Prejuízo da Creditas no terceiro trimestre atinge R$ 81,2 milhões, quase o dobro do mesmo período de 2020

Prejuízo da Creditas no terceiro trimestre atinge R$ 81,2 milhões, quase o dobro do mesmo período de 2020
Foto: Monstera

No terceiro trimestre deste ano, o prejuízo da Creditas atingiu R$ 81,2 milhões, quase o dobro do mesmo período de 2020. O prejuízo representou 32% da receita em comparação com 59% um ano atrás. Segundo a Creditas, essa queda proporcional é fruto dos seus esforços para aumento de escala para cobrir os custos de desenvolvimento da tecnologia, e também do crescimento do seu portfólio. A fintech registrou aumento de 233% das receitas em 12 meses, que atingiram R$ 257,1 milhões.

Os resultados foram divulgados somente em inglês no site de relações com investidores da startup – que pretende abrir o capital em breve nos Estados Unidos. Excluindo as transações de fusões e aquisições, as receitas aumentaram 42% em relação ao segundo trimestre deste ano, e 213% em relação ao terceiro trimestre de 2020.

“Nosso forte impulso é o resultado de desenvolvimentos tecnológicos significativos que estão nos permitindo crescer mais rápido, bem como uma implementação bem-sucedida de nossa estratégia de ecossistema que está aumentando a recorrência de clientes em nossa plataforma”, diz a nota.

A nova originação, agora incluindo além do crédito também prêmios de seguros, representou R$ 937,7 milhões, aumentando a carteira sob gestão para R$ 2.920,8 bilhões. Todos os três negócios da Creditas (auto, casa e benefícios aos empregados) tiveram um desempenho recorde “à medida que continuamos oferecendo alto crescimento e margens estáveis”.

A margem de contribuição (descontando os custos de financiamento, custos de serviço, provisões de crédito e impostos) aumentou para 55,2% principalmente devido ao forte desempenho do crédito e à alavancagem da carteira ligeiramente inferior.

“Concluímos cinco novas securitizações do Debt Capital Markets por um total de R$ 1.013 milhões, mostrando forte apetite dos investidores por nossa classe de ativos única. Emitimos dois novos FIDCs (FIDC Creditas Auto VI e FIDC Creditas Auto VII), ambos tendo a S&P reafirmado o rating local AAA para as cotas seniores e emitido nosso 8º, 9º e 10º CRI.”, diz o comunicado.

Neste trimestre, a Creditas consolidou duas transações estratégicas: a aquisição da corretora digital de Minuto Seguros, e a da Volanty, de carros usados. A consolidação de ambas s aumentou a receita do trimestre em R $ 15 milhões (aproximadamente 6% da receita total ex-aquisições).

Em 13 de setembro, a Creditas fechou parceria para oferta de produtos de crédito para os consumidores do Nubank no Brasil. Em comunicado à imprensa, o Nubank informou que pretende realizar investimentos para ampliar a capacidade de crédito da parceira e tornar-se acionista minoritário dela ao longo dos próximos dois anos, com até 7,7% das ações da companhia.

Leia também:

%d blogueiros gostam disto: