B3 investe R$ 2 bi na compra da Neoway; negócio é o maior da Bolsa desde 2017 quando adquiriu a Cetip

B3 investe R$ 2 bi na compra da Neoway; negócio é o maior da Bolsa desde 2017 quando adquiriu a Cetip

A B3 anunciou hoje a aquisição da Neoway, uma das maiores empresas de big data e analytics no Brasil e referência no segmento. Em nota, a Bolsa afirmou que a operação representa mais um passo relevante na estratégia de acelerar o crescimento em áreas complementares ao seu negócio principal.

Com valor de R$ 1,8 bilhão, a transação é a maior aquisição da B3 desde 2017, quando a então BM&FBovespa comprou a Cetip e virou B3. A bolsa ainda irá reservar até R$ 200 milhões adicionais, nos próximos cinco anos, para investimentos estratégicos ligados ao crescimento da Neoway.

Fundada em 2002, a Neoway lançou sua plataforma de Big Data em 2012, e é uma das líderes em dados, analytics e inteligência artificial no Brasil, com 450 funcionários, mais de 500 clientes B2B e projeção de receita líquida de aproximadamente R$ 190 milhões para 2022. A estrutura de dados da Neoway é constituída a partir da coleta de bases de dados publicamente acessíveis, e seus produtos, entregues através do modelo SaaS (plataforma como serviço/assinatura), cobrem uma ampla gama de soluções para marketing e vendas, crédito, prevenção a fraudes, compliance e inteçigência jurídica.marketing e vendas, crédito, prevenção a fraudes, compliance e inteligência jurídica. 

A Neoway seguirá como uma unidade autônoma e independente dentro do grupo B3. A atual liderança da Neoway e a B3 se comprometeram com uma relação de longo prazo que busca preservar um modelo de gestão e cultura que priorizem inovação, flexibilidade e proximidade com os clientes. A interação e parceria com executivos da B3 permitirá o impulsionamento do negócio e a concretização de oportunidades de colaboração entre as duas empresas. A sede da Neoway será mantida em Florianópolis.

A aquisição da Neoway pela B3 deverá ser aprovada em Assembleia pelos acionistas da B3 e depende da aprovação das autoridades concorrenciais brasileiras, da CVM e da verificação de outras condições usuais para esse tipo de negócio.

Leia também:

%d blogueiros gostam disto: