Stark Bank levanta US$13 milhões com Lachy Groom para entrar em adquirência, câmbio, CCB e cartões white label

Stark Bank levanta US$13 milhões com Lachy Groom para entrar em adquirência, câmbio, CCB e  cartões white label

Stark Bank acaba de levantar US$ 13 milhões (cerca de R$ 74 milhões) numa rodada para financiar o aumento de sua oferta de produtos e serviços para grandes empresas.

A rodada Série A foi liderada pelo solo-VC Lachy Groom e teve a participação da K5 Global, da Iporanga Ventures e da Norte Capital, além de fundadores do Coinbase, Dropbox, Flexport, Figma, Rappi, D.Local, Wildlife e Slack.

O capital será usado principalmente para investir na melhoria dos produtos atuais de PIX, Cash Management e Cartão Corporativo, bem como para o lançamento de novos produtos de adquirência, câmbio, CCB, emissão de cartões white-label e oferta de infraestrutura bancária.

A Stark Bank já dá lucro desde junho de 2021 e movimenta mais de R$ 1 bilhão ao mês. A intenção é triplicar a equipe para crescer o volume em 10 vezes no próximo ano.

“Estamos felizes em ter montado um time incrível e estamos em busca de mais talentos para continuarmos crescendo na taxa dos últimos 12 meses de 33% ao mês”, afirma o fundador e CEO Rafael Stark.

A Stark Bank começou atendendo grandes empresas com sua solução de cash management, realizando o contas a pagar e a receber de grandes empresas.

No ano passado, a Stark Bank recebeu sua licença junto ao Banco Central, tendo desenvolvido toda sua infraestrutura bancária do zero. Essa construção da tecnologia foi um dos motivos que levou o solo-VC Lachy Groom a investir na empresa.

“Eu geralmente não invisto em fintechs porque a maioria não detém a própria tecnologia. Se você não é dono da sua própria tecnologia, é impossível fazer melhorias gradativas na experiência do usuário, ter eficiência operacional e robustez do sistema. A Stark Bank criou sua tecnologia do zero”, afirma Lachy.

%d blogueiros gostam disto: