CURTAS

CURTAS

Nesta seção do portal, trazemos uma curadoria diária das principais notícias do ecossistema. Não é produção própria, a maioria é divulgação das próprias fontes, via assessoria de imprensa. Mas também tem material pescado de outros portais – sempre com os devidos créditos, claro. Foi a alternativa que encontramos para ajudar o leitor a ficar por dentro dos fatos, já que não conseguimos cobrir tudo! Assim, nos dedicamos às reportagens exclusivas e às que merecem uma investigação mais aprofundada. Disclaimer: são apenas fatos, sem repercussão nem contexto, crítica ou análise.

08/08

  • Fintech Clara toma US$ 150 milhões com Goldman Sachs: Cerca de oito meses depois da Série B, a fintech mexicana Clara está anunciando uma nova captação, mas desta vez o cheque vem na modalidade de dívida. A startup especializada em gestão de despesas corporativas acaba de receber uma linha de crédito inicial de US$ 50 milhões, com opção de ampliação até US$ 150 milhões, em uma operação com o banco norte-americano Goldman Sachs. Sem informar detalhes sobre as condições do novo funding, a fintech informa que o recurso permitirá o crescimento das suas soluções de cartão de crédito corporativo e financiamento de curto prazo para empresas na América Latina. Hoje, a Clara atende mais de 6 mil negócios espalhados por México, Brasil e Colômbia. A expectativa é dobrar essa quantidade até o fim do ano, diz a empresa em comunicado. Fonte: Finsiders
  • SumUp fecha parceria logística para reduzir prazos de entrega no Nordeste:  A SumUp, companhia de tecnologia e serviços financeiros para micro e pequenos empreendedores, acaba de realizar uma parceria estratégica com a empresa de logística Sequoia, que permitirá reduzir de sete para dois dias úteis, em média, o tempo de entrega dos seus leitores e produtos nas capitais nordestinas. Para as demais cidades e no interior, o prazo máximo cairá para cinco dias úteis. A estimativa é de que, até o fim do ano, todo o Nordeste seja beneficiado pela parceria. As outras regiões brasileiras são atendidas pela SumUp por meio de uma parceria logística com a DHL. Neste caso, a fintech usa um centro de distribuição em Louveira (SP) para atender os clientes. FONTE: SumUp
  •  Modal e TAO se unem para revolucionar o mercado digital para artistas e criam o Art Bank: o banco Modal juntou-se à Inova Tao,  empresa S.A que atua no mercado de tecnologia, entretenimento e banking, para desenvolver uma instituição para os artistas que desejam ter maior controle e protagonismo na gestão financeira de suas carreiras, além de ter acesso aos mais atualizados serviços bancários, de investimentos, créditos e seguros. O Art Bank passará a oferecer oportunidades inéditas no mercado artístico, iniciando pelo setor de música, como a antecipação de recebíveis, aquisição de direitos autorais, divisão de pagamentos, integração com ticketeiras e seguros específicos para o artista. FONTE: Modal
  • BB é o primeiro banco do mundo a oferecer consentimento ao Open Finance pelo WhatsApp: A partir desta segunda-feira, 8, os clientes do Banco do Brasil poderão realizar a adesão ao Open Finance no BB pelo WhatsApp. O atendimento acontece pelo número 61 4004 0001, sem interação humana, com o cliente falando termos como “open finance”. O assistente virtual entenderá a intenção do cliente e iniciará o processo de consentimento. FONTE: Banco do Brasil
  •  Banco PAN alcança 21 milhões de clientes e registra lucro líquido ajustado de R$ 194 milhões no segundo trimestre: O Banco PAN (BPAN4) chegou a 21 milhões de clientes no segundo trimestre de 2022, aumento de 69% frente a igual período do ano passado, e reportou lucro líquido ajustado de R$ 194 milhões, em linha com o desempenho do segundo trimestre de 2021. O ROE ajustado do PAN foi de 11,9% ao ano. A carteira de crédito do Banco PAN cresceu 11% no segundo trimestre, na comparação com igual período de 2021, chegando a R$ 36 bilhões. A variedade de produtos e canais possibilita ao PAN ofertar crédito adequado aos clientes em diferentes momentos, sendo que 88% da carteira possui garantias. O nível de inadimplência acima de 90 dias recuou para 6,7% em junho, taxa 0,1% menor do que o indicador de março, que teve efeito positivo diante do contexto econômico atual. FONTE: Banco PAN
  • Metaverso deve atingir US$800 bilhões até 2024 e gerar 10 mil empregos em cinco anos, aponta relatório da Globant: Uma pesquisa realizada pela Globant, empresa digital focada em reinventar os negócios por meio de soluções tecnológicas inovadoras, mostra que, embora 73% das pessoas acreditem que o metaverso é acessível a elas, apenas 26% o experimentaram. O relatório, denominado “Como o metaverso está empurrando as fronteiras digitais e reinventando nosso lugar no mundo físico”, explora as tendências que estão mudando o futuro, analisa os efeitos de um metaverso multifuncional e apresenta novos dados com base em uma pesquisa proprietária realizada com 834 profissionais de tecnologia dos cinco continentes, sendo que 86,57% dos participantes são da América do Sul. A pesquisa concluiu que 75% não acreditam que o metaverso seja voltado apenas para uma geração jovem e 69% acreditam que o metaverso desempenha um papel crucial no trabalho remoto. De acordo com o Gartner, até 2026, 25% das pessoas passarão pelo menos uma hora por dia no metaverso trabalhando, fazendo compras, em sua educação, nas redes sociais e/ou entretenimento. Para obter mais informações e fazer o download da versão completa da análise, clique aqui. FONTE: Globant

05/08

  • Fintech Noh comemora R$ 1 milhão em transações – A Noh, carteira digital compartilhada para dividir despesas entre casais, atingiu R$ 1 milhão em pagamentos, em dois meses após lançar seu primeiro cartão. A notícia está na newsletter da Noh, assinada pela sócia fundadora Ana Zucato, A empresária revela, ainda, duas novidades no app. A primeira é para os usuários novos: já tesá liberado fazer login e receber código por WhatsApp. A segunda é que já dá pra fazer upload da CNH digital na hora de abrir a conta. Fonte: Noh
  • Demissões em massa nas fintechs: A Nomad, fintech que permite aos brasileiros a abertura de conta corrente e investimentos de forma digital nos EUA, acaba de cortar cerca de 20% do seu quadro de funcionários, o que representaria mais de 50 pessoas. O motivo? Crise financeira global. O enxugamento do time ocorre três meses depois que a Nomad anunciou um aporte de US$ 32 milhões (cerca de R$ 160 milhões, no câmbio da época). Na captação, a empresa foi avaliada em mais de R$ 1 bilhão.A Nomad se junta a uma lista de fintechs como Provi, Ebanx, Quanto, Bitso e SumUp, que anunciaram desligamentos em massa nos últimos meses, atribuindo os cortes à deterioração do cenário macroeconômico com inflação e juros altos. A Hash, que oferece soluções de banking as a service (BaaS) e estava na lista das 250 fintechs mais promissoras do mundo conforme a CB Insights, também fez demissões. No último corte, cerca de 58 pessoas foram desligadas, de acordo com reportagem da coluna Capital, d’O Globo. Fonte: Finsiders
  • HerMoney, de Fortaleza, entra para o Learning Village: As empreendedoras cearenses da HerMoney, Andrezza Rodrigues, CEO da companhia, e Beatriz Furtado, COO, trazem a expertise financeira voltada às empreendedoras mulheres do País. Utilizando o WhatsApp com integrações com API e Openbanking, o aplicativo desenvolvido tem como meta a educação financeira para companhias emergentes, possuindo uma comunidade própria. Deste modo, é possível gerir dados automáticos e seguros, com venda de produtos e soluções financeiras adequadas à realidade de cada mulher. A companhia é a primeira startup nacional a oferecer uma plataforma de gestão financeira para PMEs fundada por mulheres e a mais nova – e a única liderada por empreendedoras – a conquistar o prêmio Startup Revelação no Startup Awards 2k21, considerada a premiação mais importante do ecossistema de inovação do País. “Como uma fintech que somos, nosso objetivo no Learning Village vai além da conexão, mas, também, a busca de apoio da comunidade para escalar o nosso negócio em termos de estrutura e abrangência geográfica”, explica Andrezza Rodrigues. O Learning Village – primeiro hub de inovação e tecnologia da América Latina com foco em educação e desenvolvimento de pessoas, idealizado pela HSM e SingularityU Brazil anunciou quatro novas companhias, das quais três estão fora do eixo de São Paulo, Minas Gerais e região Sul – maioria em número no Learning Village, atualmente. “Estamos olhando sempre para novidades: tanto para startups e seus impactos nas empresas, com soluções inovadores, como também para tudo que tende a ser disruptivo e exponencial. E ver que destas quatro novas, três estão fora de São Paulo, nos traz a certeza desta capilaridade para o sistema que queremos construir, fortalecendo o nosso hub em todo o País”, avalia Alvaro Machado, COO do Learning Village e SingularityU Brazil. Fonte: Learning Village

04/08

  • Receita do Mercado Pago mais que dobra no segundo trimestre: A receita líquida do Mercado Livre no segundo trimestre de 2022 alcançou US$ 2,6 bilhões, crescimento de 52,5%, em dólar, na comparação com o mesmo período de 2021. O Brasil representa cerca de 56% da receita líquida total do Mercado Livre, tendo alcançado US$ 1,4 bilhão e crescimento de 52,5%. Já a receita líquida de fintech cresceu 112,5% em dólares, chegando a US$ 1,2 bilhão, ano contra ano — superando a marca de US$ 1 bilhão pela primeira vez, com o aumento da relevância dos serviços financeiros no ecossistema. No segundo trimestre o Mercado Pago ultrapassou 38 milhões de usuários ativos, alta de 26,3%, com crescimento em todos os mercados da região, sobretudo nos serviços de pagamento via código QR, transferências dentro do ecossistema e usuários de crédito. “Observamos um trimestre forte em todos os negócios”, afirma André Chaves, vice-presidente sênior de Estratégia e Desenvolvimento Corporativo do Mercado Livre. “A operação de marketplace alcançou resultados sólidos, e o Mercado Pago mantém forte ritmo de crescimento, com sua base de usuários em ascensão e aumento no volume de pagamentos da conta digital e adquirência. Nossa estratégia continua priorizando o equilíbrio entre crescimento rentável e gestão de caixa, apoiando o investimento em tecnologia para o desenvolvimento de produtos, sempre com foco na diferenciação no longo prazo”, completa. Fonte: Mercado Livre
  • Binance e Mastercard lançam cartão pré-pago na Argentina para unir criptomoedas e compras diárias: A Binance, empre que fornece infraestrutura de blockchain e criptomoeda, e a Mastercard anunciam o lançamento do Binance Card na Argentina para preencher a lacuna entre criptomoedas e compras diárias. O produto está em fase beta e estará amplamente disponível nas próximas semanas. O cartão Binance é emitido pela Credencial Payments e permitirá que todos os usuários novos e existentes na Argentina com um documento de identidade nacional válido façam compras e paguem contas com criptomoedas, incluindo Bitcoin e BNB, em mais de 90 milhões de estabelecimentos Mastercard em todo o mundo, tanto na loja quanto conectados. Os titulares de cartões Binance poderão gerenciar seus cartões por meio do painel do cartão no aplicativo e no site da Binance. Os usuários também poderão visualizar seu histórico de transações e acessar o suporte ao cliente por meio do painel do cartão. FONTE: Binance
  • Fintech Regera aposta na compra de direitos creditórios de pequeno valor para injetar R$ 85 milhões na economia: Com modelo validado, a REGERA, plataforma digital focada na aquisição e gestão de direitos creditórios de consumidores, levantou uma rodada de investimentos de R$ 22 milhões e criou um fundo proprietário de compra de direitos no valor de R$ 85 milhões – montante que planeja injetar na economia. A empresa uniu a premissa básica das fintechs, de oferecer crédito de forma mais simples e rápida, ao segmento de compra de direitos creditórios de baixo valor. Atualmente, esse mercado busca por tíquetes a partir de R$ 200 mil. A REGERA compra o direito de consumidores e paga à vista ou no final, assumindo todo o risco de gestão do crédito. O consumidor tem a liberdade de escolher qual modelo seguir: esperar alguns anos na aposta de um ganho maior ou sair do risco de êxito e tempo e receber um valor menor. A fintech assume o risco, fica responsável por precificar, gerir e auditar o processo de recuperação do crédito do início ao fim. FONTE: REGERA
  • Cash. in mira tranformação do mercado de prêmios de incentivo e estima movimentar R$ 100 milhões até o final do ano: A Cash. In, plataforma 100% digital de prêmios de incentivo, transacionou via plataforma R$ 31 milhões, de janeiro a junho deste ano. O valor alcançado até junho é 15 vezes maior que o registrado em seu primeiro ano de operação, em 2019, quando transacionou R$ 2 milhões. A projeção para 2022 é de atingir R$ 100 milhões de reais movimentados pelo sistema.De acordo com a fundadora e CPO da Cash. in, Nani Gordon, o sucesso da empresa tem relação com um olhar de fora do mercado de tecnologia e financeiro, já que tanto ela quanto sua sócia, a CEO Luciana Ramos, são executivas originárias do segmento de varejo que decidiram fazer uma transição de carreira. FONTE: Cash. in
  • Infinitepay lança conteúdo educacional gratuito para empreendedores: InfinitePay, rede de soluções de pagamento da CloudWalk, estreia sua primeira produção educacional: uma plataforma de conteúdo gratuita para empreendedores com série digital em oito episódios, oito guias com exercícios práticos e acesso a uma comunidade própria para discutir e buscar soluções para os diversos desafios do empreendedorismo no Brasil. Apresentado pela atriz e humorista Livia La Gatto, o “Me Ajuda a Te Ajudar” é um curso online que traz, com linguagem leve e descontraída, dicas e ensinamentos sobre administração, marketing, design, vendas e finanças.Além dos vídeos, os conteúdos extras aprofundam os assuntos discutidos nos episódios. Os empreendedores que quiserem expandir sua jornada de aprendizado poderão participar da comunidade do projeto para receber mais dicas, interagir com mentores e especialistas, tirar dúvidas, conversar com outros empresários e receber benefícios exclusivos. FONTE: Infinitepay

03/08

  • Grupo FCamara apresenta seu acelerador que facilita a adesão de instituições ao Open Finance: O Grupo FCamara, ecossistema de tecnologia e inovação, marca presença na Febraban Tech, evento de tecnologia e inovação do setor financeir, apresentando ao público seu acelerador, o SaaS Open Finance, uma solução que facilita a adesão de instituições ao novo sistema financeiro aberto e oferece cobertura regulatória contínua. FONTE: FCamara
  • Bloxs Investimentos anuncia Rubens Venosa como novo Head de Originação: A Bloxs Investimentos, startup no segmento de investimentos alternativos acaba de anunciar Rubens Venosa como Head de Originação da companhia. Rubens tem graduação como engenheiro pelo Instituto Mauá de Tecnologia com MBA em Real Estate pela Poli/USP e certificado CGA pela Anbima, com mais de 15 anos de experiência profissional e passagem pela construção civil, mercado imobiliário e mercado de capitais. Com a contratação, a expectativa está diretamente relacionada ao crescimento da base de investidores adeptos do equity crowdfunding e empresas que oferecem ofertas de captações via plataformas de investimentos alternativos como a Bloxs estão se preparando para o crescimento do mercado. FONTE: Bloxs
  • Curso para captar investimento anjo: A Anjos do Brasil e o Cubo trazem a quarta turma do curso #CuboAcademy – Anjos para Founders: O que saber para captar investimento anjo com um programa completo. Serão 6 aulas com convidados começando no dia 22/08. Os especialistas confirmados no curso são Cláudia Rosa, Juliene Piniano, Reynaldo Saad, Ricardo Martinho, Victor Favaro e Vitória Oliveira. FONTE: Anjos do Brasil
  • CVM e Abrasca promovem evento sobre Metaverso e distribuem NFT: No próximo dia 15 de agosto, entre às 10h e 11 horas da manhã, a CVM promove em conjunto com a Abrasca o evento “O Metaverso e as companhias abertas”. A transmissão será pelo Zoom e pelo metaverso; as inscrições estão abertas para os interessados em participar do evento. O evento dará um NFT a cada participante inscrito, como forma de provar a presença deles, ou seja, um certificado em forma de token não-fungível. O objetivo é debater com especialistas as questões tecnológicas e jurídicas, assim como as regulatórias, sobre uso de metaverso por companhias abertas. FONTE: CVM
  • Cadastro Positivo beneficiou mais de 22 milhões de brasileiros com acesso ao crédito: Desde julho de 2019 no modelo de adesão automática, o Cadastro Positivo chega ao seu terceiro ano de vigência favorecendo 22,1 milhões com acesso ao crédito e registra penetração média nacional de 79% junto à população economicamente ativa. Os números foram divulgados hoje por Elias Sfeir, presidente da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), em evento de comemoração pelo aniversário da iniciativa, em Brasília. FONTE: ANBC
  • next conclui processo de aquisição da Aarin e lança Pix no nextShop no fim de agosto: O next concluiu, na última sexta-feira, 29, o processo de aquisição da Aarin — startup de tecnologia financeira (techfin) para e-commerce focada em embedded finance (o futuro do banking as a service (BaaS). Como primeiro resultado da aquisição, o nextShop — marketplace do next — passará a oferecer, até o fim de agosto e de forma gradual à base de clientes, o Pix como opção de pagamento aos clientes. FONTE: next
  • Cartão de crédito da Nutrien chega ao mercado do agronegócio no Brasil: Nutrien Soluções Agrícolas, distribuidora de insumos agrícolas e que está desenvolvendo varejo, lança sua própria marca no setor financeiro, o Cartão Nutrien. Lançado em parceria com a fintech Wallet, a principal finalidade do serviço é o fornecimento de crédito sem burocracia para os produtores rurais de todo o Brasil, com segurança e praticidade. A princípio, o Cartão Nutrien será disponibilizado para um grupo exclusivo de 500 clientes da região dos Cerrados Leste e Sudeste e com o limite de até R$ 250 mil. Para clientes novos e ativos, a ferramenta de pagamento poderá ser obtida no Centro de Experiências da Nutrien, mediante aprovação de crédito. FONTE: Nutrien

02/08

  • Crefaz lança app com biometria facial, anuncia nova plataforma e portal para parceiros: A Crefaz, fintech dedicada ao microcrédito, lançou o Meu Crefaz, novo app para o cliente que inclui biometria facial, entre outros recursos, versão atualizada de seu sistema de propostas e análise de crédito e um novo portal para correspondentes bancários e lojas. A nova versão do Crefazon traz um motor de decisão de crédito que usa informações de um banco dados em nuvem para analisar as informações e saber em poucos segundos se há crédito disponível para o cliente. Ele também permite inserir e acompanhar o status de propostas e exibe um leque de ofertas da Crefaz. Em breve esse sistema incluirá também serviços não financeiros de empresas parceiras. FONTE: Crefaz
  • Fintech Grana Capital fatura R$ 1,75 milhão em um ano: O aplicativo Grana Capital, parceiro da B3 para gestão do Imposto de Renda, anunciou o faturamento de R$ 1,75 milhão em 12 meses, de julho de 2021 a junho de 2022. Hoje, o app tem 105 mil usuários cadastrados e a empresa projeta um faturamento de R$ 4 milhões no próximo ano. A Grana Capital já fez duas captações de investimento na plataforma de equity crowdfunding SMU. Na primeira delas, em setembro de 2020, o valor de R$ 700 mil foi atingido em apenas quatro dias, com contrato assinado com 75 pessoas do Brasil e de outros países. Já na segunda, em junho de 2021, quatro dias também foram o suficiente para captar R$ 5 milhões, quantia máxima permitida pela CVM para tal modalidade de investimento até então. O aporte mínimo era de R$ 3 mil, e mais de 600 investidores participaram da rodada. FONTE: Grana Capital
  • Conta Simples anuncia aquisição do Hackr Ads, primeira após Série A de R$ 121 milhões: A fintech Conta Simples, que atua como um sistema operacional financeiro, unindo conta corrente, cartões corporativos e software de controle de despesas, anunciou sua primeira aquisição; o Hackr Ads, plataforma de inteligência e gestão de anúncios online na internet. O pagamento envolveu dinheiro e troca de ações, tornando os fundadores do Hackr Ads sócios e executivos da Conta Simples. A empresa adquirida atende 41 mil anunciantes e já gerenciou mais de R$ 1 bilhão em anúncios de clientes. CEO e cofundador da Conta Simples, Rodrigo Tognini explicou de que forma a aquisição, de valor não revelado, vai impactar positivamente na oferta de serviços aos clientes de ambas as empresas. FONTE: Conta Simples
  • Brasil Bitcoin disponibiliza compra automática de criptomoedas via Pix: A Brasil Bitcoin está disponibilizando uma nova ferramenta: a compra automática via Pix. A modalidade vai permitir ao cliente comprar criptomoedas pelo aplicativo do seu banco. Para realizar a compra automática basta realizar um Pix para a plataforma utilizando uma conta de mesma titularidade da Brasil Bitcoin, com o seguinte texto no campo de observação: ‘comprarapida-tagdamoeda’. A novidade já está disponível para todos os usuários. FONTE: Brasil Bitcoin

29/07

  • Wise planeja quadruplicar equipe no Brasil e mira transações instantâneas – Finsiders: A fintech britânica Wise (antiga TransferWise) – especializada em transferências internacionais – planeja quadruplicar a equipe no Brasil nos próximos 12 meses. Para suportar a ampliação do time, no início do mês, a Wise transferiu seu escritório na cidade de São Paulo para um andar inteiro em um edifício do WeWork, na região da avenida Paulista. Ao todo, a fintech tem 18 escritórios no mundo todo, com a central localizada em Londres. FONTE: Finsiders
  • BlueBenx investe mais de R$ 2 milhões em segurança cripto: A BlueBenx – plataforma multifinance conectada à blockchain – acaba de firmar uma parceria com a Fireblocks, plataforma de custódia que garante a guarda de ativos. Ao todo, a marca está investindo mais de R$ 2 milhões. FONTE: BlueBenx
  • Fintech antecipa mais de R$100 milhões em empréstimos: A iCred, fintech que facilita o acesso de clientes a crédito pessoal e empréstimos consignados, antecipou mais de R$172 milhões em empréstimos nos primeiros seis meses do ano, com os clientes utilizando o FGTS para pagamento. Atualmente, a empresa recebe, em média, 2.500 solicitações de empréstimos por dia, sendo que aprova 90% dos cadastros e 70% em até três minutos. FONTE: iCred
  • Fintech CondoConta anuncia especialista financeiro como novo CFO: A fintech CondoConta, banco exclusivo para condomínios que auxilia síndicos e gestores condominiais brasileiros na gestão financeira, acaba de anunciar Luciano Bernardi como novo diretor para cuidar da área financeira da startup. Luciano é Engenheiro de Produção Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina, atuou com executivos do mercado de Banking & Financial Services na Michael Page International e também escalou importantes empresas especializadas no mercado financeiro como BTS Partners e Arazul Capital, sendo ainda sócio da Arazul. FONTE: CondoConta
  • Fiserv lança programa de franqueados Bin com metodologia proprietária: Fiserv, empresa global em pagamentos e tecnologia de serviços financeiros, apresenta seu novo Programa de Franqueados para expandir a oferta de adquirência para mais negócios e possibilitar uma oportunidade de carreira e lucratividade aos franqueados. Ao manifestar interesse, o potencial franqueado passa primeiro por uma entrevista com um colaborador direto da Bin e depois por uma verificação de antecedentes e de documentação. FONTE: Fiserv

28/07

  • Nubank chega a 5 milhões de clientes investidores ativos em suas plataformas: O Nubank já totaliza cerca de 5 milhões de clientes investidores ativos em suas plataformas. Destes, quase 4 milhões são clientes com investimentos concentrados dentro do app do Nubank, que já oferece todos os principais produtos de investimentos como renda fixa (CDBs pré e pós-fixados), fundos de investimentos e renda variável (ações, BDRs, ETFs e FIIs). Os demais investiram na prateleira de produtos disponível no app ou site da NuInvest, sendo que parte dos clientes mantém investimento nas duas plataformas. O total de clientes com investimentos representa um crescimento de aproximadamente 150% no período de pouco mais de um ano após a empresa concluir a aquisição da Easynvest e anunciar a criação da NuInvest e acompanha diversificação do portfólio de produtos. Houve um salto de 2 milhões de clientes investidores, em junho de 2021, para 5 milhões no mesmo mês deste ano.
  • Volume total de depósitos elegíveis à garantia do Fundo Garantidor de Créditos tem crescimento de 1,86% em junho: O Fundo Garantidor de Créditos publicou o Censo Mensal de junho. Segundo o levantamento, o volume total de depósitos elegíveis à garantia ordinária, que são créditos provenientes de produtos como depósitos à vista, a prazo — como RDB, CDB –, poupança, Letras de câmbio, entre outros, teve crescimento mensal de 1,86%, o que representa um incremento de R$ 64,8 bilhões no período analisado. Ainda de acordo com o censo, os depósitos a prazo como CDB, RDB, entre outros tiveram um aumento anual de 13,81%, o que representa um aumento de pouco mais de R$ 224,3 bilhões em investimentos nestes produtos. Para acessar o Censo Mensal de junho de 2022 e de outros meses, clique aqui.
  • Dr.Cash contrata Neto Cavalcante como CGO: Neto Cavalcante atuou em diversas empresas ao longo de sua carreira, entre as quais se destacam o cargo de CEO na Agência Bravato. Ele ainda passou pelas empresas BRBCARD, Subadquirente Orbes e R2 liderando time em busca de melhoria de processos e desenvolvimento de novos negócios. Na posição, Cavalcante irá liderar as funções de Pesquisa & Desenvolvimento, Marketing, Insights do Consumidor e Inovação.
  • Campanha destaca integração de investimentos no novo app Invest+ Bradesco: O Bradesco lançou ontem (27/7), no intervalo do Jornal Nacional, campanha para divulgar o seu novo aplicativo de investimentos, o Invest+ Bradesco. O filme explora as vantagens do cliente ter a possibilidade de visualizar em um único lugar seus investimentos, ainda que estejam em bancos e corretoras diferentes, além de reforçar a facilidade de uso da plataforma. O vídeo de 30 segundos traz situações do cotidiano em que pessoas buscam conveniência e praticidade e mescla uma narração que apresenta o aplicativo Invest+ Bradesco com pensamentos dos personagens sobre a novidade, como “legal não precisar mais acompanhar uma aplicação no banco e outra na corretora” e “é incrível ter o controle de tudo num único app.” Para ver a campanha, clique aqui.

27/07

  • CVPAR lança banco digital para gamers – A CVPAR, gestora de recursos com foco em fundos estruturados, está investindo R$ 10 milhões no lançamento de um banco digital. O CVPAY nasceu do intuito de transformar e expandir a operação analógica de créditos da área de investimentos do grupo, além de aumentar o escopo de atuação do crédito com abertura de novas linhas de negócios, como o microcrédito pessoa física e crédito consignado privado. A empresa prevê um faturamento de R$ 100 milhões, ainda no primeiro ano, e quer alcançar 500 mil contas cadastradas. Entre os serviços disponibilizados estão crédito consignado privado, consignado público, microcrédito pessoa física e jurídica, crédito com garantia real, além de PIX, TED, conta corrente e recargas. O banco contará, ainda, com uma frente voltada ao mercado gamer, com benefícios como as linhas de crédito exclusivas para esses clientes — para uso dentro dos jogos –, e linhas de microcrédito atrativas para o microempresário. Segundo o relatório global de mercado da consultoria Newzoo, o setor em 2021 faturou mais de R$ 170 bilhões, com expectativa de ultrapassar os R$ 200 bilhões este ano. E o primeiro passo da empresa para este mercado é o investimento no maior evento gamer da américa latina, o UCCONX, que ocorre ainda esse mês, em São Paulo. O festival trará notoriedade à CVPAY aos quase 300 mil participantes e futuros consumidores do crédito gamer. Além disso, a empresa fechou parceria com a BBL, holding de entretenimento que reúne e conecta todos os elementos do universo gamer, que será o agente intermediador entre o banco e o publisher que administra os jogos. Por meio dessa parceria, a CVPAY conseguirá classificar os jogos, além de avaliar os riscos de cada usuário. “A indústria é extremamente promissora e nossa visão de futuro é transformar a CVPAY em um Banco Digital inovador e agregador, sendo o primeiro a oferecer crédito para os clientes gamers, além de fomentar linhas de crédito acessíveis ao microempresário, em especial para o do Nordeste”, comenta Cláudio Vale, CEO da CVPAR. Fonte: CVPAR
  • Belvo passa a agregar dados de recebíveis de cartão de varejistas – Com a ferramenta, instituições financeiras, ERPs e marketplaces poderão acessar dados detalhados de cada transação feita através de uma máquina de cartão de crédito e ter uma visão mais completa do fluxo de caixa de seus clientes de varejo. O acesso a dados de recebíveis representa um avanço significativo para plataformas de ERP, que poderão obter informações de transação em máquinas de cartão de crédito diariamente e conciliar as operações de seus clientes em uma única solução, oferecendo uma visão unificada. Para o estabelecimento, isso facilita organizar seu fluxo, diminuindo a dependência das operadoras, ganhando agilidade e até mesmo potencializando a detecção de fraudes. Ainda, o processo de coleta de informações se torna mais atualizado e menos sujeito a erros manuais, economizando tempo e recursos tanto para a empresa quanto para a plataforma nesta etapa. Fonte: Belvo
  • SumUp Tap –  SumUp Tap, solução que transforma smartphones em “maquininhas de cartão”, deve ser oficialmente lançado em poucas semanas. Em fase de testes, o novo produto permitirá aos clientes da fintech — especialmente os donos de negócios bem pequenos — reduzir custos operacionais, pois poderão aceitar pagamentos sem a necessidade de uma maquininha. No Brasil desde 2013, a SumUp, fintech de maquininhas de cartão, “está se transformando em um ecossistema completo de produtos para entregar mais valor aos micros e pequenos empreendedores brasileiros”, diz Ana PAvoni, diretora de produtos. Entre os que fazem parte do portfólio da fintech, destacam-se a conta digital pelo SumUp Bank, antecipação de recebíveis, empréstimos e links de pagamento, entre outros. Fonte: SumUp

 

Ana Pavoni, SumUp
  • Fintech Voltz amplia oferta de produtos – Com pouco mais de um ano de existência, a Voltz, fintech da Energisa que nasceu como uma conta digital para os clientes das distribuidoras do Grupo, já desenvolveu mais de uma dezena de outras oportunidades de negócios no segmento de energia, no qual o grupo atua há 117 anos. O exemplo mais óbvio é a oferta de crédito para pagamento de contas de energia em atraso, que aumentaram durante o período da pandemia. As soluções passam também por antecipação de recebíveis para os mais de 20 mil fornecedores do Grupo em quase todo o país e até pela participação em operações estruturadas de M&A do grupo, que pretende investir R$ 5,6 bilhões e já realizou três aquisições esse ano. “A Voltz nasceu dedicada a incluir financeiramente clientes do ecossistema de distribuição de energia pela abertura de contas digitais para pessoas físicas e jurídicas. Evoluímos para uma plataforma de serviços financeiros que oferece aos clientes serviços como cartão de crédito (virtual e físico), crédito para pagamento de contas, antecipação de recebíveis e até soluções de crédito em operações estruturadas de M&A”, afirma Daniel Orlean, co-CEO da Voltz. Aproveitando as sinergias com o Grupo Energisa, uma das frentes de atuação da startup de contas digitais está voltada para a captação de recebíveis dos mais de 20 mil fornecedores do Grupo, que encerrou o primeiro trimestre de 2022 com R$ 7 bilhões em caixa. A fintech auxilia o grupo do qual recebe investimentos anuais – em 2022 somam R$ 5,6 bilhões para o grupo, montante 49% maior do que o realizado em 2021 – bem como aportes de investidores, além de manter a saúde financeira em frentes que vão desde a queda na inadimplência – em 12 meses a taxa divulgada pelo grupo no 1T2022 foi de cerca de 1% – à melhora do EBITDA. Fonte: Voltz
  • Movile promove executivos – A Movile, investidora de longo prazo em empresas de tecnologia na América Latina, anuncia a promoção de quatro executivos do seu quadro de liderança. Silvia Motta e Fábio Massuda se tornam Diretores Executivos, sendo co-responsáveis por investimentos e gestão de todo o portfólio da companhia. Cedric Faustino passa a ser Diretor de Estratégia e M&A na área liderada por Silvia, que engloba atualmente logtechs, eventos e games. Os três, juntamente com Sergio Meirelles, Carolina Tencer, Isabelle Hirayama e Michel Heilborn, lideram a construção e execução de novas teses de investimento. Além deles, Gustavo Galli assume a posição de Diretor de FP&A e RI, e passa a encabeçar a recém-criada área de Relações com Investidores (RI). O objetivo é estreitar o relacionamento da Movile e suas investidas com o mercado de capitais. O executivo continua cuidando do planejamento e análise financeira da companhia e das empresas do portfólio. Fonte: Movile
  • A fintech CondoConta, banco exclusivo para condomínios que auxilia síndicos e gestores condominiais brasileiros na gestão financeira, contratou nesta semana um novo diretor para cuidar da área financeira da startup. A empresa conta agora com Luciano Bernardi, novo Chief Financial Officer (CFO). Luciano é Engenheiro de Produção Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina, atuou com executivos do mercado de Banking & Financial Services na Michael Page International, maior consultoria de RH do mundo, e também escalou importantes empresas especializadas no mercado financeiro como BTS Partners e Arazul Capital, sendo ainda sócio da Arazul. Antes de assumir o cargo oficial de diretoria, Luciano já atuava com advisor de funding, risco e crédito, tendo participado das duas estruturas importantes de capital para o mercado condominial lançadas pelo banco CondoConta, um FIDC no valor de R$50 milhões com a Galápagos Capital e Debêntures no valor de R$20 milhões com a Empírica, somando R$70 milhões para financiar os condomínios que desejavam realizar melhorias e garantir fluxo de caixa saudável eliminando a inadimplência. Fonte: CondoConta

26/07

  • Credz capta mais de R$ 400 milhões via FIDC: A Credz, fintech do varejo com mais de 550 redes varejistas parceiras pelo país, c concluiu a captação da 7ª série do Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC), no valor total de R$ 400 milhões. Além dessa captação, a Credz arrecadou nesse mesmo período mais de R$ 350 milhões em operação de financiamento com os bancos Credit Suisse e Modal. Os recursos, segundo a companhia, têm o objetivo de lastrear os investimentos para o crescimento e expansão nacional das operações, bem como para a conquista de novos parceiros varejistas e manutenção dos investimentos em inovações tecnológicas, financeiras e de marketing.FONTE: Credz
  • Nubank atinge marca de 1 milhão de clientes de criptomoedas: O Nubank, plataforma digital de serviços financeiros, alcançou 1 milhão de clientes na compra de criptomoedas no Brasil. A marca foi atingida menos de três semanas após a experiência, anunciada na primeira semana de maio, ser disponibilizada para toda a base de usuários no país no fim de junho. O produto é operacionalizado em parceria com a Paxos, líder de infraestrutura de blockchain, que atua como provedora de liquidez e realiza a custódia das criptomoedas. FONTE: Nubank
  • Fintech chilena prevê fechar 2022 com US$ 150 milhões em créditos no Brasil: A Creditú, fintech chilena de empréstimos hipotecários que iniciou suas atividades no Brasil em 2021, planeja fechar o ano de 2022 com aproximadamente US$ 150 milhões em originação de crédito ao setor. “Conseguimos oferecer esses diferenciais porque realizamos um processo minucioso de análise de comportamento do cliente ao longo do período de um ano de acordo com a sua movimentação bancária, avaliando saídas e políticas de gastos”, explica Muñoz. Até o momento, os países com operação são Peru, Brasil, México e Chile – onde está sua sede principal. Atualmente, as operações fora do Chile  representam 20% do total de negócios da entidade de tecnologia, sendo que no Brasil e México, a empresa iniciou atividades em 2021. Nesse sentido, Muñoz indicou que, dado o potencial dos dois países, a meta é que, em 2026, 60% das operações da Creditú venham de fora do Chile. Atualmente, as operações fora do Chile representam 20% do total de negócios da entidade de tecnologia, sendo que no Brasil e México, a empresa iniciou atividades em 2021. FONTE: Creditú

25/07

  • Monett lança algoritmo para traders de bitcoin: A casa de análise de investimentos Monett acaba de lançar um algoritmo de trading de Bitcoin, o Habbit 0.2, para trazer mais assertividade aos day traders de criptomoedas. A ferramenta inovadora dá até oito sinais de compra e venda do criptoativo por dia, em tempo real, e, segundo a Monett, tem 80% de índice de acerto. O acesso aos sinais do Habbit é gratuito, basta entrar no grupo do Telegram do algoritmo o trader realizará as operações em sua corretora de preferência. O próprio sistema de inteligência artificial se encarrega de enviar os alertas para negociações. Em uma semana de funcionamento, o Habbit já contabiliza mais de 2.800 inscritos. “Ficamos felizes por conseguir ajudar os traders a investir com maior precisão e mais embasamento técnico, sem que precisem pagar por isso”, diz Olivia Alonso, CEO da Monett. FONTE: MONETT
  • BB desembolsa mais de R$ 10 milhões em crédito pelo WhatsApp: Já foram contratados mais de R$ 10 milhões em crédito pessoal pelo WhatsApp, com uma jornada de contratação inteiramente dentro da conversa com o assistente virtual do Banco do Brasil. Além disso, 74% dessas contratações foram realizadas por clientes que não haviam contratado crédito com o BB. A solução não é exclusiva para novos contratos. Clientes que já possuem empréstimo contratado também podem acompanhar o extrato das suas operações pelo WhatsApp. Até o final deste ano, a oferta de produtos de crédito pessoal será ampliada, contemplando crédito consignado, crédito antecipação de restituição de IR, crédito 13º salário e crédito veículo. FONTE: BB
  • OneConnect lança solução BaaS baseada em Pismo: OneConnect, empresa de tecnologia como serviço e associada ao grupo Ping An anuncia o lançamento da OneCosmo, plataforma de soluções para bancos digitais desenvolvida em conjunto com a Pismo, empresas de software-as-a-service (SaaS) para bancos e fintechs. A novidade permite que clientes façam a integração completa em apenas algumas semanas graças às funcionalidades pré-integradas e pré-configuradas da solução. Além de oferecer análise do comportamento dos usuários em tempo real, a a plataforma é flexível para compor com sistemas legados, oferecendo às instituições financeiras a liberdade de customizar sua gama de soluções de acordo com suas necessidades individuais. Atualmente, OneCosmo está disponível nos países do Sudeste Asiático incluindo Tailândia, Malásia, Indonésia, Filipinas e Singapura com perspectiva de ampliação da oferta para o Oriente Médio. FONTE: ONECONNECT
  • Plataforma de pagamentos global Nuvei investe em operação no Brasil: A Nuvei, uma provedora global de soluções para meios de pagamento, de origem canadense, faz sua estreia no Brasil nos dias 26 e 27 de julho, durante o Fórum E-commerce Brasil, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. “A operação no Brasil envolve a oferta aos clientes de soluções de pagamento com cerca de 30 opções distintas: dinheiro, boleto, transferência bancária, PIX, pagamentos por aplicativos, vouchers e carteiras virtuais, só para citar alguns exemplos” explica Rafael Lavezzo, vice-presidente comercial da Nuvei América Latina. FONTE: NUVEI

22/07

  • BB anuncia três novas soluções em APIs – O Banco do Brasil segue avançando no desenvolvimento de APIs. Desde o final de junho, três novas soluções estão disponíveis no Portal do Desenvolvedor. A API de Validação de Contas, a API BB Pay e a API Login BB. A API de Validação de Contas permite verificar se determinada conta corrente do BB está ativa ou não. Também permite verificar se o CPF/CNPJ informado pertence ao titular da conta. Assim, uma empresa pode validar os dados bancários de um fornecedor, por exemplo, antes de realizar um pagamento ou transferência. Já a API BB Pay é uma solução que permite o recebimento de valores por intermédio de diversos meios de pagamento, simplificando a conciliação destes para o recebedor. Ao se integrar com o BB Pay, o cliente pode habilitar qualquer um deles para disponibilizá-los a um cliente (pagador), conforme a necessidade de seu negócio e da venda em questão. Um exemplo de uso é para lojas que vendem online.  O BB Pay oferece uma integração que permite à empresa oferecer um ambiente seguro de pagamento, para o pagador e para si. No momento, há opção de pagar com Pix. Em breve serão disponibilizadas as opções de boleto e cartão de crédito. Por fim, a API Login BB possibilita que clientes do Banco acessem serviços em sites e aplicativos de parceiros utilizando as credenciais do BB (agência, conta e senha). É uma solução que já é utilizada no portal gov.br, por exemplo, agora aberta e disponível no Portal Developers BB. Fonte: BB
  • Bloxs anuncia nova executiva – A empresa acaba de anunciar Larissa Ferreira como nova Business Developer de Relacionamento Corporativo. Larissa é  economista com ênfase em Estratégia de Investimentos pela FECAP. Com atuação no segmento bancário desde 2014, tem passagens pelo Banco Pine, Banco ABC e Safra Asset Management, onde desenvolveu principalmente atividades relacionadas a crédito bancário e fundos de investimentos. Acredita na força do espírito empreendedor, alinhado com uma boa educação financeira, para a construção de um novo mercado de capitais. A nova executiva terá terá como desafio  promover relacionamentos estratégicos com grandes empresas para demonstrar como o Grupo Bloxs (composto pela Bloxs Investimentos, Bloxs Capital, Bloxs for Business e Bloxs Asset) se consolida como uma plataforma de operações estruturadas para o Mercado de Capitais, com um ecossistema de empresas que buscam acesso a capital, assessores financeiros e investidores institucionais tornando a empresa a mais adequada para atender as novas regras da CVM.
Larissa Ferreira
  • Fintech Tiba lança solução de gestão financeira para PMEs – Pequenos empreendedores brasileiros passam a ter, a partir de julho, um novo aliado na gestão financeira de seus negócios. Com foco em varejistas com lojas físicas e optantes pelo Simples Nacional, a Tiba passa a operar no Rio, Goiânia e Brasília com uma solução de software, nas versões mobile e web, que inclui gestão de estoque e de vendas, controle de caixa e contas a pagar e a receber. Em um segundo momento, a fintech ainda vai agregar contabilidade, folha de pagamento, conta digital e crédito. No país, cerca de 5,5 milhões de micro e pequenas empresas se encontram negativadas, segundo levantamento recente da Serasa Experian. A proposta da empresa, no entanto, chega como alívio e visa facilitar a vida de pequenos empreendedores que, muitas vezes, trabalham sozinhos e não dispõem de tanto tempo para gerenciar todo o fluxo de atividades que envolvem o negócio. Sem concorrentes no mercado com capacidade de integrar todas essas funcionalidades em uma única tela, no caso da gestão pelo celular, a Tiba aposta que pode convencer as Pequenas e Médias Empresas (PMEs) a finalmente abandonarem sistemas analógicos, como o papel e a caneta.

20/07

  • Turn2C agora tem um banco digital – A Turn2C, uma solução de inteligência artificial (IA) para o mercado de consórcio, anuncia a oferta de uma  conta digital para sua rede de agentes. O novo serviço é resultado da parceria com o banco digital Letsbank, plataforma Banking as a Service (BaaS) focada no segmento de pequenas e médias empresas. A partir do dia 20 de julho, os empreendedores que já têm acesso à solução da Turn2C poderão abrir e transacionar uma conta digital PJ sem custo, diretamente na plataforma da fintech de Consórcio Inteligente. De acordo com o fundador e CEO da Turn2C, Bruno Pinheiro, a iniciativa faz parte da estratégia de negócios da fintech em desenvolver soluções e serviços para ajudar os vendedores do mercado de consórcio. “Por meio da tecnologia, estamos transformando o segmento de consórcios, desde o produto até quem vende e, por isso, vamos cada vez mais apoiar o micro, pequeno e médio empreendedor com produtos que o ajudem na gestão dos negócios”, comenta Pinheiro. Para Marcelo Bella, CEO  do Letsbank, a empresa busca fortalecer e apoiar o empreendedorismo no País através de suas parcerias . “O nosso objetivo é facilitar os negócios para quem quer empreender Integramos soluções financeiras em ecossistemas, para que o cliente tenha, em um único canal, a experiência completa: ele poderá abrir uma conta digital PJ em apenas alguns cliques e realizar toda a sua gestão financeira na mesma plataforma que ele usa para vender”, ressalta Bella. Fonte: Turn2C
  • TecBan entra em novos mercados com a Serviços Integrados – A TecBan, dona do Banco24Horas, acaba de anunciar sua entrada em novos mercados, com a Serviços Integrados TecBan. A empresa oferece soluções integradas de gestão, manutenção, infraestrutura e logística. Além disso, a companhia possibilita a contratação de projetos completos para obras civis e manutenção predial, disponibiliza soluções customizadas em field service, revitalização, monitoração e descarte sustentável de equipamentos, entre outras soluções. A empresa conta com uma ampla infraestrutura, composta por 20 centros de distribuição, 17 pontos de logística avançados, 12 laboratórios de reparos e 12 centros de revitalização, distribuídos por todas as regiões do País, onde revitalizamos e reparamos milhares de equipamentos e peças anualmente. A perspectiva da Serviços Integrados TecBan para o próximo ano é crescer 30% em relação ao ano anterior. Fonte: TecBan
  • Recompensas e tempo de operação são barreiras para Pix como meio de pagamentos, diz estudo da Capco –  Prático, rápido e eficiente, o Pix se popularizou entre os usuários de serviços bancários no Brasil, principalmente entre o público mais jovem. Mas, o estudo “Pix no Brasil: Cenário e Oportunidades” da Capco, consultoria global do Grupo Wipro – especializada na gestão e tecnologia dedicada ao setor de serviços financeiros, mostra que apesar da grande aceitação e eficiência em transferências de dinheiro, o Pix precisa de alguns ajustes para atingir todo seu potencial como meio de pagamentos no varejo. Esses ajustes incluem, por exemplo, fatores como o tempo para realização das operações e a falta de recompensas do sistema, como acontece com os cartões de crédito. A Capco entrevistou cerca de 1.000 pessoas em todo o Brasil, além de pequenos e médios empreendedores das principais capitais do país. Vários insights foram obtidos no levantamento. Um dos principais é o de que 66% dos entrevistados disseram preferir fazer pagamentos com cartões de débito ou crédito ao invés de Pix principalmente por causa dos sistemas de recompensas. Um total de 82% dos entrevistados indicou que prefere pagar com cartão de crédito por causa do programa de fidelidade e 70% migraria para o Pix apenas em troca de descontos ou cashback. “Alguns entrevistados relataram que ao pagarem com Pix, estão assumindo um processo que antes era feito pela loja ou comércio. Afinal, o celular e a internet usados durante o pagamento são de responsabilidade dos clientes. Por isso, esperam que sejam recompensados por assumir este novo papel através de algum tipo de desconto, cashback ou pontuação”, explica Mathias Mattos, consultor da Capco Brasil. Fonte: Capco

19/07

  • Pluggy passa a oferecer solução no code para implementação do Open Finance – A Pluggy, fintech especialista na captura e enriquecimento de dados financeiros do Open Finance, passa a oferecer o serviço de implementação do sistema open por meio da tecnologia no code. Bruno Loiola, cofundador da Pluggy, explica que a implementação dessa tecnologia foi uma necessidade percebida em conjunto com seus clientes que sempre envolviam amplos esforços de diversas equipes para colocarem seus primeiros projetos de open finance no ar: ”Sempre priorizamos pela entrega de um serviço que resolve as principais dores dos nossos clientes e o no code traz isso. Notamos em projetos desenvolvidos por grandes empresas que era necessária uma solução que simplificasse a implementação de uma experiência de compartilhamento e o consumo dos dados do open finance. Com o Pluggy No Code nossos clientes podem se beneficiar do Open Finance sem sequer envolver seu time de tecnologia”, explica Bruno. Fonte: Pluggy
  • Somapay cresce em capilaridade com o Banco24Horas – A Somapay, plataforma digital cearense que simplifica processos de folha de pagamento e abertura de conta para colaboradores, ingressou no HubDigital do Banco24Horas em dezembro de 2019. Desde então, são mais de R$ 1 milhão de saques, mais de 341 mil operações de consulta de saldo e mais de 14 mil operações de saque digital realizadas por clientes da fintech nos mais de 24 mil caixas eletrônicos do Banco24Horas, espalhados por todo o Brasil. Agora, a parceria entre a Somapay e o HubDigital será ampliada com a oferta de novas funcionalidades, como o saque via cartão de crédito, troca de senha, desbloqueio de chip, depósito digital via QR Code, API de geolocalização, estorno online, marketplace de numerários (gestão e melhorias de conta gráfica para entrega de numerários) e a utilização dos pontos de saque no comércio.  Fonte: Somapay
  • Modal as a Service anuncia parceria com a Bee Delivery – O Banco Modal, por meio de sua vertical de serviços financeiros Modal as a Service (MaaS), acaba de anunciar uma parceria com a startup de logística Bee Delivery, que conecta empresas a entregadores. Esse é um importante passo na consolidação da vertical como um ecossistema completo de soluções para os mais variados perfis de parceiros. No caso específico da Bee, a startup de logística oferecerá aos seus clientes e colaboradores soluções de crédito, propiciando a modernização e expansão de negócios, e de seguros, ampliando a cobertura contra eventuais danos, entre outras opções existentes na plataforma. A partir do segmento “como um serviço”, o Modal promove uma maior flexibilidade e mobilidade à Bee Delivery e aos seus demais parceiros, dos mais diversos setores da economia. Fonte: Modal
  • Conta Azul libera nova função : emissão de nota fiscal de importação – A Conta Azul, ERP que oferece um software de gestão financeira para empreendedores e empresas contábeis, liberou uma nova funcionalidade para os usuários. Além de organizar toda a saúde financeira do negócio, a plataforma agora permite a emissão da nota fiscal de importação, de forma simples e segura. O cliente pode adicionar todas as informações da nota, como impostos, seguro e frete, e ter o cálculo final da nota de forma automática. “Com o lançamento da NF de importação, nossos clientes não vão mais precisar de nenhum controle ou sistema paralelo, tudo funciona de forma integrada, rápido e simples. Todas as informações são adicionadas para emissão da nota, os impostos são calculados e destacados automaticamente, incluindo seguro e frete das mercadorias, economizando tempo e garantindo a consistência das informações, sem os erros de um processo manual. Depois de emitido a nota também é possível gerar a compra, movimentando as quantidades de estoque automaticamente, gerando os lançamentos financeiros e os dados fiscais e contábeis para o contador em tempo real”, definiu Neto Rodrigues, diretor de engenharia da Conta Azul. Fonte: Conta Azul

15/07

  • C6 Bank oferece assessoria automatizada na área de fundos – O C6 Techinvest, serviço de
    assessoria do C6 Bank, acaba de lançar o C6 TechInvest Fundos. A nova opção, que opera de
    forma totalmente automatizada, sem a participação de consultores, conta com carteiras
    compostas por fundos de renda fixa, ações e multimercado. O peso dos ativos em cada carteira é
    pensado para que as três modalidades atendam adequadamente aos diferentes perfis de risco. “O
    C6 TechInvest Fundos foi criado para atender clientes que querem diversificar investimentos, mas
    não têm tempo ou conhecimento suficientes para gerir seus portfólios sozinhos”, comenta o head
    de investimentos Igor Rongel. A taxa de serviço das carteiras do C6 TechInvest Fundos é de 0,5% e não há taxa de performance. O prazo de resgate das carteiras de nível 1 e nível 2 é de três dias úteis e o da carteira de nível 3 é de 33 dias úteis. O valor mínimo da aplicação inicial e da permanência é de R$ 5 mil. Os aportes seguintes podem ser de valores a partir de R$ 1 mil. FONTE: Pecan Comunicação
  • Agi inicia atendimento em Libras – O Agi, que opera uma plataforma de serviços financeiros,
    lança um canal de interação com seu público em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. O
    atendimento, prestado pela empresa especializada Pessoalize, é feito por vídeo, em link
    disponível no site agi.com.br , ou nas quase 900 lojas da Agi espalhadas pelo país, com oauxílio
    de um consultor. Para a implementação do serviço, foi formado um time composto por profissionais surdos e também por intérpretes ouvintes, que ficarão responsáveis por atender e incluir toda a pessoa que entrar em contato com o Agi para resolver as mais diversas demandas. A parceria entre o Agi e a Pessoalize vai garantir ainda mais inclusão digital e financeira para milhares de brasileiros não atendidos pela maioria das instituições. “Nossa missão, além de levar acessibilidade, é trazer
    oportunidades de carreira para profissionais surdos e ouvintes da área de Libras, criando um
    ambiente com formação de líderes para ocupar espaços como supervisores, monitores,
    coordenadores e gerentes, onde as oportunidades sejam iguais para todos”, afirma Edy Pereira,
    head de Libras da Pessoalize. Para usar o serviço basta acessar o site do Agi, clicar no link “Atendimento em libras”, no rodapé da página, e aguardar o direcionamento para um profissional capacitado para atendimento por vídeo. O novo canal vai funcionar de segunda à sexta-feira, das 8h às 20h, sem necessidade de agendamento. FONTE: Danthi Comunicações
  • Bluebenx expande oferta de criptoativos – A Bluebenx está reforçando o cardápio de sua
    plataforma de serviços conectada à Blockchain. Nesta semana, a fintech paulista, em atividades
    desde 2015, colocou à disposição de seus usuários mais 14 criptoativos, elevando o total de
    opções para mais de 60. A lista de novidades inclui, entre outros, Klaytn (KLAY), Tezos (XTZ),
    Maker (MKR), Chiliz (CHZ), Helium (HNT). Dois dos destaque do pacote são a KLAY e a Chiliz. Lançada há dois anos em Singapura, a primeira é uma blockchain pública focada no metaverso, gamefi e economia criadora que vem se se tornando referência no mercado sul-coreano. Já Chiliz é a principal moeda digital para esportes e entretenimento do provedor FinTech de mesmo nome, com sede em Malta. Ela opera a plataforma de entretenimento esportivo baseada em blockchain Socios, que permite que os usuários participem da governança de suas marcas esportivas favoritas. FONTE: Motim.cc

14/07

  • Flourish FI contemplada por fundo de inovação – A Flourish FI, fintech fundada na Califórnia e
    com sede no Brasil, é uma das oito vencedoras globais da rodada inaugural de concessões do
    Innovation Fund da Strive Community. A plataforma digital de engajamento para instituições
    financeiras receberá uma parcela do fundo de US$ 1 milhão.
    A Strive Community é uma iniciativa filantrópica global lançada pelo Mastercard Center for
    Inclusive Growth em colaboração com a Caribou Digital. O objetivo do projeto é fortalecer a
    resiliência e apoiar o crescimento de pequenas empresas, que respondem por 70% do emprego
    total em todo o mundo, índice que sobe para 90% em países de baixa renda.
    Os outros sete contemplados pelo fundo, escolhidos entre mais de 650 candidatos em todo o
    mundo, são os seguintes: a sul-africana XR Global, também com atividades no Brasil; a Open
    Contracting Partenershi; dos EUA e da Colômbia; o Fundes, do México, Guatemala, Peru e
    Colômbia; a ChatGenie, das Filipinas; a BoosCapital, do Cambodja; a Novek, do Quênia; e a
    Boos Technology, da África do Sul e Nigéria. FONTE: Flourish FI
  • Vanq prepara serviço de unificação de cartões de crédito – A fintech mineira Vanq prepara-se
    para lançar na primeira semana de setembro a operação piloto do serviço de unificação e gestão
    simplificada de cartões de crédito. O objetivo é atender usuários de três ou mais cartões que
    desejam diminuir a quantidade de tarjetas na carteira, simplificando o controle sobre seus gastos.
    A startup já conta com mais de 50 mil clientes pré-cadastrados interessados em usar seus
    serviços, além de registrar o crescimento médio de dois mil e quinhentos novos interessados por
    semana, apenas por meio de divulgação nas redes sociais.
    “Vamos iniciar as operações do aplicativo com cerca de 300 usuários, para análise dos ajustes
    necessários na operação. Esse teste deve durar entre três e quatro meses. Depois disso,
    queremos crescer de forma consistente a partir de janeiro de 2023”, informa Daniel Cária, CEO e
    sócio-fundador da Vanq. FONTE: Vanq
  • Favela Brasil Xpress expande aliança com Riachuelo – A Savela Brasil Xpress, primeira
    empresa a realizar IPO na Bolsa de Valores das Favelas, uma parceria do G10 Favelas e Divi
    Hub, está ampliando a sua parceria com a Riachuelo. Depois de entregar 6,5 mil pacotes nas
    principais comunidades do Estado de São Paulo (Paraisópolis, Heliópolis, Diadema, Cidade Júlia
    e Capão redondo), durante um projeto piloto que se estendeu por sete meses, a empresa paulista
    se prepara para atuar em mais 50 favelas espalhadas pelo Brasil.
    “Os moradores de favelas estão bloqueados para o e-commerce brasileiro, sem CEP, em meio ao
    mercado digital que cresce cada vez mais. Daí surge a nossa solução de desbloquear e
    democratizar o acesso para moradores de favelas”, afirma Giva Pereira, CEO da Favela Brasil
    Xpress. FONTE: G10 Favelas

13/07

  • Novata francesa tem aporte de € 12,4 milhões – Com apenas sete meses de trajetória, a fintech francesa Hero, voltada a pagamentos no segmento empresarial, recebeu um aporte de € 12,4 milhões, em rodada liderada pela Paua Ventures, Embedded Capital e Rapyd Ventures. O carro-chefe da startup é uma plataforma que presta serviços procure-to-pay para os clientes e de order-to-cash para os fornecedores de pequenas e médias empresas (PMEs). “A Hero começou como intermediária em transações B2B, assumindo o risco financeiro e de crédito de ambas as contrapartes e ajudando-as a otimizar seus fluxos de caixa”, declarou o fundador Roland Jais-Nielsen. “Percebemos rapidamente que a redução do custo de transação para as PMEs também permitia a centralização de todos os canais de vendas e métodos de pagamento, a integração de terceiros e a automação de ponta a ponta. Construímos o Hero em torno dessa visão holística.” FONTE: FinTech Magazine
  • Cumplo chega ao Peru – A Cumplo, plataforma de crédito com operações no México e no Chile, está desembarcando no Peru. O objetivo da fintech é liberar ate US$ 5 milhões para pequenas e médias empresas (PMEs) peruanas, que, embora respondem por 99,5% do universo corporativo da nação do Pacifico, só tem acesso a 22% das transações locais de crédito. Os indicadores da fintech são expressivos. Sua carteira soma cerca de US$ 1,4 bilhão em operações com mais de cinco mil empresas latino-americanas.  “Um relatório do Banco Mundial de 2021 menciona que as PMEs peruanas padecem de limitações de crédito”, declarou Nicolás Shea, o fundador da Cumplo. “Veos essa sitauação como uma oportunidade para garantir às PMEs maior participação no sistema financeiro.” FONTE: Axisnegocios.com
  • Zazuu recebe injeção de rapper – A Zazuu, fintech britânica que atua no segmento de pagamentos internacionais para a África subsaariana, anunciou nesta quarta-feira um aporte de US$ 2 milhões de seis investidores, entre os quais o rapper Tinie Tempah. Criada em 2020, a plataforma permite a identificação das menores taxas de transferência de recursos de nove países da Europa e das Américas para 11 nações africanas, casos de Nigéria, Camarões, Gana, Costa do Marfim e África do Sul. “Queremos dar aos clientes uma visão panorâmica e transparente para que, pela primeira vez, eles possam ver todas as opções em um só lugar, incluindo tarifas, velocidade e avaliações”, declarou o CEO Kay Akinwunmi. A intenção da empresa é utilizar parte dos US$ 2 milhões recém-injetados na ampliação do Pague com Zazuu. O serviço permite aos usuários realizar transferências diretas do Reino Unido para Nigéria e Gana. FONTE: Techcrunh.com

12/07

  • Fintechs se aproximam de Petro – As fintechs colombianas encontraram um bom mote para
    ganhar as atenções do presidente eleito Gustavo Petro, que se tornará, em 7 de agosto, o
    primeiro chefe de Estado de esquerda do país. Segundo levantamento da Colombia Fintech, 76%
    da população financeiramente ativa recorre às 322 startups do gênero. A maior parte desse
    contingente é especializada em crédito digital (33,11%), pagamentos digitais (26,42%), finanças
    empresariais (10,37%), regulação (9,36%), finanças pessoais e investimentos (8,63%).
    Depois da entrega desse cartão de visitas “popular”, a entidade reencaminhou a Petro, na última
    segunda-feira (11/07), cinco demandas que haviam sido apresentadas a ele e ao candidato
    derrotado no segundo turno das eleições, Rodolfo Hernández. A lista inclui um marco legal de
    criptomoedas e criptoativos, a regulamentação das instituições de crédito digital e a inclusão das
    fintechs na agenda da inclusão financeira no país.
  • Chilena Betterfly finca sua bandeira na Europa – A insurtech chilena Betterfly, que chegou ao
    Brasil no segundo semestre do último ano, assumiu o controle da fintech espanhola Flexoh,
    também especializada em benefícios trabalhistas. A expansão da empresa, também presente no
    México e Equador, tende a ganhar escala com a captação, em fevereiro último, de US$ 125
    milhões em uma rodada de investimentos. “Chegamos à Europa pele Espanha e vamos levar o
    ‘Efeito Betterfly’ a outros países do continente”, anunciou o CEO e fundador Eduardo della
    Maggiora.
    O planejamento de curto prazo da insurtech prevê o início das operações, até dezembro, em
    outros seis mercados latino-americanos: Colômbia, Argentina, Peru, Equador, Panamá e Costa
    Rica. Para 2023, estão previstos os desembarques em Portugal e nos Estados Unido.
  • Dryve registra alta de 55% na demanda por crédito – A fintech Dryve, que contabilizava em
    abril um volume mensal de propostas de financiamento de veículos por volta de R$ 240 milhões,
    registrou forte crescimento dos negócios no primeiro semestre. A demanda por crédito no período
    registrou alta de 55%, puxada pelas regiões Sudeste e Nordeste, que responderam por 34,7% e
    27,5% das solicitações.
    Com QG instalado em Ribeirão Preto, no interior paulista, a Dryve tem sua estrutura de vendas
    baseada em uma rede hoje formada por 6,1 mil agentes autorizados. A meta é expandir esse time
    de vendas para 15 mil representantes até o fim do ano.

11/07

  • Fintech mineira é reconhecida como Instituição de Pagamento pelo Banco Central – Chegar ao marco de se tornar uma Instituição de Pagamento oficial autorizada pelo Banco Central é o sonho de muitas empresas na área financeira. No dia 26 de maio, a U4crypto alcançou esse objetivo após conclusão do processo e autorização oficial divulgada no Diário Oficial da União. Com esse marco, a empresa agora está liberada para oferecer serviços de compra, venda e de movimentação de recursos pelo Sistema de Pagamentos Brasileiro, de forma independente, ou seja, sem precisar usar outro banco liquidante. “É um grande avanço e ficamos muito orgulhosos em oferecer mais esse diferencial em nossos serviços. Somos a primeira Instituição de Pagamento mineira autorizada pelo Bacen a oferecer uma completa plataforma de contas digitais White-label”, celebra o CEO e Co-founder da U4crypto, Túlio Iannini. Fonte: U4crypto
  • Alfa Collab lança novo processo para a seleção de startups de crédito –  O Hub de Inovação Alfa Collab, programa pertencente ao Conglomerado Financeiro Alfa, acaba de lançar um novo processo de seleção de startups de crédito. O intuito é selecionar dez companhias que tenham sinergia para encontrar, coletar e analisar dados inovadores para análise de crédito de pessoas físicas. As inscrições estarão abertas do dia 11 ao 22 de deste mês, por meio do site do Alfa Collab (https://alfacollab.com.br/desafios/) Fonte: Alfa Collab
  • Banco Digital Cria NFT Inteligente – O Minabank acaba de criar um NFT capaz de se comunicar com qualquer sistema bancário para transmitir informações de compra e venda dos tokens automaticamente. Essa nova tecnologia recebeu o nome de “NFT Inteligente” e permite que o banco possa identificar os clientes que comprarem o token para melhorar o relacionamento com eles. Com esse objetivo, o Minabank lançou uma coleção de NFTs para distribuir alguns prêmios e disponibilizar diversos serviços gratuitamente, sem qualquer burocracia. O “NFT inteligente” está integrado ao software do banco por meio de API especialmente desenvolvida para essa finalidade. Fonte: Minabank

07/07

  • C6 Bank entra em antecipação de recebíveis: Clientes pessoa jurídica do C6 Bank têm mais uma opção de crédito à disposição com a antecipação de recebíveis. O produto permite o recebimento das vendas feitas na maquininha C6 Pay a qualquer momento do mês – com dinheiro em conta no mesmo dia da solicitação – e uma oferta personalizada para cada cliente. “Crédito é essencial para pessoas jurídicas, independentemente do tamanho do negócio. Com esse produto, nossa oferta de maquininha fica ainda mais completa e nos permite atingir um novo público: o cliente que precisa fazer antecipações pontuais para ajustar o fluxo de caixa”, explica Monisi Costa, head de produtos e pessoa jurídica do C6 Bank.  Fonte: C6 Bank
  • Credz amplia atuação no mercado de seguros: A Credz lança o marketplace de seguros “Credz Proteção”, uma plataforma que apresenta dez produtos para diferentes emergências do dia a di em cinco categorias: pessoal, lar, carro e moto, saúde e pet. A linha foi desenvolvida com o objetivo de atender a uma faixa da população impactada pela inflação e diminuição de renda. Ao mesmo tempo, essas pessoas são receptivas à transformação digital e que mudaram de comportamento no pós-pandemia. Ao planejar o portfólio direcionado ao segmento de saúde, a Credz levou em conta dados da pesquisa do IBGE, que mostram a média de 8% do orçamento familiar dos brasileiros absorvido por despesas com assistência à saúde. Já um estudo do Instituto Locomotiva, do ano passado, constatou que 23% dos brasileiros da classe média não conseguiram manter o plano de saúde, gerando grande impacto dessas despesas na vida financeira das pessoas. Fonte: Credz
  • Startup Pluggy vence o Desafio Prev, realizado pelo núcleo de inovação aberta da Sinqia: Depois de enfrentar nesta segunda-feira (4) uma banca composta por diretores de grandes empresas e executivos da Sinqia, a startup Pluggy venceu o Desafio de Inovação Prev, realizado pelo Torq, núcleo de inovação aberta da Sinqia. O prêmio será uma parceria com os clientes da carteira de Previdência da companhia, que representam 60% dos fundos do setor. O programa teve como objetivo impulsionar projetos de Open Finance que aproveitem o compartilhamento de dados para ajudar as entidades fechadas de previdência com suas estratégias de atração e retenção de participantes e na melhoria da experiência dos participantes em suas transações com os fundos de pensão. Durante uma semana, a Pluggy e as outras duas startups finalistas (Akropoli e Finansystech) passaram por mentorias intensivas com especialistas da Sinqia de áreas como tecnologia, negócios e relacionamento com o cliente. As empresas também colocaram a mão na massa em uma maratona de ideação e prototipação, afinando suas soluções tecnológicas para demandas específicas da Sinqia. Fonte: Sinqia
  • A ZigPay+netPDV agora é Zig:Depois da fusão das duas maiores empresas de gestão de consumo e pagamento cashless do setor de eventos do Brasil e entretenimento no ano passado, agora as duas companhias unificam a marca e seu posicionamento para alinhar as estratégias, com foco na internacionalização das operações (com gestão de eventos em toda a América Latina e Europa), crescimento exponencial e busca constante de inovações e soluções para levar experiências de pagamento e consumo para seus clientes B2B e B2C, com o objetivo de conectar cada vez mais as pessoas através de seus momentos no entretenimento ao vivo, tornando suas experiências em algo FUN, diferente de tudo que já vivenciaram. Para a gestão do processo de rebranding, a funtech contratou a agência Trame. “Eram duas marcas fortes mas com personalidades complementares. Mais do que criar um novo nome, o desafio era criar uma personalidade de marca capaz de integrar o melhor das duas culturas corporativas. Baseado em uma pesquisa de atributos e vários workshops de propósito com o time de executivos, trabalhamos a quatro mãos com os sócios na estratégia de entregar novas tecnologias e inovação para o mercado de entretenimento para o público B2B e B2C, trazendo os atributos das duas marcas, mantendo a essência única.”, explicou Marcelo Beltrame (Diretor/Fundados da Trame Agência).

04/07

  • Os dez maiores fundos globais de venture capital têm participação em 38% dos unicórnios – e a maior parte do dinheiro vai pra fintechs e empresas de software – O levantamento foi publicado pelo site de notícias português É Top Saber, com dados da Crunchbase.

DXA prepara aporte de R$ 200 milhões em empresas até o fim do ano – A DXA Invest, primeira gestora de Private Equity e Venture Capital 100% digital no Brasil, pretende investir R$ 200 milhões em pequenas e médias empresas de capital fechado até o final do ano. A maturidade, o potencial para resultados expressivos e o atendimento aos critérios ESG das organizações mapeadas com até R$ 5 milhões de EBTIDA, vão nortear os aportes. “Estamos atentos sempre às empresas de setores tendência de mercado, como as de alimentação saudável, beleza, pet, energia renovável e com potencial para exportação. Preferência por aquelas com negócios baseados em estratégia inovadora, tecnológica, sustentável e com legado social. Ainda não podemos revelar nomes das investidas, mas nossos planos são de 5 a 10 aportes neste 2º semestre do ano”, afirma o CEO da DXA, Oscar Decotelli. Com R$ 1 bilhão sob gestão atualmente e 90% dos investidores com aportes globais, a DXA anunciou investimento há pouco mais de um mês de R$ 16 milhões na Beauty For All (B4A), empresa que conecta indústrias, influenciadores e clientes de cosméticos. Fonte: DXA

Belvo lança guia com oportunidades e desafios do Open Finance na América Latina – A Belvo, plataforma de APIs de Open Finance líder na América Latina, lançou um guia de casos de uso de Open Finance para instituições financeiras. O Open Finance vem como uma corrente de incentivos para mudar os paradigmas do setor bancário, e o novo relatório da fintech busca evidenciar o potencial da democratização dos dados para as instituições financeiras, que podem acelerar processos de venda e oferecer aos usuários soluções mais adequadas às suas necessidades. O gui está disponível aqui. Fonte: Belvo

  • Uniera investe R$ 3,1 milhões na startup cripto Naoris Protocol – A plataforma de investimentos Uniera, por meio do seu braço de venture capital, investiu mais de R$ 3 milhões na startup cripto Naoris Protocol — projeto que tem se destacado no segmento como uma solução disruptiva dentro do universo de segurança cibernética em blockchain. No início deste ano, a Uniera levantou ​​R$ 10 milhões para investir em iniciativas promissoras e de estágio inicial do mercado cripto. Trata-se do primeiro investimento firmado pela companhia com este recurso. “Fizemos uma extensa pesquisa e identificamos que o Naoris Protocol já está em uma fase adiantada de desenvolvimento. Além disso, avaliamos que nenhum outro projeto está construindo algo tão relevante e com o mesmo nível de tecnologia para o campo da segurança cibernética em blockchain”, comenta Gustavo Albanesi, fundador da Uniera. “Já pelo prisma econômico, é possível afirmar que conseguimos entrar neste projeto em um momento ainda inicial. É uma aposta da qual acreditamos poder proporcionar ganho de capital para nosso grupo de investidores”, diz. Fonte: Uniera

01/07

  • Apenas cinco dos 100 CEOs das principais startups brasileiras são mulheres, diz Distrito – Mariana Fullen (Ame Digital), Mariana Ramos Dias (Gupy), Mônica Hauck (Sólides), Talita Lacerda (Petlove&Co) e Priscila Siqueira (Gympass). São essas as únicas cinco representantes do sexo feminino que comandam as 100 startups que o Distrito pesquisou para fazer o perfil de seus CEOs. A pesquisa não revela nada fora do esperado: a média de idade dos CEOs das principais startups brasileiras é de 39,5 anos, de acordo com o estudo. Considerando a amostra, o líder mais novo assumiu a posição aos 19 anos – o caso foi de João Miranda, da startup Hash. Já a maior idade com que um CEO assumiu o cargo foi 57 anos.  Para selecionar os 100 nomes, a plataforma de inovação identificou as empresas de DNA tecnológico mais relevantes do País, de acordo com um algoritmo que avalia a maturidade das empresas. Foram entrevistados sete CEOs – nenhum de fintech, embora a vertical seja a que, isoladamente, tem a maior quantidade de representante entre os 100. A análise considera uma base de dados que engloba informações públicas e privadas das startups, como valor total de investimentos captados, faturamento presumido, seguidores no LinkedIn, número de colaboradores e número de acessos ao site da empresa. Fonte: Distrito
  • Novo desafio do BV busca startups em soluções inovadoras em Controladoria e Análises Contábeis – O BV e o Distrito lançaram um novo desafio de inovação, focado nas áreas de Controladoria e Análises Contábeis. As startups interessadas em participar devem se cadastrar e enviar suas inscrições até o dia 22 de julho através do site: https://materiais.distrito.me/desafio-bv-contabeis. “No BV, tratamos a inovação de uma maneira contínua e descentralizada. Este desafio, assim como os outros já feitos, reforçam nosso posicionamento de horizontalizar o tema e atingir diversas áreas do banco”, afirma Ricardo Sanfelice, diretor executivo de Inovação e Dados do BV. Este é o quinto desafio proposto pelo banco em 2022, o oitavo desde o ano passado, nos quais o BV teve a oportunidade de conversar com mais de 310 startups de diversos segmentos. Uma das empresas que participou do processo e assinou contrato com o banco foi a SignumWeb, que oferece às empresas uma plataforma de comunicação com seus colaboradores ou clientes com deficiência auditiva. Podem participar do desafio startups que estejam em operação e tenham soluções focadas nos temas. A busca é por produtos ou serviços já lançados ou que estejam em fase de testes no mercado e com potencial de desenvolvimento. Até o momento, 31 áreas do banco já participaram de algum desafio de inovação, entre elas: ESG, Controladoria, SI, Crédito Atacado, Atendimento, Cobrança e Conta Digital. As soluções inscritas serão avaliadas pela equipe de inovação do BV, em conjunto com a área envolvida em cada desafio. As iniciativas selecionadas farão um “pitch” para a equipe do BV, que fará uma segunda avaliação técnica. Em seguida, as startups selecionadas terão um período para rodar a prova de conceito, ou PoC (Proof of Concept), da solução. Em 2022, o BV já iniciou, executou ou concluiu 44 destas provas. Fonte: BV
  • UBlink e Cartesia fecham parceria para emprestar R$ 100 milhões em crédito imobiliário – A UBlink – plataforma de locação, compra e venda de imóveis – fechou parceria com a gestora de fundos Cartesia Capital para financiamento imobiliário a seus clientes. Em linha com a estratégia da startup de oferecer aos consumidores a melhor experiência relacionada ao negócio imobiliário, a parceria vai movimentar R$ 140 milhões em crédito habitacional até o fim de 2022. Com o acordo, a Cartesia será mais uma opção de financiamento aos clientes da UBlink, que já contam com os bancos tradicionais. “A parceria com a Cartesia é um passo importante no processo de construção da UBlink como um market place da moradia”, conta Rogério Santos, um dos fundadores da startup. Por meio do aplicativo da UBlink, os clientes poderão  simular financiamentos, enviar documentos, assinar contratos e ter encurtado todo o processo de obtenção do crédito. A Cartesia é uma gestora de recursos focada em toda a vertical do setor imobiliário, desde aquisição do terreno, passando por desenvolvimento e construção de empreendimentos até oferta de crédito imobiliário aos adquirentes dos imóveis. “Com o auxílio de ferramentas de tecnologia de inteligência, desenvolvemos na Cartesia critérios para concessão de crédito imobiliário tanto para clientes tradicionais com comprovação de renda como para profissionais liberais ou microempresários, o que diferencia nosso produto dos financiamentos de prateleira dos bancos”, conta o sócio-fundador da Cartesia, Leonardo Rigobello. Fonte: UBlink

30/06/2022

  • Na Europa, confiança em neobanks perde de lavada para os tradicionais – Pesquisa realizada com clientes bancários em oito países europeus pela Klarna – fintech sueca que inventou o Buy Now Pay Later (BNPL) – mostra que a confiança em neobanks varia de 11% a 28% dos respondentes, enquanto em bancos tradicionais vai de 40% a 72%. Fonte: Insider Intelligence
  • BTG Pactual lança o BLOX, a primeira plataforma de intermediação de ações em blocos de forma privada – Na nova plataforma, investidores institucionais podem fazer a busca eletrônica por contrapartes para intermediação de ações em blocos, com liquidez natural exclusiva e sem exposição de interesses. Para utilizar a ferramenta, o volume mínimo de entrada é de 10.000 unidades de negociação (ações, units ou cotas de ETFs). Segundo o banco, esta é a primeira plataforma disponível no mercado a oferecer este serviço. “A tecnologia desenvolvida de forma pioneira pelo BTG Pactual tem o grande diferencial de não expor os interesses dos investidores, permitindo a execução de operações de maior volume sem impacto de mercado, respeitando as normas impostas pela regulação do mercado”, explica Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual. O BLOX começou a operar no início do mês, com boa aceitação entre os clientes e, nos primeiros dias, já registrou em média mais de R$ 50 milhões de liquidez disponível, considerando investidores locais e internacionais, o que mostra o potencial de crescimento da plataforma.
  • Em São Paulo e BH, moradores com renda mais baixa têm mais interesse em bancos digitais do que os dos bairros de renda mais alta – Em São Paulo, bairros da zona Leste como Guaianases e Brás apresentam um interesse em serviços de bancos digitais acima de 54%, enquanto bairros da Zona Oeste, como Alto dos Pinheiros, os percentuais são inferiores a 40%. Em regiões de renda mais elevada (média familiar mensal superior a R$ 8.000,00 – de acordo com o Mapa da Desigualdade 2020) de Belo Horizonte, como Centro Sul e Pampulha, o percentual de interesse em serviços de bancos digitais é de 47%, enquanto que em regiões de menor renda (renda média mensal inferior a R$ 2.700,00), como Barreiro e Venda Nova esse percentual sobe para 57%. As conclusões são de um levantamento feito pela pelas startups Cinnecta, de inteligência de dados e a Zanzar, de tecnologia de mídia iDOOH. Fontes: Cinnecta e Zanzar
  • Metade das compras online com PIX não são concluídas – Desde o seu surgimento, o Pix tem sido um sucesso entre consumidores e lojistas, com os números comprovando sua ampla adesão no mercado. No mês de maio, o método bateu recorde de transações em um único dia, somando mais de R$73 milhões. No e-commerce, a modalidade vem ganhando cada vez mais espaço — segundo levantamento da consultoria GMattos, a ferramenta já tem aceitação de 74,6% do comércio eletrônico. Há cerca de um ano, o valor era de somente 17%. Mas, apesar de suas vantagens, as características do Pix também fazem com que exista uma alta taxa de compras não concluídas com o método de pagamento. Segundo a startup Appmax, que oferece soluções focadas em maximizar os resultados de empreendedores digitais, aproximadamente 50% das vendas realizadas no formato não são finalizadas. Fonte: Appmax

29/06/2022

  • Evento discute criptoativos, tecnologia, investimento e regulação no universo das fintechs – As inscrições para o Meetup ABFintechs | Florianópolis Chapter estão abertas. O evento é promovido pela Associação Brasileira de Fintechs, com apoio da techfin CashWay, do Sapiens Parque e da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), e ocorre no dia 7 de julho, de forma presencial, na sede da Softplan, em Florianópolis/SC. A proposta do encontro é discutir o universo das fintechs com especialistas e alguns dos principais players do setor. Entre os assuntos abordados estão a regulação do mercado de criptoativos no Brasil, reformas microeconômicas e novos instrumentos financeiros, jornada de investimentos para fintechs e cibersegurança. As inscrições são gratuitas, mas as vagas são limitadas a 70 participantes. Para se inscrever basta acessar a plataforma Sympla. Segundo a ABFintechs, a proposta do evento está alinhada com o plano da associação de expandir o alcance e suporte às fintechs nos principais hubs de inovação do Brasil, além de desenvolver negócios e gerar conteúdo para os associados destas regiões. O ponto de partida escolhido foi Florianópolis, que nos últimos anos ganhou o apelido de Ilha do Silício Brasileira, devido ao crescimento no setor econômico e potencial tecnológico. Fonte: ABFintehcs
  • Elleve já aprovou mais de R$ 60 milhões em financiamentos estudantis no 1º semestre de 2022 – Volume representa um crescimento de 1.428% quando comparado com o mesmo período do ano passado. Em 2021, a fintech, fundada por André Dratovsky, investiu em 500 alunos nos seus primeiros seis meses de operação. Neste ano, até junho, a já foram financiados mais de 10 mil. Em relação aos pedidos de crédito, a fintech também registrou um salto. “Foram mais de 30 mil pedidos de janeiro a junho de 2021 e, nos primeiros seis meses deste ano, esse montante dobrou: mais de 60 mil estudantes recorreram às soluções de crédito da startup”, conta o empreendedor. Tendo em vista o crescimento no número de solicitações, a Elleve estima liberar ainda este ano, mais de R$ 100 milhões em crédito, alocados em cursos de alto impacto em carreiras, como design, ciência de dados, programação, experiência do usuário (UX), marketing, vendas, desenvolvimento de produtos, games, economia e negócios, finanças, saúde, mecânica industrial e gastronomia. Empregabilidade e incremento de renda são o foco de atuação da empresa, que já conta com uma rede de mais de 300 escolas parceiras. Fonte: Elleve
  • Só duas fintechs entre 10 startups selecionadas para a quarta turma do Growth Academy do Google – A brasileira FInplace e a mexicana Higo foram as únicas fintechs no grupo de dez startups selecionadas para a quarta turma do Growth Academy, programa do Google for Startups que capacita líderes de growth em sete semanas. A novidade este ano é que a nova turma conta com três startups mexicanas, ampliando seu alcance na América Latina. O programa é remoto e conta com sessões individuais e em grupo, treinamentos, discussões de estudos de caso e conversas com especialistas do Google e do mercado. Os empreendedores das empresas terão acesso a conceitos e estratégias comprovadas de crescimento, além de frameworks para implementá-los em seus negócios. Desenvolvido em Israel, o Growth Academy já foi realizado pelo Google for Startups em países como Espanha, Japão e Reino Unido.  “Desde a primeira edição, em setembro de 2020, temos acompanhado a jornada de diversas startups rumo às suas metas de crescimento. Em geral, elas buscam atrair e formar os melhores talentos que dominem as habilidades estratégicas no campo de growth. Esse programa alia teoria e prática, para ajudar as startups a enfrentarem esse desafio. É com muita alegria que anunciamos mais uma turma do Growth Academy, que agora vai impactar também startups mexicanas.”, afirma André Barrence, Diretor do Google for Startups na América Latina. Fonte: Google

28/06/2022

  • Startups de Open Finance são selecionadas para o desafio de inovação do Torq, núcleo de inovação da Sinqia: Akropoli, Finansystech e Pluggy são as três escolhidas. As empresas passarão por um período de mentoria e incubação em que serão desenvolvidas soluções tecnológicas aplicadas à Previdência, e ganharão US$ 350 mil em benefícios e produtos Microsoft, além da possibilidade de firmar contrato de parceria com os clientes da carteira de mercado de previdência da Sinqia, que representam 60% dos fundos do setor. Todas as startups selecionadas possuem produtos especializados que unem tecnologia e finanças. A Akropoli é focada em soluções de gestão de finanças pessoais e empresariais para instituições financeiras no ambiente Open Finance – com o produto, é possível visualizar o valuation do cliente no mercado e o share de cada instituição, por exemplo.A Finansystech, por sua vez, desenvolve tecnologias para empresas de qualquer tamanho explorarem as oportunidades do Open Finance. Um dos produtos da startup é o Consent Management, que permite o monitoramento dos consentimentos obtidos e cedidos, independente da finalidade. Há também serviços especializados, como uma solução mobile para gestão de seguros. A Pluggy é dona de um serviço voltado a desenvolvedores – o produto foi pensado para que o Open Finance não seja mais um “pepino” para as equipes de tecnologia resolverem. A empresa enxerga que a solução pode gerar valor em áreas como crédito, investimentos e integração de finanças pessoais. Fonte: Sinqia
  • A Datanomik, fintech de Open Finance para empresas, lança plataforma “software as a service”-Apenas três meses depois do lançamento das operações e da divulgação de uma rodada de investimentos de US$ 6 milhões, liderada por Andreessen Horowitz, a Datanomik lança uma plataforma web de software como serviço, que já está disponível para qualquer empresa que precise gerenciar diversas informações financeiras de diferentes fontes, como contas bancárias em países e moedas diversos. Fundada no início de 2022, a Datanomik é a primeira plataforma de Open Finance para empresas na América Latina, dando início a  uma nova categoria de fintech na região. “Os players de Open Finance existentes na América Latina estão fortemente focados no mercado de APIs e atendem aos provedores de serviços financeiros, o que causa impacto nas finanças do consumidor, no fim das contas. Já a Datanomik está totalmente focada na construção de produtos de Open Finance para empresas,” afirmou o CEO, Gonzalo Strauss. “Lançar e desenvolver uma empresa na América Latina já é difícil. Gerenciar sua operação financeira não precisa ser”, observa. Fonte: Datanomik
  • PagBank PagSeguro lança cartão de crédito atrelado ao investimento em CDBs. Ao aplicar a partir de R$ 300 em qualquer um dos CDBs oferecidos em nosso app, o cliente recebe uma oferta de cartão de crédito sem anuidade com o mesmo montante do valor investido em limite para suas compras, podendo este limite aumentar ou diminuir à medida que o usuário movimente suas aplicações. A oferta vale para tanto para clientes atuais como também para os novos clientes do banco. Com esta novidade, o PagBank PagSeguro amplia seu portfólio de produtos, já que o limite é uma das principais demandas do consumidor brasileiro, além de atrair novas modalidades de clientes, uma vez que agora os clientes PJ (pessoa jurídica) com dois sócios ou mais também já podem abrir suas contas no PagBank e se livrar das taxas abusivas. Ao investir nos CDBs do PagBank, além do cartão de crédito, o cliente conta com uma opção de investimento segura, garantida peloFundo Garantidor de Créditos (FGC), e com rendimentos mais que duas vezes maiores que a poupança. Prático para quem está começando a investir e com boa rentabilidade para separar as economias do saldo da conta, o CDB oferece um dos melhores rendimentos do mercado, podendo chegar até 120% do CDI.   Fonte: PagBank PagSeguro
  • Banco John Deere passa a fazer parte do inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco – “A inovação faz parte do DNA da John Deere e, claro, não é diferente para o Banco. Buscamos sempre nos manter atualizados e enxergamos grande valor em nos aproximar de outras empresas do setor, a fim de trabalharmos juntos em novas soluções para nossos clientes, por meio de inovação aberta”, comenta Israel Oliveira, diretor de negócios digitais do Banco John Deere. A proximidade da John Deere com as startups é positiva para os dois lados: a multinacional presencia testes de soluções inovadoras no mercado e as empresas jovens acompanham de perto processos que funcionam em larga escala e globalmente. “Por meio dessa colaboração, será possível ter acesso a empresas com soluções em tecnologias emergentes e interação com os demais públicos, além de participar e interagir com eventos e atividades de coinovação para aumentar a capacidade empreendedora e experimentação”, explica Oliveira. Funcionários da John Deere também passam a ter acesso ao ambiente de coinovação do Inovabra. Fernando Freitas, head de inovação do Bradesco, destaca que o ecossistema é um importante elemento de apoio para viabilizar a estratégia de inovação aberta das empresas. “Uma de nossas missões é apoiar a jornada de inovação das corporações por meio do trabalho colaborativo com startups, mentores, parceiros tecnológicos e demais membros do inovabra, colaborando com o crescimento de diversos setores”. Fonte: John Deere

27/06/2022

  • Jive Investments faz aporte na Localize, especializada em pesquisa de bens e recuperação de crédito – A plataforma integrada de investimentos alternativos acaba de adquirir 37% do capital social da Localize, aceleradora de recuperação de créditos, que utiliza elementos de lawtech e fintech em suas operações. A transação tem como proposta aumentar o ecossistema e capacidade de pesquisa de bens e recuperação de créditos da Jive por meio do uso intensivo de tecnologia desenvolvida pela lawtech. Com isso, a Jive aumenta sua capacidade e escalabilidade da sua plataforma de pesquisa, aquisição e gestão de crédito inadimplido. “Identificamos diversas sinergias entre as empresas, que foram apontadas inclusive por clientes em comum. Há diversos elementos da cultura das duas casas que convergem para uma prestação de serviços complementar e multidisciplinar aos clientes”, explica Marcelo Moraes Santiago, sócio da Jive Investments. A proposta é manter a independência da Localize e acelerar o crescimento e a oferta de produtos, bem como aumentar o intercâmbio de tecnologia entre as casas. O valor do aporte será usado pela lawtech em novas tecnologias e escalabilidade da plataforma. Fonte: Jive
  • BoostLab, do BTG, abre inscrições para o Batch#10 – O boostLAB é um programa voltado a startups avançadas e que tem como principais benefícios a conexão com o BTG Pactual, sua rede de contatos e as mentorias feitas por sócios, executivos de mercado e mentores da ACE. As inscrições terminam em 15/7. Serão escolhidas 10 para participar desta edição. Até hoje, 60 startups ja participaram e sete receberam investimentos do BTG. Fonte: ABFintechs
  • Alpop levanta R$ 7 milhões para acelerar expansão da ferramenta que garante moradia a informais e negativados – Depois de ganhar dois dos principais prêmios do setor, a startup de Campinas comandada pelo CEO Caio Belazzi acaba de receber R$ 7 milhões em rodada privada liderada pela Smart Money Ventures e encorpada por grandes players, como Lello, Lucas Vargas, ex-Grupo ZAP e atual CEO da Nomad e Caju Capital Social.  O argumento central da plataforma é que milhões de brasileiros são deixados de fora do mercado de locação formal, enquanto milhares de imobiliárias deixam de captar clientes e capturar receita de aluguéis. Em efeito dominó, proprietários perdem monetização dos imóveis, o que impacta negativamente em toda a cadeia da construção civil, fundamental na economia.  “Alpop ataca essa questão de forma frontal. Com este aporte, conexões e suporte integrado da Smart Money Ventures, a gente se abre agora para outro nível de aceleração, com possibilidade de um impacto altamente escalável. Nosso objetivo é um dia ser a maior casa de crédito popular da América Latina, partindo dessa atuação imobiliária”, comenta o CEO Caio Belazzi. Fonte: Alpop

24/06/2022

  • Fintech Alter anuncia encerramento de atividades e orienta clientes a sacar seus Bitcoins da plataforma: A fintech brasileira especializada em serviços de compra, venda e custódia de criptomoedas Alter anunciou que descontinuará seus serviços em 6 de agosto e orientou seus clientes a transferirem seus saldos em Bitcoins (BTC) e reais para outras plataformas. O Alter havia sido comprado por R$ 25,9 milhões pela Méliuz em julho do ano passado, como parte dos planos de expansão da empresa especializada em programas de fidelidade e serviços de cashback de se tornar um banco digital completo. Assim, clientes do Alter têm a opção de transferir seus reais e criptomoedas para uma conta da Méliuz gratuitamente. De acordo com informações disponibilizadas no site da Alter, os reais podem ser transferidos mediante a criação de uma nova chave Pix vinculada a uma conta na plataforma da Méliuz. Para transferências de Bitcoins, basta que os usuários aceitem o termo de consentimento disponibilizado pelo Alter em seu aplicativo. Fonte: Cointelegraph
  • Fintech SumUp recebe aporte de até R$ 380 milhões para unidade brasileira: A plataforma de serviços financeiros SumUp anunciou nesta quinta-feira que recebeu um investimento de cerca de 380 milhões de reais para sua operação brasileira, desafiando o recente esfriamento das expectativas para negócios de alto crescimento, num ambiente de taxas de juros mais altas no mundo todo. O aporte faz parte de uma captação global de 590 milhões de euros na companhia sediada em Londres, um investimento liderado pela Bain Capital, com participação de fundos administrados por BlackRock, btov Partners, Centerbridge, Crestline, Fin Capital e Sentinel Dome Partners. Fonte: Reuters

20/06/2022

  • XP lança conta digital e passa a oferecer serviços de pagamentos, Pix, transferências, saques e débito aos seus clientes: A XP lança nesta segunda-feira (20) sua conta digital com diversos serviços financeiros disponíveis aos clientes. Com a novidade, os clientes poderão realizar, por meio do app atual, transações ilimitadas de TED e Pix, pagamentos, saques, cadastrar débitos automáticos e passar a contar com cartão de débito. Além disso, também poderão solicitar a portabilidade do seu salário para a XP. Não há taxas de abertura de conta ou manutenção, diferentemente do que costuma ser cobrado pelos grandes bancos. A conta digital será disponibilizada de forma gradual à base de clientes a partir de hoje até outubro, quando todos os clientes da XP poderão ter acesso aos produtos. “O lançamento da conta digital é parte da nossa estratégia de atendermos nossos clientes em tudo o que necessitam no seu dia a dia. É um passo histórico para a XP, em que passamos a oferecer todos os serviços necessários para que as pessoas possam fazer conosco tudo o que precisam relacionado à sua vida financeira, de forma simples e segura a partir do nosso aplicativo. Sabemos que os clientes ainda carecem de um melhor atendimento e de melhores produtos por parte dos bancos. Seguiremos tendo uma relação transparente, sem taxas abusivas”, destaca Thiago Maffra, CEO da XP. Fonte: XP
  • Camila Farani cofunda com Geraldo Neto e Flavio Pripas gestora de fundos de US$ 50 milhões para internacionalizar empresas brasileiras: A investidora e empreendedora Camila Farani uniu forças com Geraldo Neto e Flavio Pripas para cofundar uma iniciativa ambiciosa: a Staged Ventures, uma gestora de fundos de investimentos voltada à internacionalização de empresas brasileiras. O objetivo inicial é investir US$ 50 milhões nos primeiros 12 meses. Criada em Miami, nos Estados Unidos, a Staged Ventures é uma iniciativa liderada por investidores com foco em startups B2B em estágio Seed, Series A ou B, com potencial de entrada no mercado americano. A empresa realiza investimentos primários e secundários, buscando multiplicá-los com mais segurança ao focar em startups operacionais e com modelos de execução robustos. A ideia é construir um caminho para empresas latam e brasileiras a fim de que elas desbravem o ecossistema internacional, principalmente nos Estados Unidos. Além de Camila, uma das principais investidoras do país e da América Latina, com mais de 8 exits no seu portfólio, boardmember de várias grandes empresas como PicPay e NuvemShop estão Flavio Pripas, ex-head do Cubo no Brasil, venture partner do Redpoint e atual CSO daDigibee; Douglas e Daniel Almeida, founders da Stayfilm; Fernando Cariello, co-founder da Base Miami; e Marco Santos, presidente da GFT para EUA e América Latina e fundador da ONG Meu Futuro Digital. Fonte: Staged Ventures
Geraldo Neto, Camila Farani e Flavio Pripas
  • Valor das transações de carteiras digitais excederá US$ 12 trilhões em 2026, de US$ 7,5 trilhões em 2022: Um novo estudo da Juniper Research prevê que os principais fornecedores de pagamentos digitais diversificarão seus produtos de pagamento para incluir novas soluções, como compre agora, pague depois e criptomoedas. As carteiras digitais são sistemas baseados em software que armazenam com segurança as informações de pagamento dos usuários para vários métodos de pagamento em um único local. O ranking de concorrentes da Juniper Research para o mercado de carteiras digitais lista PayPal, Alipay, WeChat Pay, Apple Pay e Google Pay como as cinco maiores. Fonte: Juniper Research
  • O PayPal expandiu seu programa compre agora, pague depois (BNPL) com o Pay Monthly: A novidade permite que os clientes paguem por compras entre US$ 199 e US$ 10.000 em seis a 24 parcelas mensais, de acordo com um comunicado de imprensa. Os clientes precisam se inscrever no checkout para usar o Pay Monthly, que pode gerar juros. A solução será lançada para os clientes dos EUA nas próximas semanas e ficará automaticamente disponível para os comerciantes sem custo adicional. O PayPal quer aproveitar as compras de maior valor em dólar e alinhar seu programa BNPL com o que outros provedores oferecem. Anteriormente, os clientes BNPL do PayPal só podiam fazer compras abaixo de US$ 600, mas o Pay Monthly oferece a eles um limite de gastos mais alto. Além disso, o Pay Monthly também torna o PayPal uma opção mais atraente para usuários frequentes de BNPL. Fonte: Insider Intelligence

15/06/2022

  • O ecossistema das fintechs na América Latina e no Caribe cresceu 112% desde 2018. A conclusão é de um estudo do BID em parceria com a Finnovista. A região passou de 1.166 plataformas para 2.482 em pouco mais de três anos. A concentração do número de plataformas mudou pouco em relação à publicação anterior, e continua sendo liderada pelo Brasil (31% do total), seguido por México (21%), Colômbia (11%), Argentina (11%) e Chile (7%). Por outro lado, embora o segmento mais importante em termos do número de plataformas continue a ser o de Pagamentos (impulsionado pelos recentes avanços regulatórios no Brasil e no México), com 25% do total, os verticais de Crédito Digital (19%) e de Crowdfunding (5,5%) estão começando a se tornar maioria na região. Fonte: BID Leia mais aqui
  • BomConsórcio ultrapassa R$ 1,25 bilhão em direitos creditórios negociados: No mercado desde 2015, a empresa que atua no mercado secundário de consórcios – em que a mudança de planos ou falta de capacidade de pagamento dos consorciados exige uma porta de saída vantajosa e segura para todas as partes – pretende alcançar até o final de 2022 a marca de 150 mil consorciados atendidos, consolidando-se como a principal plataforma multisserviços de consórcio do país. O BomConsórcio trabalha com algumas das principais administradoras de consórcios do país, como CNP Consórcios (antiga Caixa Seguradora), Itaú, Magalu, Porto e Santander. Fonte: BomConsórcio
  • Olivia, comprada pelo Nubank, vai encerrar app no mês que vem: Sete meses após ser adquirida pelo Nubank, a fintech Olivia está descontinuando seu aplicativo de gestão financeira, que utiliza uma tecnologia proprietária de inteligência artificial (IA). A empresa acaba de soltar um e-mail aos seus clientes comunicando sobre o encerramento do app, uma decisão que mais cedo ou mais tarde naturalmente seria tomada, já que a plataforma e os serviços da fintech foram integrados ao Nubank. “Com a aquisição da minha plataforma pelo Nubank, vamos focar todos os esforços em integrar minhas funcionalidades ao roxinho e acelerar minha visão para ajudar quase 60 milhões de pessoas a gastarem melhor”, escreve a empresa, no texto. O app da Olivia vai parar de funcionar em 15 de julho, e os usuários vão receber um lembrete cinco dias antes da plataforma sair do ar. As contas — que somavam cerca de 5 milhões na época em que a empresa foi comprada pelo Nubank — serão encerradas, informa a fintech. Fonte: Finsiders

14/06/2022

  • Linx anuncia aquisição da Plugg.to: A Linx, especialista em tecnologia para o varejo, concluiu a aquisição da Plugg.to, um dos principais hubs de marketplace do país . Cada vez mais consolidado no mercado brasileiro, 48% das vendas realizadas pelo e-commerce em 2021 foram realizadas por meio de marketplaces, atingindo R$ 182 bilhões em vendas. “Na Linx, queremos ser a plataforma que move o varejo brasileiro, grande parte dos varejistas e consumidores interagem com nossas soluções todos os dias. Somos protagonistas na digitalização dos nossos clientes e estamos confiantes na sinergia que a Plugg.to tem com a nossa base de clientes há algum tempo” disse Gilsinei Hansen, Chief Operation Officer da plataforma de software da StoneCo. “Acreditamos que somos o ambiente perfeito para os muitos funcionários talentosos e clientes da Plugg.to. Estamos empolgados em começar o próximo capítulo da empresa e com o fato de que, com as sinergias geradas com o nosso portfólio, temos o potencial para nos tornarmos o principal hub de marketplaces do país.” afirma Hansen. André Fuhrman, CEO e fundador da Plugg.to acrescentou que a Plugg.to tem uma longa e rica história como um hub de marketplaces, resolvendo as complexidades e ajudando os clientes a vender mais. “Acredito que os colaboradores e clientes de ambas as organizações se beneficiarão das possibilidades criadas por essa aquisição. Pessoalmente, tive a sorte de me envolver com a equipe de liderança da Linx durante esse processo e estou ansioso para explorar e realizar nosso potencial juntos”, completa Fuhrman. Além da ampliação de canais, a aquisição da Plugg.to também traz sinergia na distribuição das soluções de tecnologia. “A Linx aporta uma força de distribuição especializada, com suas 700 franquias e 1.300 executivos de venda para tracionar o crescimento da Plugg.to dentro e fora da base de clientes Linx”, finaliza. Fonte: Linx
  • London Tech Week 2022: A London Tech Week 2022, principal realização do ecossistema de tecnologia do Reino Unido, que promove mais de 200 eventos em Londres, acontece nesta semana, entre os dias 13 a 17 de junho. O evento visa oferecer oportunidades únicas de troca de ideias com milhares de líderes governamentais e de tecnologia, fundadores de startups, formuladores de políticas e estrelas da tecnologia em ascensão. Entre os palestrantes está Vanessa Viana, sócia-gerente da Capital Lab Ventures, que participará na quinta-feira (16), junto a um grupo exclusivo de VCs e especialistas de Londres para falar sobre como acessar investimentos no Reino Unido (o que fazer e o que não fazer), para startups latino-americanas que desejam se internacionalizar. Os tópicos abordados vão desde contratos comerciais, propriedade intelectual, financiamento, atração de talentos, entre outros tópicos relacionados. O evento de empresários latino-americanos faz parte de uma missão organizada pelo Departamento de Comércio Internacional (DIT) para conectar os melhores especialistas, investidores e empresas do ecossistema de tecnologia do Reino Unido e apoiá-los para estimular e desenvolver relações de mercado, entender o ambiente de negócios e oportunidades de investimento em todo o Reino Unido. “Estamos extremamente felizes em fazer parceria com o governo britânico para liderar esta oportunidade exclusiva para o ecossistema de inovação da Capital Lab Ventures e mostrar a nossos investidores as oportunidades de investimento com amplo potencial de valorização internacional com nosso olhar único como gestores globais brasileiros a partir de Londres”, diz Vanessa. A London Tech Week 2022 acontecerá de forma híbrida, presencial e eventos também online. Quem quiser participar pode se registrar pelo site: https://londontechweek.com/. Fonte: Capital Lab Ventures
Vanessa Viana, Capital Lab Ventures
  • Alelo lança programa para se conectar a startups: A bandeira especializada em benefícios, incentivos e gestão de despesas corporativas, lançou o Open Lab, programa que busca promover uma conexão da empresa com startups em estágio de tração e escala que possuam a capacidade de operar um teste rápido da sua solução dentro do contexto de negócio da Alelo. As inscrições seguem abertas até o dia 24 de junho. O objetivo do Open Lab é descobrir novas parcerias que possuam sinergia com a empresa e seus desafios internos, encontrando soluções inovadoras nas suas atividades operacionais e corporativas, além de ajudar a alavancar o negócio. Nessa primeira edição do programa os participantes enfrentarão quatro desafios: jornada gamificada do colaborador; inovação no mercado pet; jornada de credenciamento; e sistemas para segurança e validação de dados. As startups selecionadas para pilotos poderão, ao final do programa, ser contratadas como fornecedoras ou parceiras da empresa e ter sua solução aplicada a um universo de 700 mil estabelecimentos conveniados, mais de 100 mil clientes de RHs e alcance de 8 milhões de usuários. Os interessados podem se inscrever por meio do site, clicando aqui. Fonte: Alelo

10/06/2022

  • Banco de negócios Voiter anuncia a entrada em venture debt, modalidade de financiamento alternativa ao venture capital, que usa dívida em vez de participação nas empresas. A primeira startup a captar recursos é a agtech Smartbreeder, de Inteligência Agronômica Digital, que desenvolve sistemas de gestão e automatização de tomada de decisão no campo. Ao todo, estão previstos desembolsos entre R$ 100 milhões e R$ 150 milhões. O objetivo do Voiter é destravar o acesso ao capital e acelerar o crescimento de startups que ainda enfrentam dificuldades de acesso ao mercado financeiro, dando mais fôlego para próximas rodadas, sem diluição das ações das empresas. A estratégia de venture debt prevê atender startups de qualquer setor, mas começa pelas agtechs, se valendo da vasta experiência do banco em agronegócio, que responde por cerca de 48% dos R$ 2,4 bilhões em carteira de crédito. O movimento marca mais um passo na estratégia de aproximação do banco com startups iniciada há três anos com a criação da área de Negócios Tech, que possui soluções desde serviços transacionais, de câmbio a até mercado de capitais, e já conta com clientes como a Cora, Zoop e Mercado Bitcoin. Além disso, o banco tem posição de equity em dezenas de startups por meio de fundos de Venture Capital. “Nosso objetivo com a criação da área de Negócios Tech no Voiter é atender bem as demandas das startups. Partindo da convergência de visões de que as startups estavam sendo mal atendidas pelos bancos, nossa ideia foi construir uma plataforma que efetivamente apoie essas empresas em todas as suas fases, desde sua concepção até a maturidade”, destaca Fernando Fegyveres, CEO e Conselheiro do Voiter. Fonte: Voiter
Fernando Fegyveres, CEO do Voiter
  • Payface capta série A’rodada liderada pelo BTG não teve valor revelado – Fundada em 2018, a startup de reconhecimento facial para pagamentos Payface recebe investimento em rodada série A liderada por fundo de investimento gerido pelo banco BTG Pactual, que também teve participação do multifamily office Oikos. A fintech desenvolve tecnologia de reconhecimento facial própria e tem como objetivo melhorar a experiência de compra em diversos setores do varejo físico, como supermercados e farmácias. Além do capital primário, o banco irá atuar estrategicamente no processo de expansão da solução, contribuindo para o crescimento na base de usuários e explorando sinergias na construção de novas ofertas. Fonte: Payface
  • Voltz, do Grupo Energisa, fecha mais de 100 operações de financiamento de contas atrasadas por dia – Desde que lançou seu produto de crédito para pagamento de contas de energia atrasadas, há pouco mais de um mês, a Voltz, fintech do Grupo Energisa, tem fechado em média de 100 operações de crédito por dia, com tíquete médio de cerca de R$ 1100. A estratégia tem como objetivo oferecer diferentes opções aos clientes para reduzir a inadimplência e gerar novas oportunidades. “Queremos gerar operações de forma incremental e em diferentes canais para aprender, adaptar modelos e, só então, escalar”, ressalta Daniel Orlean, co-CEO da Voltz. Para o executivo, a empresa está seguindo o planejado:   “O foco é sempre o de oferecer a melhor solução para o cliente de acordo com cada perfil, independente de canal, região ou meio de pagamento utilizado”, conclui. Fonte: Voltz

06/06/2022

  • Com o propósito de democratizar o acesso dos investidores ao universo de empresas inovadoras, a gestora de patrimônio WIT – Wealth, Investments & Trust – dá início à operação da Primecap, plataforma de investimentos em startups, regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), e que permite o aporte de capital através do sistema de crowdfunding de forma descomplicada e segura. A Primecap conta com um pipeline disponível em sua plataforma online de Equity Crowdfunding, que reúne empresas que já passaram por uma ampla análise e curadoria para garantir ao investidor segurança jurídica. O diretor executivo da Primecap, Johannes Gmelin, explica que há duas formas de se investir em startups, que pode ser através de crowdfunding, com o aporte a partir de R$ 1 mil até R$ 5 milhões, de acordo as regras da CVM, ou por meio de captação privada de fundos de investimentos.
Johannes Gmelin, diretor executivo da Primecap
  • We Bro Pay capta R$ 2 milhões via CapTable: A plataforma de investimentos em startups CapTable finalizou mais uma rodada de investimentos em 2022. A startup que recebeu um aporte foi a We Bro Pay, fintech que desenvolveu uma esteira de serviços financeiros complementares para corretores de imóveis como controle, adiantamento de recebíveis e cobrança de comissões. A startup atua com um modelo de negócio que tem como objetivo facilitar o processo de comissão e descomplicar o controle de pagamento aos corretores. Nesta etapa de seu negócio, promoveu uma rodada de captação que atraiu 294 investidores com um investimento de R$ 2 milhões.
  • inovabra está entre os melhores laboratórios de inovação financeira do mundo: Relatório da revista Global Finance reconheceu, pela terceira vez consecutiva, iniciativa do Bradesco como uma das mais importantes do mercado. Em sua 5ª edição, o relatório anual reconhece iniciativas inovadoras que propõem novos caminhos e ferramentas para o setor financeiro.
  • Finplace lança ferramenta com IA para gestão de notas fiscais: Nova versão da Finscanner inclui inteligência artificial e permite que PMEs organizem seus títulos de forma automática; recurso é gratuito. Entre as novidades está o uso de inteligência artificial, que analisa os títulos que o empresário tem disponíveis. “Com a Finscanner, pequenas e médias empresas, que muitas vezes não contam sequer com um sistema de gestão, passam a ter um ferramenta gratuita que gerencia todas as notas emitidas, com o uso de IA”, destaca o CEO da Finplace, Felipe Avelar.

03/06/2022

  • Parfin expande negócio e passa a oferecer segurança e custódia de Valores Mobiliários Digitais para a Vórtx QR Tokenizadora: A fintech, que conecta investidores institucionais ao mercado cripto, firmou um acordo com a Vórtx QR Tokenizadora, primeira plataforma de negociação de ativos tokenizados regulada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Parfin entra no negócio para oferecer segurança para a custódia dos valores mobiliários digitais, a partir de sua tecnologia MPC (Multiparty Computation). Fonte: Parfin
  • Stone tem lucro líquido ajustado de R$ 132,2 milhões no primeiro trimestre 2022: O resultado é uma queda de 29,4% na comparação com igual período do ano anterior e alta de 292,5% sobre o quarto trimestre de 2021. A receita total ficou em R$ 2,07 bilhões, crescimento de 138,6% em relação aos primeiros três meses de 2021. O resultado superou as projeções divulgadas no final do ano. A companhia esperava que a receita ficasse de R$ 1,85 bilhão a R$ 1,9 bilhão no período. De acordo com a credenciadora, o resultado é explicado pelo aumento de 107,8% nas receitas da plataforma de serviços financeiros, para R$ 1,7 bilhão, e de 955,6% na plataforma de software, para R$ 326,6 milhões. É a primeira vez que companhia divulga os resultados de suas duas unidades de negócios separadamente. Fonte: Valor
  • Uber Conta lança plataforma de descontos para motoristas e entregadores parceiros: A Uber Conta, conta digital dedicada aos motoristas e entregadores parceiros da Uber operada pela Digio, lança uma plataforma exclusiva de descontos. Nela, os parceiros poderão economizar e comprar online em diversas lojas com até 60% de desconto. Fonte: Digio
  • IFC investe US$ 15 milhões em Nazca III para promover negócios baseados em tecnologia no México e na América Latina: A International Finance Corporation (IFC), membro do Grupo Banco Mundial, anunciou um investimento de US$ 15 milhões no Nazca III, um fundo de capital de risco (VC) focado em investir em empresas que buscam transformar as indústrias mexicanas e latino-americanas por meio de modelos de negócios habilitados por tecnologia. O Nazca III será administrado pela Nazca, uma empresa de capital de risco fundada em 2014 com foco em apoiar empreendedores latino-americanos que estão construindo negócios transformadores em setores como fintech, mobilidade, educação, saúde e comércio eletrônico. Fonte: IFC

02/06/2022

  • A B3 recebeu a autorização da  Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para constituir uma empresa voltada para operações com ativos virtuais: A B3 Digital Assets Serviços Digitais (B3 DA) terá serviços de compra e venda de ativos virtuais, além da verificação da existência e titularidade de ativos negociados em ambiente virtual. As informações constam em ata de reunião divulgada hoje no site do regulador. Fonte: Valor Investe
  • Núcleo de inovação da Sinqia, Torq premiará startups de Open Finance: O mercado financeiro brasileiro passou por grandes transformações tecnológicas nos últimos anos – e a perspectiva é de ainda mais aceleração daqui para frente. Com o objetivo de impulsionar esse movimento, o Torq, núcleo de inovação da Sinqia, está lançando seu primeiro Desafio de Inovação Prev, um hackathon para encontrar soluções para o Open Finance na área de Previdência. As startups poderão se inscrever gratuitamente no site do desafio até o dia 15 de junho. Aquelas que passarem para a fase de incubação ganharão até US$ 350 mil em benefícios e produtos Microsoft, além da possibilidade de firmar contrato de parceria com a Sinqia. Fonte: Sinqia
  • JPMorgan faz parceria com fintech OmniLatam para emprestar para pequenas e médias empresas: O JPMorgan Chase fechou uma parceria com a fintech OmniLatam para dar crédito a empresas pequenas e médias que sejam fornecedores de grandes corporações na América Latina. A OmniLatam, que opera na Colômbia e Chile e abriu recentemente um escritório no Brasil, faz empréstimos utilizando dados para análise de crédito e deverá oferecer linhas com base em recebíveis e capital de giro para fornecedores dos clientes do JPMorgan na região, em geral filiais de multinacionais ou grandes corporações. Filipe Oliveira, executivo do JPMorgan afirma que o banco deve manter em seu balanço o total de crédito concedido por meio da parceria e acredita que a carteira de financiamento a fornecedores dos clientes deve dobrar num prazo de três anos. O presidente-executivo e co-fundador da OmniLatam, Diego Caicedo, disse que a empresa aumentará a oferta de produtos, especialmente os relacionados a contas a pagar e a receber durante a parceria com o banco americano. Fonte: Reuters

01/06/2022

  • Koin, de BNPL, entra no Pix Parcelado: A Koin – fintech do Grupo Decolar e pioneira no Brasil na modalidade de pagamentos Buy Now Pay Later – inicia a segunda onda do BNPL com a oferta de Pix Parcelado. O novo produto vai permitir vendas em até 4 parcelas sem juros ou em até 24x para compras com taxas competitivas para o lojista em relação à prática do mercado de cartões de crédito e um diferencial importante: possível de ser utilizado nas lojas físicas também. Com o Pix Parcelado, a Koin amplia a oferta de BNPL no Brasil em um momento de alta histórica da taxa Selic (12,75%) e contribui com o poder de compra dos brasileiros com uma solução digital simplificada. Fonte: Koin
  • Jeeves estreia no Brasil com empréstimos flexíveis para startups: Após aporte de U$ 180 milhões, liderado pela Tencent no final de março, a Jeeves, plataforma de gerenciamento de despesas e cartões corporativos para startups globais, estreia suas atividades no Brasil com um produto de empréstimos rápidos e com juros menores para startups. O objetivo é que pequenas e médias empresas com faturamento acima de R$ 1,2 milhões por ano financiem seus negócios sem precisar recorrer ao capital de risco, principalmente nesse momento em que o mercado de venture capital está tentando preservar o caixa e diminuindo consideravelmente os recursos para startups. Fonte: Jeeves
  • Fintech Teddy originou R$ 622 milhões em três meses:  No período, foram recebidas quase mil propostas, sendo R$ 336 milhões já analisados, R$ 35 milhões desembolsados e R$ 286 milhões em andamento, com destaque para: capital de giro, conta digital, câmbio e antecipação fornecedor (supply chain), como produtos responsáveis pelo maior número de movimentações. Em nove meses desde a sua estreia, já se conectaram à plataforma mais de 120 Business Bankers, que têm à sua disposição: apoio ao Marketing, suporte – mesas de apoio especializadas -, treinamento e acesso a uma grande variedade de produtos e serviços, em cerca de 30 instituições parceiras e ainda possibilidade de alto comissionamento. Fonte: Teddy

31/05/2022

  • BC vai responsabilizar conta laranjas por golpes do PIX: O presidente do Banco CentralRoberto Campos Neto, afirmou nesta terça-feira (31) que, para frear fraudes envolvendo o Pix, a autoridade monetária pretende responsabilizar bancos que possuam contas laranjas –abertas por criminosos em nome de outras pessoas. “A gente está apertando o máximo possível para que os bancos não tenham capacidade de ser hospedeiros de conta laranja ou conta intermediária”, disse Campos Neto em audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados. Fonte: Folha de São Paulo
  • BTG Pactual e Oi anunciam parceria para oferecer soluções financeiras para PMEs – A partir de agora, clientes do Oi Seu Negócio, segmento da Oi voltado para micro e pequenas empresas (PMEs), além de contratar um serviço de internet de fibra ótica de altíssima velocidade também contam com oferta de crédito e conta digital PJ do BTG Pactual Empresas, plataforma digital de soluções para pequenas e médias empresas do BTG Pactual (BPAC11), maior banco de investimento da América Latina. O objetivo da parceria é oferecer as melhores soluções financeiras para as PMEs atendidas pera operadora, e ajuda-las a ampliar as vendas e alcançar melhores resultados. Fonte: BTG
  • Evento online Black Bloxs reúne Felipe Souto, CEO da Bloxs, e Alexandre Cruz, sócio-fundador da Jive Investments, para “desmistificar” os investimentos alternativos no Brasil – Em live transmitida via Youtube no dia 02 de junho, às 19h, os participantes abordarão temas como o que é investimento alternativo; as características do mercado de capitais; oportunidades de negócios para parceiros e a história da Jive, resultados e perspectivas para o futuro. Fonte: Bloxs

  • Investtools faz spin off da sua empresa de soluções em blockchain – Blockchain Studio vai oferecer serviços e produtos voltados para tokenização de ativos, smart contracts, NFTs, marketplace e análise de dados on-chain. Além disso, promoverá cursos de formação para desenvolvedores, executivos e gestores. Antes de se tornar uma empresa independente, o Blockchain Studio atuou desde 2017 como uma unidade da Investtools para pesquisa, desenvolvimento e inovação na tecnologia blockchain. Fonte: Investtools

  • Banco Original entra em antecipação do saque-aniversário do FGTS – O novo produto de crédito vai se chamar Antecipa Original FGTS. “De maneira 100% digital, o cliente tem acesso ao adiantamento dos valores que seriam disponibilizados para o saque aniversário em até 7 anos, com taxas de 1,99% para todos os clientes, independente do perfil”, diz o banco em nota. Fonte: Banco Original

26/05/2022

Quais investidores de startups mais se retraíram até agora em 2022? Segundo artigo de Gené Teare, publicado hoje no site Crunchbase, apesar dos alertas, alguns dos fundos de venture capital seguem investindo. Veja o quadro abaixo, e leia o artigo completo aqui.

Fintech chilena Creditú, RBR e OPEA se unem para agilizar a contratação de crédito imobiliário: a RBR Asset, através dos fundos de crédito geridos, financia a aquisição dos créditos de financiamento imobiliário originados e geridos pela Creditú, especializada em oferecer crédito imobiliário com operações no Chile, Peru e México. A RBR Asset Management é gestora de ativos imobiliários com R$ 7 bilhões de recursos sob gestão e OPEA, securitizadora com 342 operações em gestão totalizando R$ 42,1 bilhões. A meta é financiar 30 milhões em crédito imobiliário com financiamento de até 90% do valor do imóvel. Fonte: Creditú

Provenir adere à programa da Visa para apoiar decisões de risco no setor de “Compre Agora, Pague Depois”: Por meio do programa ‘Visa Ready for BNPL’, a Visa estabelece um ecossistema robusto de parceiros para dimensionar o portfólio de soluções BNPL em todo o mundo. Os parceiros do programa fornecem aos clientes Visa acesso a soluções para suportar recursos BNPL permanentes, incluindo adquirentes, sistemas POS, plataformas de comércio, emissores/processadores de cartões virtuais, provedores de banco digital, plataformas de originação, integradores de sistemas e muito mais. Fonte: Provenir

Bullla entra no setor de benefícios ‘flex’ para colaboradores de empresa: Após consolidar atuação na área de empréstimos entre pessoas físicas, startup fundada em 2019 passa a oferecer solução ao mercado para pagamentos de benefícios como vale-alimentação, mobilidade e auxílio home office, dentre outros, vinculada a cartão de antecipação salarial. Fonte: Bulla

Startups brasileiras de agronegócio já captaram R$ 54,7 milhões em 2022: As agtechs já levantaram R$ 54,7 milhões em 10 rodadas de investimento – o valor corresponde a mais da metade do montante aportado no ano passado, quando as startups do setor captaram R$ 109,2 milhões em 34 deals. Hoje, existem 366 startups do setor no País – há três anos, foram mapeadas 258.Os dados fazem parte da edição mais recente do Distrito Agtech Report, realizado pela plataforma de inovação Distrito. Fonte: Distrito

Estimativa para expansão do crédito em 2022 chega a 9,7%, diz Pesquisa Febraban de Economia Bancária e Expectativas: O número representa um salto de 1,4 ponto percentual em relação ao levantamento anterior, de março, quando se esperava um incremento de 8,3% este ano. A nova projeção ultrapassa a atual estimativa apresentada pelo Banco Central no último Relatório de Inflação, de 8,9%. E a expectativa de inadimplência este ano tem leve queda de 4% para 3,8%, mantendo-se no patamar pré-pandemia. Sobre o PIB de 2022, 41,2% dos entrevistados projetam crescimento superior a 1,0%. Fonte: Febraban

Fusões e aquisições têm aumento de quase 50% no 1º tri, segundo a KPMG: De janeiro a março de 2022, foram 553 contra 375 negociadas em 2021. Em todo o ano passado, foram realizadas 1.963 operações. É o que aponta uma pesquisa realizada, trimestralmente, pela KPMG com 43 setores da economia brasileira. Com relação ao tipo de transações, do total realizado este ano (553), a maioria envolveu empresas domésticas (384), representando cerca de 69%do total de transações e com crescimento de 57%. Os outros formatos de transação foram CB1 (empresa estrangeira adquirindo capital de empresa no Brasil) com 147 com crescimento de 27%, CB4 (empresa estrangeira adquirindo, de estrangeiros, empresa estabelecida no Brasil) com 15 e CB2 (brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no exterior) com 7. Fonte: KPMG

25/05/2022

Marvin capta US$ 15 milhões com venture capital americana Canaan, que lidera pela primeira vez uma rodada na América Latina: É a terceira captação em pouco mais de um ano de vida da fintech de meios de pagamentos para empresas. O Canaan tem 70 IPOs e 145 M&As em seu portfólio de investidas. A rodada foi acompanhada pela Canary e Mauá Capital, que já investiam na companhia, além de Carlos Selonke (CIO do Revolut), Juan Ortega (Co-Fundador do Rappi), Israel Salmén (Fundador da Méliuz), Lucas Amoroso (Fundador da Lupa Capital) e Doug Scherrer (ex-CFO do Nubank), entre outros. “Conversamos com mais de 120 fundos, saímos em busca de um investidor e encontramos um sócio, isso faz toda a diferença na forma que tocamos o negócio”, comenta o cofundador da fintech brasileira, Bernardo Vale. A fintech permite o uso do saldo das maquininhas (os recebíveis) dos estabelecimentos comerciais para pagar os fornecedores, livrando-os da necessidade de pagar taxas de antecipação, além de também beneficiar a indústria, reduzindo seu risco de crédito e possibilitando maiores prazos de pagamento para seus clientes. Atualmente, a Marvin tem mais de 25 indústrias em seu portfólio, entre elas Ale, Boticário e Alpargatas. Fonte: Marvin

sócios da Marvin
Bernado Vale (esq) e Henrique Echenique, Marvin

Binance lança pagamentos com criptomoedas e experiências de NFT no Primavera Sound 2022 na Europa: A Binance, de infraestrutura para o ecossistema de blockchain e criptomoedas, será a provedora de tecnologia nas edições de Barcelona e Porto, em junho de 2022. Pela primeira vez, o público do festival poderá fazer pagamentos no festival com criptomoedas, por meio do Binance Pay. O evento terá um line up de primeira linha de música, cultura e oportunidades de conhecimento por meio da Primavera Sound Foundation (Fundació Primavera Sound). No Palco Binance se apresentam Bauhaus, Beach House, Courtney Barnett, King Gizzard & The Lizard Wizard, Metronomy, Sharon Van Etten e Warpaint, entre outros artistas. Fonte: Binance

Razonet de contabilidade, é startup campeã de inovação 2022 segundo o ranking da revista Amanhã, do RS: O ranking, que analisou as 50 empresas e instituições mais inovadoras do sul do Brasil, é realizado há 18 anos pelo Grupo Amanhã, com o apoio técnico do IXL Centerde Cambridge (USA), que utiliza o Innovation Management Index, metodologia do Gimi – Global Innovation Management Institute – organização global sem fins lucrativos criada por executivos, acadêmicos e consultores especializados em inovação de vários países. Fonte: Razonet

Fintech Plugify anuncia captação de R$ 120 milhões em primeiro FIDC de aluguel de equipamentos de TI do Brasil: O objetivo da operação é financiar a aquisição de equipamentos para atender clientes novos e atuais. “Assim como as nossas mais recentes movimentações, o FIDC faz parte da estratégia da Plugify de ampliação da oferta de serviços por meio de importantes parcerias. Com esse investimento, nosso objetivo é levar o melhor serviço aos clientes, bem como ampliar a nossa participação de mercado”, diz Alexandre Gotthilf, cofundador e CEO da startup. Fonte: Plugify

Celcoin recebe certificado de Empresa B: A certificação atesta o compromisso em gerar impacto positivo na sociedade da empresa que fornece infraestrutura de tecnologia financeira e bancária por meio de APIs para bancos, fintechs e demais segmentos. Concedida pela B Lab, organização internacional independente e sem fins lucrativos, a certificação Empresa B considera não só o desempenho econômico, mas o desempenho social e ambiental que a empresa gera em todo o processo da operação. Atualmente, mais de 4.300 empresas são certificadas como Empresa B. Na América Latina, são mais de 800. No Brasil, esse número cai para pouco mais de 200 companhias. Fonte: Celcoin

Cielo abre inscrições para o Programa de Mentoria para Startups 2022: As inscrições ficarão abertas até o dia 5 de junho. O Programa será realizado em formato híbrido e atenderá a dez startups. Conduzido pelo Garagem Cielo, hub de inovação da companhia e pelo time de Sustentabilidade, as vagas serão integralmente dedicadas a startups de impacto. Há entusiasmo com esta edição porque aponta para um universo muito importante que nos permite expandir fronteiras de negócios. Desde 2018, o programa já realizou mais de 450 horas de mentoria com 60 startups de 14 áreas diferentes.  Fonte: Cielo

Estratégia das operadoras de celular para o sistema financeiro: De hoje a sexta, dirigentes da TIM, Datora e Algar estarão presentes no Digital Money Meeting que reúne ainda representantes do Banco Central, CVM, BNDEs, bancos, casas de investimento e fintechs. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.  Fonte: tele.sintese

24/05/2022

Bossanova cria comitê de investimentos para startups B2B e B2C liderado por Joel Jota, sócio do Grupo Primo e mentor de alta performance: O comitê escolherá startups de diferentes setores, seguindo a tese da Bossanova, com o diferencial  de contar com a opção de investimentos também em startups B2C. Além do aporte, os negócios selecionados receberão mentoria do próprio Joel Jota para escalarem os produtos.  Os investimentos são feitos em rodadas de captação pre-seed ou seed, com cheques entre R$ 100 mil e R$ 500 mil. As inscrições podem ser feitas pelo site. Fonte: Bossanova

NFT já movimentam mais de US$ 3 bi mensais: Os dados foram coletados pela plataforma OpenSea, no segundo semestre de 2021. Com o boom do metaverso e criptomoedas, grandes empresas apostam no investimento em NFTs (non-fungible-token), ou tokens não fungíveis. Entre as marcas famosas estão Coca-Cola, McDonald ‘s, Pepsi, Nike, Mattel e até mesmo marcas de luxo como a Gucci. Fonte: Pixter

Elo se aproxima do movimento de criptoativos com desafios para o mercado de startups: Nos últimos meses, o mercado de criptomoedas e stablecoins tem evoluído em ritmo acelerado, atraindo investidores brasileiros que, segundo a Chainalysis, obtiveram lucros de US$ 2,5 bilhões negociando criptomoedas ao longo de 2021. A inciativa da Elo faz parte do programa de inovação aberta voltado a startups que buscam cocriar projetos, e explorar as oportunidades que as diferentes moedas digitais podem trazer para democratizar cada vez mais os meios de pagamento. O Banco Central também anunciou em seu programa de aceleração, o LIFT Challenge, desafios para explorar soluções para o Real Digital, a CBDC nacional. Fonte: Elo

20/05/2022

Mercado Pago inaugura Iniciador de Pagamento em compras com PIX e no e-commerce: Após ser a primeira instituição a oferecer os serviços de Iniciador de Pagamento para depósitos em conta, o Mercado Pago passa agora a disponibilizar a solução também para compras com Pix no e-commerce. Usuários do Mercado Pago poderão comprar em e-commerces ou lojas online, que têm a fintech como meio de pagamento, utilizando o saldo de contas em diferentes instituições financeiras ou de pagamentos, de forma mais simples e rápida. A solução será ofertada de forma gradual para toda a base de clientes. Fonte: Mercado Pago

Méliuz anuncia parceria em criptomoedas com fintech Liqi: A administradora de programas de fidelidade e plataforma de serviços financeiros Méliuz anunciou nesta sexta-feira uma parceria com a fintech de ativos digitais em blockchain Liqi para dar liquidez e expandir o serviço de criptomoedas em sua plataforma. Fonte: Elo

Associação Comercial de São Paulo (ACSP) procura startups para acelerar: O Pateo6, hub de inovação da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) localizado no centro histórico da capital paulista, vai selecionar startups para a segunda edição do seu programa de impulsionamento, o Ac boost. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site até 1 de agosto. Fonte: ACSP

Open Banking World Congress começa no próximo dia 24: O evento terá encontros diários com especialistas no assunto, como Tiago Aguiar, Head de Novas Plataformas na TecBan, que apresentará, no dia 25/5, o painel ´The second mover advantage – Creating a new benchmark for open finance´, juntamente com Huw Davies, co-fundador da Ozone. O painel trará o panorama dos novos ecossistemas em países como o Brasil e o México, entre outros temas ligados ao universo Open.  Para inscrições, acesse o site do Open Banking World CongressFonte: TecBan

19/05/2022

Rapyd lança Virtual Accounts, solução de pagamento para agilizar o comércio cros-border: A Rapyd, plataforma global fintech-as-a-service, lançou o Virtual Accounts, um produto que permite que as empresas ampliem seus negócios globalmente ao mesmo tempo em que oferecem suporte a pagamentos locais. Essa nova oferta possibilita que organizações em qualquer lugar do mundo aceitem transferências bancárias locais de forma segura e confiável em mais de 40 países em mais de 25 moedas, incluindo México, Estados Unidos, Brasil, Reino Unido e regiões da UE e APAC. Fonte: Rapyd

Azos levanta R$ 30 milhões em extensão de rodada series A: A Azos, insurtech brasileira que cria e comercializa seguros de forma digital e por meio de corretores parceiros, realizou uma nova rodada de investimento e levantou R$ 30 milhões. O valor será utilizado para desenvolver o canal corretor e expandir a atuação da empresa a partir de parcerias com empresas de tecnologia. Fonte: Azos

Nubank lança NuTap, solução para cliente PJ: O Nubank, uma das maiores plataformas digitais de serviços financeiros do mundo, anuncia nesta quinta-feira (19) o lançamento do NuTap, solução que permite a clientes PJ da empresa realizarem vendas por cartão sem precisarem de maquininha. Integrado ao app Nubank, o NuTap começa a ser gradualmente disponibilizado a partir de hoje para empreendedores que tenham a conta PJ do Nubank e que possuam dispositivos com sistema operacional Android e tecnologia NFC, que viabiliza receber pagamentos por aproximação com cartões de débito ou crédito. Fonte: Nubank

Belvo lança solução de Open Finance para instituições financeiras reguladas no Brasil: A solução oficial vale para instituições financeiras e demais players regulados no Brasil, de forma a simplificar a conexão com dados de usuários finais por meio de uma experiência otimizada. Com o novo produto de Open Finance da Belvo, desenvolvido de acordo com as regras do Banco Central do Brasil, instituições inovadoras terão uma maneira simples e segura de acessar dados do usuário final seguindo regulamentações presentes e futuras da entidade central. Fonte: Belvo

Plataforma de criptomoedas Digitra.com recebe aporte de R$ 25 milhões: O Fundo Profitus, de Ricardo Vilella Marino, sócio controlador do Itaú Unibanco, investiu R$ 25 milhões na Digitra. Rodrigo Batista , CEO da Digitra, fundou a primeira bolsa de criptomoedas do Brasil, em 2019 o Mercado Bitcoin, e saiu de lá dez anos depois quando vendeu a empresa já com 1,5 milhão de clientes. A Digitra.com é uma exchange global, construída com foco em tecnologia, compliance e governança — fruto da experiência de Rodrigo e seu time nos mercados financeiro e de criptomoedas. Fonte: Digitra

ABFintechs realiza evento para discutir novas regras de crowdfunding: O financiamento coletivo, o “equity crowdfunding”, entra em uma nova fase. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou no final do mês passado uma nova norma que permite flexibilização dos limites para a participação de empresas na modalidade, como também  permitir a abertura de transações subsequentes voltadas para as pequenas e médias empresas. Para ajudar a entender melhor sobre as alterações nas regras de crowdfunding de investimentos a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) realiza o Line Up | Novas Regras de Crowdfunding. O encontro virtual e gratuito acontece no dia 20 de maio, sexta-feira, às 15h. Fonte: ABFintechs

Mindset Ventures supera os R$ 100 milhões alocados nos EUA: Os Estados Unidos dominam o ranking de cidades com os ecossistemas de startups mais relevantes do mundo, de acordo com levantamento da consultoria Startup Genome. O Vale do Silício, por exemplo, ocupa o primeiro lugar da lista, seguido por Nova York. Atenta às oportunidades ímpares presentes neste país, a Mindset Ventures, gestora de venture capital que conecta investidores a empresas de tecnologia em estágio inicial localizadas nos Estados Unidos e em Israel, alcança a marca de 30 empresas investidas nos Estados Unidos e supera os R$ 100 milhões alocados no país ao longo dos últimos cinco anos. Dados da consultoria GlobalData divulgados em novembro apontam, ainda, que startups dos Estados Unidos receberam US$ 286,6 bilhões de aportes entre janeiro e outubro de 2021. Fonte: Mindset Ventures

18/5/2022

Agi realiza captação de R$ 1,25 bilhão em debêntures:O Agi anuncia a sua primeira emissão de debêntures financeiras, no montante de R$ 1,25 bilhão. A operação será lastreada por empréstimos consignados a aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) originados pelo Banco Agibank S.A. O montante é composto por debêntures seniores e juniores no total de R$ 1 bilhão e R$ 250 milhões, respectivamente. Fonte: Agi

Bitso chega à Colômbia para impulsionar o uso das criptomoedas: A Bitso, plataforma de criptomoedas líder na América Latina com mais de 4 milhões de clientes, anunciou hoje o avanço de sua estratégia de expansão regional, que visa impulsionar o uso de cripto nos países com altas taxas de adoção na América Latina, como a Colômbia. Fonte: Bitso

B3 lança APIs, e instituições financeiras e fintechs poderão ampliar oferta de serviços para o investidor: A B3 acaba de disponibilizar ao mercado uma série de interfaces (APIs) para que as instituições financeiras e fintechs se pluguem na bolsa e possam oferecer produtos e serviços que facilitem a jornada do investidor pessoa física. Fonte: B3

16/05/2022

B3 lança fundo L4 Venture Builder para investir em startups: A B3 lançou um fundo de R$ 600 milhões destinado a investir no ecossistema de inovação em empreendedorismo. O executivo Pedro Meduna chega à bolsa do Brasil para liderar a nova frente da companhia.Chamado de L4 Venture Builder, o fundo receberá recursos da B3 para selecionar projetos em que a bolsa terá participação societária, acelerando sua presença em negócios com alto potencial de crescimento. Fonte: B3

12/05/2022

Fintech Magalu lança empréstimo pessoal e cartão de crédito para empresas: O Magalu lança oficialmente a Fintech Magalu, que já nasce como uma das dez maiores do Brasil, com mais de 16 milhões de clientes únicos, entre pessoas físicas e jurídicas. A chegada da marca Fintech Magalu ao mercado acontece juntamente com o lançamento de dois produtos inovadores – o cartão de crédito para empresas, com foco nos mais de 160 000 sellers da companhia, e o crédito para pessoas físicas, oferecido diretamente no SuperApp do Magalu. “A Fintech Magalu é um negócio de alto potencial de crescimento”, diz Robson Dantas, diretor da empresa. “Mais importante que isso, porém, é estar totalmente conectada à missão do Magalu, que é digitalizar o varejista brasileiro, sobretudo os pequenos e médios.” De acordo com estimativas do Magalu, apenas 3% da base brasileira de cartões de crédito são corporativos. Segundo Dantas, a grande vantagem da Fintech Magalu na concessão desse tipo de crédito é o conhecimento profundo dos sellers – o que amplia o mercado e reduz riscos. Fonte: Magalu