Kryp.Tools quer ser a “Bloomberg” dos criptoativos; nova captação de US$ 500 mil e entrada em mercados futuros estão no radar

Kryp.Tools quer ser a “Bloomberg” dos criptoativos; nova captação de US$ 500 mil e entrada em mercados futuros estão no radar

A Kryp.Tools, wealthtech que ajuda gestores na consolidação, rebalanceamento e automação de investimentos com ajuda da Inteligência Artificial, quer ser a “Bloomberg” dos criptoativos. Mas não só. Criada há dois anos, a plataforma especializada em atender o público institucional já se prepara para conquistar investidores de varejo. E também para entrar em outros ativos, como mercados futuros e câmbio.

Segundo seu CEO e fundador, Maurício Zanetti, a startup está levantando nova captação de US$ 500 mil: “É uma rodada estratégica para fazer uma ‘ponte’ para nosso ingresso no mercado futuro e de câmbio, e também para investir em educação e treinamento”, explica. A Kryp.Tools havia captado US$ 400 mil com a BR Angels em agosto de 2022. Zanetti também é sócio da Igloo Network, misto de incubadora e aceleradora de startups com empresa de consultoria de tecnologia.

“Hoje a Kryp.Tools tem mais de 1,8 mil clientes usando a plataforma, quase US$ 9 milhões sob gestão e alguns grandes clientes corporativos finalizando testes de homologação da plataforma – devemos fechar quatro novos contratos até o final do ano”, diz.

O modelo de negócio da Kryp.Tools é de Software as a Service (SaaS). Eles oferecem atualmente quatro planos: para consolidação de dados (contabilidade, tesouraria e conciliação), gestão de portfólio, ordens spot e pacote de arbitragens. Os preços variam por quantidade de carteiras que cada cliente administra e também das funcionalidades que contrata.

Entusiasmo antigo

Zanetti explica que a proposta da Kryp.Tools não é recomendar estratégia: “Nosso público alvo é o B2B2C, o mercado corporativo, o gestor profissional que já tem exposição a criptos. Nosso cliente ideal é uma gestora da XP, diversos escritórios gerenciando diversas carteiras de clientes”.

Segundo o CEO, a Kryp.Tools respeita a experiência, estratégia e capacidade dos clientes e apenas executa suas ordens, como rebalanceamento de portfolio, “de forma organizada, controlada, segura e muito rápida”, diz. “Aceleramos a tomada de decisão, mudança de estratégia e defesa. O objetivo é ser uma caixa de ferramentas inteligente para execução mais rápida da gestão de portfolio”.

Eles também não fazem custódia de ativos, nem transações como depósitos, saques ou transferências – o usuário cria uma chave de API ou conecta sua carteira na plataforma e fornece autorização para a Kryp.Tools fazer o gerenciamento.

O empreendedor já era entusiasta de criptos e administrava seu próprio portfolio há oito anos quando decidiu criar a Kryp.Tools durante a pandemia. Segundo ele, até então no Brasil não existia ainda nenhuma ferramenta que atacasse essa “dor” – a falta de gestão inteligente de investimentos em criptos no mercado institucional, assim como a Bloomberg e outras plataformas de trade fazem no mercado tradicional.

Descubra mais sobre Fintechs Brasil

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo

×
%d