Frevo high tech

Dario Palhares

O pujante pólo de inovação da capital pernambucana já tem pelo menos duas fintechs candidatas a unicórnio. Mas sofre com a falta de mão de obra qualificada, que o Zro Bank agora investe para resolver

Bolsa de Valores das Favelas

Dario Palhares

Desde o último dia 19/11, véspera da data em que se comemora o Dia da Consciência Negra, a B3 passou a encarar sua primeira “concorrente” em quase 20 anos: a Bolsa de Valores das Favelas. A primeira a aderir foi a Brasil Favelas Xpress, startup de entregas, mas duas fintechs – G10 Bank e Silicon Pay – estão na fila do IPO.

Fintechs israelenses invadem o Brasil

Dario Palhares

Investidas diretas de brasileiros em Israel também proliferam, como Fintron, Weel e Sling – a primeira captando “money seed” e as duas últimas, adquiridas por BS2 e Avante, respectivamente


QUEM FAZ

DARIO PALHARES é jornalista há mais de 35 anos, atuou em diversos veículos do eixo Rio-SP e adjacências: Balanço Financeiro, da Gazeta Mercantil; Exame; Folha de S.Paulo; O Globo; A Tribuna, de Santos; Diário do Povo, de Campinas, Revista Já, do Diário Popular…

Também tem executado, ao longo dos últimos 15 anos, projetos editoriais de maior fôlego: livros sobre a Libbs Farmacêutica, Fundação Faculdade de Medicina (FFM), Associação dos Fundos de Pensão e Patrocinadores do Setor Privado (APEP) e, como não é de ferro, “Cachaça Além do Folclore”, produzido para a Companhia Müller de Bebidas (leia-se Pirassununga 51).

Nas horas vagas, dedica-se às artes plásticas, elaborando trançados e colagens em papéis nobres, que podem ser conferidos no perfil @dpapelart, no Instagram.