Softbank amplia participação no Inter para 15,1%; ações lideraram as quedas da B3 em setembro

Softbank amplia participação no Inter para 15,1%; ações lideraram as quedas da B3 em setembro
João Vitor Menin, CEO do Banco Inter

O Banco Inter acaba de informar que o LA BI Holdco, LLC (“LA BI”), veículo indiretamente controlado pelo Softbank Latin America Fund (“Softbank”), maior acionista não controlador do Inter, comprou mais 4.491.600 certificados de depósitos de ações (“Units”), representativos cada um de uma ação ordinária e duas ações preferenciais de emissão do Inter, passando a deter de forma agregada, percentual equivalente a 15,01% do total de ações emitidas pelo Inter.

O Softbank informou, ainda, que o objetivo é estritamente de investimento, não a alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa do Inter.

O fundo de venture capital japonês é um dos maiores do mundo e vem investindo pesado em startups da América Latina. Em julho de 2019, havia comprado 8% do Inter.

As ações, que chegaram a valer R$ 85 em 21 de julho, despencaram a R$ 42 no último dia 6 e fecharam o dia hoje a R$ 48,3. Em setembro, as duas maiores baixas do Ibovespa foram, respectivamente, das units e dos papéis preferenciais do Inter (R$ 46,65, -31,18%; e R$ 15,68, -28,56%). Analistas apontam tanto questões macro – que também afetaram varejistas mais voltadas para o e-commerce – quanto rumores envolvendo a companhia.

A divulgação dos resultados do trimestre é dia 26; no último dia 4, a prévia operacional mostrou que o banco mais do que dobrou a carteira de crédito e as transações com cartões em um ano. Em junho, o Inter levantou R$ 5,5 bi em follow on, com a Stone Co. como âncora, com participação acionária de até 4,99% do capital social total do Inter, limitado a um valor do investimento de R$ 2,5 bilhões.

No ultimo dia 7, o banco digital mineiro capitaneado por João Vitor Menin, contratou o Bank of America, Bradesco BBI, J.P. Morgan e Itaú BBA como assessores financeiros na migração de sua base acionária para a Inter Platform, Inc., sociedade constituída de acordo com as leis da jurisdição de Cayman (“Inter Platform”), que resultará na listagem de suas ações nos Estados Unidos e na negociação de BDRs lastreados em ações de emissão da Inter Platform na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão (“B3”). Ao mesmo tempo, comunicou que o Softbank havia assinado um Reorganization Agreement com o objetivo de realizar certas medidas em apoio à Reorganização Societária.

No dia 14 do mês passado, o SoftBank anunciou o lançamento do SoftBank Latin America Fund II, seu segundo fundo de investimento privado dedicado e com foco exclusivo em empresas de tecnologia no mercado latino-americano, com um compromisso inicial de US$ 3 bilhões.

Leia também:

%d blogueiros gostam disto: