CEO do Impact Bank fala sobre doação recorrente para ONGs via maquininha de cartão

CEO do Impact Bank fala sobre doação recorrente para ONGs via maquininha de cartão

Prestes a completar dois anos de vida, o Impact Bank acaba de colocar na rua uma nova campanha de marketing para divulgar, entre outras coisas, a solução que permite a instituições do terceiro setor de todos os tamanhos a captar doações recorrentes por meio de maquininhas de cartão, a Face a Face. O modelo até agora só era acessível a grandes ONGs. E, para o segundo semestre vai entrar, em colaboração com diversos parceiros, no fundo de blended finance Food the Forest.

As novidades foram reveladas por Gabriel Ribenboim, sócio fundador e CEO do Impact Bank, e Rafael Oliveira, sócio e diretor de marketing da fintech, em entrevista ao canal do YouTube de Fintechs Brasil. Ambas as ferramentas são mais duas das iniciativas da fintech, empenhada em ‘destravar’ o acesso a recursos para essas organizações de impacto.

“Existe um enorme potencial de filantropia por parte de pessoas físicas no Brasil. O mercado gira cerca de R$ 200 milhões por ano mas são poucas as organizações que conseguem entrar. A pedido de uma delas, criamos uma solução simples embarcada em maquininhas de cartões que permite assinatura de doações recorrentes. Pelos nossos cálculos, conseguindo a adesão de um doador por dia é possível a uma ONG levantar R$ 150 mil de receita por ano”, diz Ribenboim. “As doações são realizadas em máquinas POS com protocolo de pagamento inovador criado pelo Impact Bank e podem multiplicar por seis o volume captado pela ONG”.

Food and Forest

Já o Food and Forest vem para ajudar a resolver a dificuldade o acesso a crédito para empreendedores de programas e intervenções sociais em territórios. Já existe um ecossistema de fundos blended finance – conceito baseado na convergência de capital, unindo recursos de filantropia com os de instituições de desenvolvimento e investimento privado. Seu objetivo é o reduzir risco sistêmico para quem empresta, aportando junto educação financeira e assistência técnica. “No primeiro momento, o Food and Forest será voltado para para cooperativas, associações e negócios de impacto; depois será estendido à cadeia produtiva, com monitoramento de impacto e juros zero”, diz o CEO.

O Impact Bank é uma instituição de pagamento e correspondente bancário cambial da Decyseo.Alguns serviços fornecidos como, por exemplo, a transferência de recursos de contas de pagamento do Impact Bank para outros bancos, é realizada por meio de parcerias com instituições financeiras devidamente autorizadas pelo Bacen.

Mudando finanças – e o mundo

A nova campanha de marketing é pilotada pelo JCRé Facilitadores, da comunidade de Jacarezinho, no RJ. Ao longo da entrevista, inserimos flashes do editorial e no final, uma fala do lider do JCRé, Julio Lima.

“Buscamos como parceiros quem estava alinhado com nossos propósitos para fazer nossa ação de marketing, por isso o JCRe facilitador, o maior quilombo urbano do Brasil. Foi um oportunidade de dar voz e de aprender com eles. Discurso bonito ja existe, temos que dar o exemplo na prática, temos que começar por dentro. Tudo que fizermos tem que estar entrelaçado com alguma ação social que justifique.”, diz Oliveira.

O Impact Bank nasceu para destravar capital para o terceiro setor, fazer os recursos chegarem aos atores, organizações e empresas de impacto e propósito – não apenas no território nacional, mas também no internacional. “Nossa meta é fazer esses recursos fluirem com capilaridade, em ambiente de governança e segurança”. Até agora, a fintech já uma reuniu rede de parceiros relevantes que dá chancela ao negócio, como Mastercard, Luana Investments (gestora dos fundos de crédito), The Blended Capital Group e Fundação Amazônia Sustentável, entre outros.

Leia mais

Ativistas lançam primeira fintech brasileira orientada por ESG, o Impact Bank

Fintechs do bem: conheça as únicas brasileiras que estão no Sistema B

%d blogueiros gostam disto: