inseridos no banco digital, é possível oferecer, por exemplo, um crédito consignado, atrelado ao salário, com baixo risco, se tornando uma excelente opção de funcionalidade para geração de linha de receita. A  expectativa é que até 2022 as demandas por bancos digitais nichados continuem com o crescimento exponencial, seguindo o movimento de fintechzação das empresas. 

*Diretora de produto da Mobile2you,  mobile-house que desenvolve aplicativos financeiros sob-medida

EnglishPortuguês
error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: