iCertus vende participação minoritária para o Banco BMG, e vai entrar em crédito consignado para colaboradores de seus clientes PMEs

iCertus vende participação minoritária para o Banco BMG, e vai entrar em crédito consignado para colaboradores de seus clientes PMEs
Fabio Ieger, iCertus

A iCertus, startup paranaense que oferece uma série de serviços voltados para a gestão de micro e pequenas empresas, inclusive crédito, anunciou a venda de parte das operações ao Banco BMG. O valor não foi revelado, mas Fábio Ieger, CEO da iCertus, afirma que foi um “aporte milionário”, mas que a participação será minoritária. NO dia 4/5, a iCertus havia anunciado uma parceria com o governo do Rio Grande do Sul e Sebrae.

Segundo Ieger, quem já é cliente da iCertus vai poder contar com a solidez de um banco tradicional aliada ao ambiente inovador de uma startup. “Vamos entregar em breve uma ferramenta mais robusta e repleta de novidades, como um fundo voltado para capital de giro e empréstimos consignados para os colaboradores”, antecipa o fundador da iCertus.

O investimento será aplicado na melhoria da tecnologia de inteligência artificial e também para crescimento da carteira de clientes. “Essa parceria com o BMG vai permitir oferecer ainda mais serviços financeiros para as micro e pequenas empresas dentro da plataforma, com as melhores condições do mercado e sem burocracia a um click de distância”, aponta Ieger.

A operação faz parte da estratégia do BMG de criar um ecossistema de startups com competências especializadas, visando a expansão dos negócios atuais, geração de eficiência operacional e criação de novas unidades de negócios. “Oferecemos um software inteligente de gestão totalmente pensado e focado em micro e pequenas empresas que facilita a gestão do dia a dia de maneira simples e sem complicações”, explica. “Somos o primeiro ERP a levar crédito em apenas um clique”.

Crescimento e vagas

A expectativa é atingir uma carteira de 30 mil usuários no final deste ano, passando para 60 mil no próximo. “Estamos muito confiantes com o que vem pela frente”, enfatiza Ieger.

A iCertus também deve abrir novas vagas de trabalho para atender essa nova demanda. “A ideia é contratar mais 100 pessoas, principalmente em São Paulo e no Rio Grande do Sul, além dos cargos em abertos que temos atualmente, lembrando que todas são 100% remotas e por isso contemplam candidatos em todo o território brasileiro. Precisamos de desenvolvedores, vendedores e atendimento ao cliente”, destaca.

Em nota, o BMG havia informado no dia 6/5 que a aquisição será realizada através da sua subsidiária direta CBFácil Corretora de Seguros e Negócios. A efetiva conclusão da operação ainda aguarda a aprovação pelo Banco Central.

Parceria com o governo do RS e Sebrae

Em 4 de maio, a iCertus havia anunciado o lançamento de uma solução de gestão empresarial e um marketplace  para ajudar microempreendedores individuais (MEI), microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), em parceria com o Governo do Rio Grande do Sul por meio da Secretaria de Trabalho Emprego e Renda em conjunto com o RS-GARANTI e SEBRAE no projeto RS TER.

O anúncio foi durante o South Summit Brasil, encontro global entre startups, empresas e investidores, que acontece em Porto Alegre (RS), entre os dias 4 e 6 de maio, com mais de 400 palestrantes reunidos em um ambiente em que o networking é só o ponto de partida – mais de 10 mil pessoas de 76 países se inscreveram para visitar o evento.

Fábio Ieger, CEO da iCertus, explica que a solução da empresa integra o programa “RS Trabalho, Emprego e Renda – RS TER”, política público-privada coordenada pela Secretaria de Trabalho, Emprego e Renda, com o foco na geração de trabalho, emprego e renda, por meio do fomento ao empreendedorismo, a criação e/ou sustentabilidade de negócios embrionários, micro e pequenas empresas. “O intuito desse programa é levar gestão e financiamento para empreendedores do estado e estamos disponibilizando fundos de investimento que tem 5 bilhões de reais para isso”, revela.

Leia também:

Certus vira fintech e ganha um “i” antes do nome; CEO conta os planos da nova fase

Bossa Nova investiu em mais de 80 startups em 2020; fintechs são pouco mais de 15% do total

Bossanova abre chamada para seu segundo “pool” de fintechs; meta é selecionar de 15 a 20, em até 30 meses

%d blogueiros gostam disto: