Banco BV lucra R$ 388 milhões no 2º tri com avanços na agenda digital, mas negociação de venda retrocede, dizem fontes

Banco BV lucra R$ 388 milhões no 2º tri com avanços na agenda digital, mas negociação de venda retrocede, dizem fontes

O BV comunicou hoje que encerrou o segundo trimestre de 2021 com lucro líquido recorrente de R$ 388 milhões, crescimento de 76,4% sobre igual período do ano anterior – um recorde para a instituição. O retorno recorrente sobre o patrimônio líquido (ROE) foi de 13,9%, ante 8,7% no 2T20.

Apesar dos avanços na agenda digital, na diversificação e na carteira de crédito, o BV deu alguns passos atrás nas negociações de venda para um parceiro estratégico, segundo fontes do mercado. O comprador mais provável até dias atrás, o PagSeguro, estaria revendo sua oferta.

“Completamos 30 anos em 2021 em uma trajetória transformadora e com consistência de resultados. O desempenho financeiro reflete nosso modelo de diversificação de receitas com a resiliência em nosso principal negócio, o financiamento de veículos, e uma sólida agenda de soluções digitais para nossos clientes e parceiros”, afirma Gabriel Ferreira, CEO do banco BV.

A carteira de crédito alcançou R$ 73,2 bilhões no trimestre, crescimento de 6,4% sobre o 2T20. No período, houve avanços importantes na estratégia de diversificação, ao passo que o banco manteve a liderança no financiamento de veículos, carteira que atingiu R$ 41,8 bilhões, com crescimento de 76,0% no nível de originação sobre o 2º trimestre de 2020.

De outro lado, o BV investiu em duas startups, aumentando a participação no Portal Solar, primeiro e maior portal de energia solar no Brasil, e tem a opção de adquirir integralmente o Meu Financiamento Solar. O financiamento de placas solares se tornou um dos principais negócios do banco BV, e o banco já é um dos líderes do segmento, registrando expansão de 237% frente ao ano anterior, totalizando R$ 1,5 bilhão.

Outro investimento, que já recebeu a aprovação do Banco Central, foi o aporte de R$ 100 milhões na fintech Trademaster, com o objetivo de reforçar a estratégia no segmento de desconto de recebíveis para Pequenas e Médias Empresas (PME). A carteira PME atingiu R$ 900 milhões no encerramento do trimestre e, com a operação da Trademaster o banco espera dobrar sua carteira nesse segmento até o final do ano.

A carteira do atacado, com isso, atingiu R$ 24,5 bilhões. Além da maior presença em PME, outro destaque foi a expansão de 25,2% sobre o 2T20 na carteira do segmento corporate (empresas com faturamento anual entre R$ 300 milhões e R$ 1,5 bilhão). Em linha com sua estratégia de diversificação de receitas, durante o período, o banco foi coordenador de duas importantes transações: a 17ª Emissão de Debêntures da Localiza, com valor de R$ 1,2 bilhão e prazo de 10 anos, e a primeira Emissão de Debêntures Incentivadas da Equatorial Transmissão, de R$ 800 milhões.

Banking as a Service

Em Banking as a Service (BaaS), outra frente de diversificação de receitas do BV, o número de transações cresceu 308% no 1º semestre do ano vs 1º semestre de 2020, atingindo 74 milhões. Um dos parceiros do BaaS do BV é o Abastece Aí, dos postos Ipiranga. Foram oferecidos serviços de banco liquidante para a estrutura de wallet digital do Programa. Ao final do 2T21, o Abastece Aí já contava com mais de 3,5 milhões de contas abertas.

O custo de crédito registrou queda de 38,1% na comparação com o 2T20. A performance é explicada, principalmente, pela menor despesa com provisões, refletindo a melhora nos indicadores de inadimplência, que se manteve em 3,5%, após a recuperação na atividade econômica.

“O Índice de Cobertura permaneceu em patamar bastante robusto, atingindo 242%, ante 183% no 2T20, evidenciando a prudência do banco BV em um cenário econômico ainda incerto”, diz Rodrigo Tremante, CFO do banco BV. “O Índice de Basileia cresceu 0,8 p.p, para 15,2%, com Capital Principal em 12,7%. Já o Indicador de Liquidez (LCR) atingiu 258%, ante 184% do 2T20.”

Estratégia digital

Durante o primeiro semestre desse ano, o BV reforçou sua atuação como banco digital com avanços importantes em seu aplicativo para clientes de financiamento de veículos e cartões de crédito. A plataforma, que reúne todos os produtos contratados com o BV em um único lugar, traz também uma nova solução para os clientes do banco, a conta digital BV. Com uma experiência intuitiva, a proposta de valor da conta é de ajudar os clientes em sua organização financeira.

A conta oferece pacotes de serviços como PIX e transferências, pagamentos e saques. Com cartão múltiplo, o cliente poderá pagar boletos com até 40 dias, sem juros e sem taxas. Para opção de investimento e rentabilidade, a conta BV traz a oportunidade de guardar dinheiro em envelopes customizados e que rendem 100% do CDI.

O investimento contínuo nas soluções digitais do banco BV aumentou em 5 vezes a quantidade de novas contas digitais abertas diariamente no 2T21 vs 1T21. Além disso, o banco registrou crescimento expressivo de 34,2% na carteira de cartão de crédito, impulsionado pela nova conta digital BV e crescimento do portfólio de cartões. Até o encerramento do 1º semestre, a plataforma contava com mais de 3 milhões de downloads.

Além da conta, o BV continua investindo em seus canais digitais, buscando a melhor experiência para seus clientes. O financiamento de veículos oriundo de leads digitais aumentou 50% ante o 1S20. A venda de cartões BV já é 49% digital, contra 18% no 1S20. Já o crédito pessoal bateu 90% de produção digital, aumento de 20% em relação ao mesmo período de 2020, seja nos canais próprios do banco ou de seus parceiros digitais.

Agenda ESG

O banco vai ainda financiar ou distribuir em mercado de capitais R$ 80 bilhões até 2030. O valor será direcionado para iniciativas como financiamento de aquisição e instalação de energia renovável, veículos híbridos, saneamento básico, saúde e educação. Durante o 2T21, o BV emitiu uma Letra Financeira Verde, no valor de R$ 500 milhões, para financiamento de projetos de energia solar.

O BV também assume o compromisso de atingir 50% de cargos de liderança ocupados por mulheres até 2030, além de garantir a participação de 35% de negros no quadro de colaboradores. Outras iniciativas que já vêm sendo implementadas são o programa de estágio exclusivo para pessoas que se identificam com o gênero feminino, de jovens aprendizes para pessoas negras e o “Lugar de mãe é no BV”, que contrata mães afastadas do mercado de trabalho para cargos de especialista ou liderança.

“Nossas iniciativas para fomentar a diversidade se refletiram na primeira pesquisa de clima GPTW que fizemos aberta a todos os colaboradores. Tivemos a participação de 75% do total e registramos 89% de favorabilidade, renovando nosso selo de empresa Great Place to Work”, afirma Ferreira.

O BV também anunciou Taís Araujo como embaixadora da marca. Além de participar da divulgação de iniciativas ESG, a atriz apoiará na criação de soluções que tornem mais tranquila a vida das pessoas e empresas.

“Nossos pilares estratégicos direcionam nossas prioridades para atingirmos nossos objetivos de longo prazo. Combinamos a solidez financeira de um grande banco, com o mindset digital, colocando o cliente no centro de nossa estratégia e garantindo a sustentabilidade de nossos negócios adequada aos princípios ESG”, reforça o CEO.

Leia também:

EnglishPortuguês
%d blogueiros gostam disto: