ACCREDITO lança conta digital para MEI, micro e pequenas empresas que contratarem empréstimos na fintech

ACCREDITO lança conta digital para MEI, micro e pequenas empresas que contratarem empréstimos na fintech
Milton Luiz de Melo Santos, ACCREDITO

A ACCREDITO, Sociedade de Crédito Direto da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) acaba de lançar sua conta digital. A conta será aberta automaticamente para MEIs e pequenas empresas que pedirem (e conseguirem) crédito da ACCREDITO. Como a maioria das contas digitais, a grande vantagem é que a conta não tem custo de manutenção. E, com a chegada do PIX, todas as funcionalidades – como pagar tributos, contas de concessionárias e transferências – estarão disponíveis para pagamento via QR Code.

Apenas envios de PIX ainda não estão habilitados por enquanto. “O Banco Central exige que a conta seja inaugurada primeiro para depois pedir homologação para entrar no Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI)”, explica o presidente da fintech, Milton Luiz de Melo Santos. Para compensar, as TEDs serão gratuitas – mas, claro, dentro dos horários pré-estabelecidos pelo BC. E como toda conta digital, também não permite movimentar recursos com cheques, nem depósitos em dinheiro.

Segundo Santos, a empresa que tiver seu crédito aprovado na ACCREDITO terá a conta aberta, sem custos, automaticamente – e sem precisar fazer nada a mais, além de enviar uma “selfie”.  O dinheiro emprestado cairá na conta mas, se a empresa quiser, pode transferir para outro banco também gratuitamente.

Quem já tem empréstimos contratados com a fintech também pode abrir uma conta, diretamente pelo aplicativo.

Oferecer contas digitais é uma maneira de a fintech fidelizar e rentabilizar os clientes que entram na esteira de crédito. “Este é mais um serviço entre vários novos que estamos preparando para incluir na nossa plataforma no ano que vem”, adianta Santos.

A conta digital da ACCREDITO é uma conta de pagamento, classificada como “pré-paga”, e se destina à execução de transações de pagamento realizadas com base em valores previamente aportados pelo cliente.

Hoje no Brasil existem mais de 1.200 fintechs, sendo que uma grande parte delas direcionada à concessão de crédito. Dentre os inúmeros arranjos societários que estas fintechs podem ter, e que lhes permite oferecer crédito a pessoas físicas e jurídicas, apenas duas estruturas de empresa têm, efetivamente, a chancela de serem reguladas pelo Banco Central do Brasil (vide Resolução 4.656 de 2018): as Sociedades de Crédito Direto (SCD) e as Sociedades de Empréstimo entre Pessoas (SEP).

ACCREDITO é uma das 59 SCD autorizadas pelo Banco Central a operar no Brasil e oferece desde maquininha de cartão, a descontos de duplicata, de recebíveis, capital de giro e para investimentos, além de uma linha de microcrédito para mulheres empreendedoras.

As SCDs são instituições financeiras que realizam operações de empréstimo, financiamento e aquisição de direitos creditórios exclusivamente por meio de plataforma eletrônica e com o uso de capital próprio.

Em março do ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) editou a Resolução 4.792/2020 ampliando o escopo de atuação das SCD, para ajudar os pequenos empreendedores afetados pela pandemia da Covid 19. Com isso as SCDs passaram também a emitir cartões de crédito e financiar suas operações com recursos de repasses e de empréstimos originários do BNDES.

LEIA MAIS:

%d blogueiros gostam disto: