Bancos lançam ‘crediário no cartão’ como opção ao BNPL das fintechs e ao novo arranjo de antecipação de recebíveis

Bancos lançam ‘crediário no cartão’ como opção ao BNPL das fintechs e ao novo arranjo de antecipação de recebíveis

A Abecs, associação dos emissores de cartões, colocou na praça o projeto piloto “crediário no cartão”, que está em testes em oito mil estabelecimentos de saúde e veículos, em Campinas e Brasília.

A iniciativa é uma opção que concorre diretamente com o mecanismo “buy now pay later”, financiamento oferecido pelas fintechs dentro das próprias plataformas de vendas dos estabelecimentos comerciais. Mas principalmente dribla o novo arranjo de recebíveis de cartões, uma vez que funciona como capital de giro sem juros para o comerciante – e o dinheiro chega na hora da venda, sem risco, e não depois. O novo arranjo começou a valer em junho e desafia o oligopólio das adquirentes.

“Queremos expandir não apenas para outras cidades e estabelecimentos, mas principalmente canais – não vamos ficar só nas maquininhas, nossa ambição é chegar no e-commerce e no mobile”, diz Ana Karina Scariato, da MasterCard. No entanto, Ana afirma que a ideia não é concorrer nem substituir, mas somar: oferecer mais uma opção para o estabelecimento e para o cliente. O mesmo vale para o “parcelado sem juros”, que impacta o caixa do estabelecimento – no crediário o pagamento é quase a vista. Da mesma forma,

O pagamento ao lojista será em até cinco dias e os prazos para os consumidores, até 48 meses. A ideia é ajudar o empreendedor a vender mais, repor estoques para a Black Friday e reforçar seu capital de giro.

Os juros do financiamento ao consumidor variam conforme o banco, e as taxas e custos são negociados com os estabelecimentos com as adquirentes – mas a experiência foi padronizada. “Temos o compromisso de que as taxas cobradas serão em linha com as outras cobradas pelo mercado”, diz Ricardo de Barros Vieira, da Abecs.

O projeto foi anunciado em uma live com a participação também de executivos do Bradesco, Santander, Cielo e Rede.

Apesar do piloto, a maioria das maquininhas ja estão habilitadas com o crediário. Se um estabelecimento quiser e sua maquininha ainda não estiver pronta, será preciso pedir à credenciadora.

Baixe a cartilha que descreve como é, na prática, a nova funcionalidade das maquininhas.

Leia também:

%d blogueiros gostam disto: